Assuntos não relacionados ao tema principal do fórum.
Avatar pua

Criador do tópico

celso22

PUA EXPERT

#583542 Dezoito anos é uma idade que pesa na vida de um indivíduo. Digo isso porque esperei um bom tempo para atingir a maioridade. NÃO, ANIMAL! NÃO ESPEREI DURANTE DEZOITO ANOS. OU VOCÊ ACHA QUE NO MOMENTO EM QUE FUI CONCEBIDO, EU JÁ ESPERAVA TER IDADE PRA TIRAR CARTEIRA DE MOTORISTA E ARRUMAR UM EMPREGO?

Voltando ao assunto, hoje foi o dia em que fui dispensado do tão temido TG. Acho que desde que eu tinha uns doze anos ouvia histórias sobre o Tiro de Guerra, pegar guarda, ir no mato caçar uma galinha que o sargento soltava lá como treinamento de sobrevivência, etc. Posso afirmar com certeza que mais de 90% dos homens da minha família que se alistaram, acabaram realmente fazendo essa parada. Os últimos familiares que fizeram, meus primos, disseram que o TG só é bom mesmo quando acaba, pois aí sim tem-se histórias para contar.

O que eu vou tentar fazer por vocês aqui, é algo que ninguém fez por mim. Como bom internauta que sou, fiz uma boa pesquisa no Google sobre o Tiro de Guerra, procedimentos ao alistar, dicas para evitar a todo custo essa experiência maldita e todo tipo de coisa que um sujeito pode imaginar. O único resultado, digamos, satisfatório foi esse post aqui. Então, antes que eu escreva mais uns cinco parágrafos irrelevantes, aqui vão meus relatos. Não se esqueça de que tudo isso, infelizmente, é a pura verdade.

Se você tem entre 14 e 17 anos, provavelmente está no Ensino Médio, o que significa que pela sua faixa etária você tomou no máximo uma bomba. Sendo assim, você ainda tem potencial para passar no vestibular. Minha dica é: estude, seu safado! Um dos motivos que fazem um jovem ser dispensado do TG (mesmo que demore uma vida) é estar numa faculdade. Nem precisa ser federal, desde que seja impossível você fazer o trajeto casa-TG-casa-faculdade em 24 horas. E é aí que entra a segunda parte.

Se falta menos de um ano pra você se alistar, aconselho que você se aliste no Cafundó do Judas ou então arrume um comprovante de residência de uma área rural. Um cara que se alistou junto comigo, por exemplo, foi tão sortudo que o irmão dele mora no Mato Grosso e arrumou uma conta de luz pra ele. Caso vocês não saibam, moramos em Minas Gerais.

Em casa, muitas artemanhas podem ser feitas, mas nada garante que elas irão dar certo. Tem gente que fala que pintar a unha do pé ou usar uma calcinha faz você ser dispensado pois reza a lenda que o Exército é homofóbico. Fingir-se de gay também pode dar certo, mas se você for fazer isso, é preciso estudar cada aspecto do comportamento homossexual primeiro (gesticulação, gírias e jeito de andar). Muita gente também diz que ficar um bom tempo sem escovar os dentes ajuda, pois o Exército rejeita pessoas com cárie. Sei não… já ouviram a expressão “cavalo dado não se olha os dentes”? Pois é.

No dia da primeira apresentação, você provavelmente terá de comparecer entre 6h e 7h da manhã. Depois de entrar, você fica no pátio aproveitando o calor e a luz do sol até ficar bem incomodado, aí sim você entra na sala principal. Lá dentro, fica todo mundo te olhando torto (o sargento, os atiradores que já estão lá há um ano e até mesmo os babacas que se alistaram junto com você). Daí, começa uma prova doida que mistura teste de Q.I. com exame psicotécnico. Eles dizem que vão marcar cinco minutos no relógio pra prova toda ser feita, mas acho que só se passaram 2 minutos quando eu fiz a minha. Não se preocupe em fazer bem feito, é sério! Dei graças a Deus que eu não dei conta de acabar a minha. Quanto mais imperfeita for sua prova, melhor. A não ser que você queira servir ao Exército. Nesse caso, por que você está lendo esse texto? Depois desse teste, te chamam pra tirar as medidas do seu pênis corpo, já adiantando o expediente do alfaiate caso você sirva. Logo depois, pequenos grupos são chamados para fazer o exame médico. Acredite, não há nada mais desconfortante do que fazer QUALQUER exame médico com nove caras do seu lado. Primeiro, o médico-militar manda todos ficarem de cueca, assim, sem choro nem vela. Nessa hora, só vale uma única regra: olhe para o teto. Haja o que ouver, olhe para o teto. Assim, começa a bateria de testes: abaixar a cueca até o joelho (Alguns desesperados abaixam até o pé. Sei porque me contaram, afinal eu tava olhando pro teto), assoprar as costas do punho, subir a cueca, vestir a roupa, fazer o exame de vista, sair da sala, suspirar aliviado.

No dia do meu exame médico tinha um sujeito franzino que demonstrava sem vergonha nenhuma que queria ser dispensado de qualquer jeito. Acompanhe o diálogo entre ele e o médico:

Médico: Venha fazer o exame de vista. Fique de frente pro quadro. Tempe o olho esquerdo e comece a ler.
Sujeito: Se eu tampar o olho esquerdo eu não consigo enxergar nada.
Médico: Mas esses óculos que você está usando não te ajudam?
Sujeito: Um pouco.
Médico: Você tem o que?
Sujeito: Ãh?
Médico: Que problema você tem? Astigmatismo ou miopia?
Sujeito: Aham. (acenou positivamente com a cabeça)
Médico: Não sabe não?
Sujeito: É miopia.
Médico: E você tem a receita do óculos?
Sujeito: Tenho, mas tá lá em casa.
Médico: Tem como você ir lá pegar?
Sujeito: Ih… eu moro longe.
Médico: Você pode voltar aqui amanhã.
Sujeito: Ih… mas eu tenho que procurar porque não sei onde ela tá.
Médico: Tá. Mas você tem mais algum problema?
Sujeito: Tenho alergia.
Médico: Alergia à quê?
Sujeito: Cachorro, sabonete, detergente, poeira, mofo… Na verdade, se eu ficar muito tempo nessa sala, eu posso até ficar com asma.

E assim foi…

No dia da segunda e talvez da terceira apresentação, você somente terá de levar toda a documentação possível que ainda estiver faltando: aprovação na faculdade, documento de sua matrícula, comprovante da residência pra qual você irá (supostamente ou não) e até um pedido de dispensa assinado pelo Presidente da República se você conseguir tal façanha.

No quarto dia, que foi meu caso hoje, você só vai precisar acordar cedo (assim como em todas as vezes!), dar um bom dia pro Sargento, torcer pelo excesso de contingente ou pelo seu poder de persuasão mediante o Exército, pegar aquela ficha que tem a sua foto 3×4 horroroza que eu esqueci de mencionar no início do texto, leva-la à Junta Militar, carimbar e ir sorrindo até a orelha para casa com a sensação de missão cumprida.

Mas aí vem uma dúvida: “Como seria minha vida se eu tivesse servido ao Exército?”.

Eu respondo: “Igual, porém com uma ou duas histórias a mais”.

ANÚNCIOS

Avatar pua
CharmingPrince

MEMBRO PROFISSIONAL

#583605 Eu lembro que quando eu servi só tinha MUITA gente querendo servir e os problemáticos que não queriam eles despensavam logo,era só falar que tinha algum problema,se fazer de cego,surdo etc... que o pessoal dispensa.

E aquele papo que o médico fala que se mentir pra ele vai se foder depois porque ele será o cara que vai estar com você na bateria é pura mentira!!!Minta a vontade se quiser tá fora hehe...

Bom eu servi por 1 ano e achei que valeu MUITO a pena,mas cada um é cada um...

Belo tópico pra dar um toque na galera,mas tem muuita coisa boa no quartel,pra quem curte!

Abrazo!
Avatar pua
arlindo

Veterano - nível 10

#583610 cara acredito que a melhor forma de ser dispensado do serviço militar é apenas falar uma frase não quero servir! niguem é obrigado a fazer algo que não queira!
GustavoAbronkkA - MEMBRO EXCLUSIVO
#583614
CharmingPrince escreveu:Eu lembro que quando eu servi só tinha MUITA gente querendo servir e os problemáticos que não queriam eles despensavam logo,era só falar que tinha algum problema,se fazer de cego,surdo etc... que o pessoal dispensa.

E aquele papo que o médico fala que se mentir pra ele vai se foder depois porque ele será o cara que vai estar com você na bateria é pura mentira!!!Minta a vontade se quiser tá fora hehe...

Bom eu servi por 1 ano e achei que valeu MUITO a pena,mas cada um é cada um...

Belo tópico pra dar um toque na galera,mas tem muuita coisa boa no quartel,pra quem curte!

Abrazo!

CP, você serviu mas, aposto que você não passou ano novo, natal, pascoa, carnaval, finados, aniversario, sao joao, entre outros feriados, EU TAVA DE SERVIÇO EM TODOS, e podia faltar ou dar o golpe, mas enfrentei de cara levantada e olhar altivo pois sabia que era experiencia unica e foi mesmo, o cara se fode tanto que nunca mais esqueçe. Podemos dizer que o quartel é mais de 50% de caminho andado para se tornar um HOMEM. Abraços.
Stark 0

Veterano - nível 9

#583615 me recuso a continuar lendo !! cara la vc aprende a ser homem !! me alistei ontem,pedi pra servir e vo fazer isso com o maior prazer do mundo, so os otarios ontem ñ pediram pra servir, ate o cara la do alistamento falou, só os fracos pedem pra sobrar, mas se vc prefere ñ ir por medo do q te falam...ai é com vc, eu so tenho medo do q eu vejo, nunca do q falam.
malz se fui arrogante, é q eu me revoltei rsrsrsrs
vlw cara, boa noite
Ziddane

#583619 deixa de ser menina e faz o teu serviço. Nao vais morrer. Garanto-te que é das melhores coisas que podes ter na tua vida. Palavra de honra. Vai e agradece depois.
Ziddane

#583631 Eu tenho saudades de servir, mas agora estou na faculdade. Deixei a vida militar por outra coisa. Vivi 8 anos em ambiente militar. Desde os 9 aos 18 num colegio militar. Eu lembro-me que tinha 9 anos e fiz 500 flexoes porque ninguem fazia as camas como deve de ser nem mantinham a camarata limpa. Sofre-se muito, nao minto. Mas isso é só ao inicio. Agora escrevo com saudade porque lá tu conheces o que é a camaradagem. Conheces como é que o teu eu interior sabe lidar com as maiores das dificuldades. Aprendes mil e uma coisas que mais cedo ou mais tarde serão importantes na tua vida. Ganhas valores, maturidade, coragem. Aprendes o que é o verdadeiro espírito de sobrevivencia e dificuldade. No final, depois de 50km de marcha forçada com uma mala as coisas e a G3 na mão, possivelmente com um camarada que nao aguentou tudo no ombro porque ninguem fica para trás, vais sentir-te no topo do mundo. Vais sentir que doravante nada, mas nada mesmo te vai conseguir vencer. Vais sentir o que é missão cumprida e vais ver que valeu a pena. O que é mais difícil de sobreviver, o que não é para todos é o que te deixa com o maior sentido de auto realização. Além disso não é so flexoes, tens armas para desmontar, equipas para liderar, sobrevivencia no mato. Vais sentir-te um Rambo quando toda a gente olhar para ti por direcções porque confiam na tua liderança.

Tenho saudade... Mas deixei o exército, apesar das mençoes honrosas, porque simplesmente as minhas vocações são outras. E isso é aceitável. Mas um ano não te vai matar. Acredita que vale a pena. Vai por mim, eu sei do que falo. A tua vida vai ficar à espera tal e qual como está. As histórias são 10% do que ganhas. Eu também tenho muitas, mas a diferença é outra.
Avatar pua
CharmingPrince

MEMBRO PROFISSIONAL

#583638
Gustavodes_20 escreveu:
CharmingPrince escreveu:Eu lembro que quando eu servi só tinha MUITA gente querendo servir e os problemáticos que não queriam eles despensavam logo,era só falar que tinha algum problema,se fazer de cego,surdo etc... que o pessoal dispensa.

E aquele papo que o médico fala que se mentir pra ele vai se foder depois porque ele será o cara que vai estar com você na bateria é pura mentira!!!Minta a vontade se quiser tá fora hehe...

Bom eu servi por 1 ano e achei que valeu MUITO a pena,mas cada um é cada um...

Belo tópico pra dar um toque na galera,mas tem muuita coisa boa no quartel,pra quem curte!

Abrazo!

CP, você serviu mas, aposto que você não passou ano novo, natal, pascoa, carnaval, finados, aniversario, sao joao, entre outros feriados, EU TAVA DE SERVIÇO EM TODOS, e podia faltar ou dar o golpe, mas enfrentei de cara levantada e olhar altivo pois sabia que era experiencia unica e foi mesmo, o cara se fode tanto que nunca mais esqueçe. Podemos dizer que o quartel é mais de 50% de caminho andado para se tornar um HOMEM. Abraços.



Não todos esses,mas alguns incluindo carnaval e ano novo...

Sem dúvidas, se souber aproveitar o aprendizado lá se cresce muito!
Avatar pua
CharmingPrince

MEMBRO PROFISSIONAL

#583640
Ziddane escreveu:Eu tenho saudades de servir, mas agora estou na faculdade. Deixei a vida militar por outra coisa. Vivi 8 anos em ambiente militar. Desde os 9 aos 18 num colegio militar. Eu lembro-me que tinha 9 anos e fiz 500 flexoes porque ninguem fazia as camas como deve de ser nem mantinham a camarata limpa. Sofre-se muito, nao minto. Mas isso é só ao inicio. Agora escrevo com saudade porque lá tu conheces o que é a camaradagem. Conheces como é que o teu eu interior sabe lidar com as maiores das dificuldades. Aprendes mil e uma coisas que mais cedo ou mais tarde serão importantes na tua vida. Ganhas valores, maturidade, coragem. Aprendes o que é o verdadeiro espírito de sobrevivencia e dificuldade. No final, depois de 50km de marcha forçada com uma mala as coisas e a G3 na mão, possivelmente com um camarada que nao aguentou tudo no ombro porque ninguem fica para trás, vais sentir-te no topo do mundo. Vais sentir que doravante nada, mas nada mesmo te vai conseguir vencer. Vais sentir o que é missão cumprida e vais ver que valeu a pena. O que é mais difícil de sobreviver, o que não é para todos é o que te deixa com o maior sentido de auto realização. Além disso não é so flexoes, tens armas para desmontar, equipas para liderar, sobrevivencia no mato. Vais sentir-te um Rambo quando toda a gente olhar para ti por direcções porque confiam na tua liderança.

Tenho saudade... Mas deixei o exército, apesar das mençoes honrosas, porque simplesmente as minhas vocações são outras. E isso é aceitável. Mas um ano não te vai matar. Acredita que vale a pena. Vai por mim, eu sei do que falo. A tua vida vai ficar à espera tal e qual como está. As histórias são 10% do que ganhas. Eu também tenho muitas, mas a diferença é outra.



Até me arrepiei aqui cara lembrando dos treinamentos!

O exercito me mostrou que a coisa poderia ficar muito FEIA e eu ainda iria estar vivo e muito vivo,e isso faz parte do meu innergame hoje!
Vejo pessoas aí que reclamam de tudo e não tem coragem pra nada,pensam que se errarem em uma coisa boba será o fim do mundo...
Realmente depois de uma semana molhado dos pés a cabeça no meio do mato,praticamente sem durmir e cansado ao extremo...no frio da madrugando quando seu companheiro caí do seu lado com hipotermia e você tira forças que nem você sabe de onde veio pra carregar ele o mais rápido possivel pro médico você percebe que falta MUITO pra atingir os seus limites ainda...
Sampaio

#583655 me recuso a continuar lendo !! cara la vc aprende a ser homem [2]

Aprender a ser homem, não é ficar bombado e pegar uma hb10, Não é ser forte fisicamente, tai aii uma boa experiência de vida.
Quando eu era menor de idade reclamava de ter que dormir cedo, estudar o dia todo e quando a mamãe não fazia a comida da forma que eu gostava..

No Exercito vi que reclamei muito da vida, Muitos FDS na Guarita em meio ao mato e sozinho, poucas horas de sono, cansaço excessivo, mais de 200 chefes, qlqr um dava ordens em você, desde que ele seja mais antigo ou de graduação superior.

Vi que amizade é a coisa mais importante que se pode ter por lá, no meu acampamento de recruta me joguei ao chão e desisti por não querer mais correr de mochila, em poucos minutos tinham colegas me levantando, puxando,arrastando, gritando e me motivando a correr.

Tinha soldados e sargentos que era amigos de infância no dia e que vinham me falar "Faça cara de bravo, grite e seja forte, essa vai ser a melhor experiencia da sua vida", e foi.

Eu admito até hoje que chorei, por ter passado das 22 as 00Hrs do dia 31/12/08 em uma guarita que 3 ja tinham se matado, enquanto minha familia estava unida na virada de ano.

La se sofre, apanha e aprende a dar valor.
Mas existe espirito de camaradagem, motivação e garra para se ter as coisas por lá, escolhi pedir minha baixa antes do prazo, por não ser a área que gostaria de seguir e ainda mais por motivos profissionais.

Mas você que sabe, quer sofrer, gritar e testar seu limite? parano fim você ter certeza de que é forte e tem valor, esta ai sua oportunidade, vai valer a pena, leia o post de quem serviu.

Servi por 2 Anos no 2º Batalhão de Policia do Exercito, trabalhando como desenhista no Pelotão de Investigação Criminal.
"Uma vez PE, Sempre PE"