Membros normais não podem criar tópicos mas podem responder tópicos dos veteranos.


Ao atingir mais de 1 ano de cadastro ou envio de mais de 200 mensagens você automáticamente se torna membro veterano e pode postar nessa área.

Criador do tópico

beginner - DOADOR

PUA EXPERT

#895549 Como não sair do "estado"

O "estado" como denomina o pessoal do Real Social Dynamics, ou "God Mode" como chama o pessoal do Simple Pick Up, ou ainda "Com inner nas alturas" como chamam algumas outras fontes. É aquela sensação de que você pode fazer tudo, de que está em sintonia com a balada, que ali é seu território. Um grande problema pra mim era se manter assim. E às vezes era difícil atingir também. Eu já tinha visto vários vídeos da RSD que sugeriam que a solução era tratar a noite como se fosse um set gigante, mas não conseguia entender muito bem o que fazer. Até que ontem assisti um conjunto de vídeos que fez uma diferença monstruosa. Não só no quesito se manter no estado, como de aumentar infinitamente o nível de diversão na night. Eu consegui estar realmente me divertindo, quase o tempo todo.

No final do artigo irei postar os vídeos que me serviram de referência, mas vou tentar resumir os conceitos básicos aqui. Por favor tente prestar o máximo de atenção. Eu normalmente não escrevo artigos porque penso que não estou aqui para repetir o que outros já disseram, mas isso é algo que não lembro de ter visto por aqui, pelo menos não estruturado dessa forma.

O conceito chave: socialize com todo mundo, o tempo todo na balada.

Inclusive com as meninas que não te atraem. Não é porque você está conversando que você é obrigado a pegar. Não é porque você chama pra dançar que você tem que pegar. Seu valor social é muito mais alto se estiver conversando com uma ou duas não atraentes do que sozinho. Então "foda-se". Evite ficar sozinho. Evite os intervalos entre os sets, porque é neste momento que você começa a pensar demais e perde o foco. Se policie para não ficar se fazendo críticas durante a balada, isso é ótimo depois. Ali é seu momento de praticar. Quando sua mente começar de palhaçada, simplesmente inicie conversa com qualquer pessoa. Pode ser um cara, tanto faz. O objetivo é não ficar remoendo pensamentos.

Não importa o nível de beleza dela

Só existem dois tipos de mulher. As que você quer pegar, e as que você não quer. Foda-se essa história de 8,9,10. Você está conhecendo mulheres para mostrar para os amigos, para se validar? Ou você está conhecendo mulheres para ter experiências marcantes com elas (e vice-versa). Você acha realmente que uma mulher "8" sempre vai ter dar uma experiência inferior a uma "10"? Tá na hora de rever seus conceitos. Mulher, como todo ser humano, é muito mais que um rostinho bonito. Aquela "8" pode ser um furacão na cama, ter um papo super interessante, enquanto a "10" pode ser uma chata, que na cama fica parada esperando vc fazer todo o trabalho porque "ela se acha muito foda". E note que eu coloco as notas entre aspas porque são conceitos relativos. A minha "10" pode ser a sua "8" e vice-versa.

Essas notas ajudam a colocá-las num pedestal. Afinal quando você olha para uma "10" você já atribui a ela um valor social alto, e aí começa a pensar que tem que "aumentar o seu para empatar". Nada mais errado. A tal "10" na sua cabeça pode se achar uma "7", assim como tem umas feias que se acham "9"

Aprenda de uma vez por todas. Mulheres estão divididas em "as que você quer pegar" e "as que podem ser boas amigas". Aliás, elas dividem homens assim. E aí voltamos ao ponto anterior. Aquela não atraente, pode te apresentar a amiga gata que você não viu porque estava no banheiro e acabou de voltar. Ou pode te chamar para uma festa incrível. No mínimo do mínimo, vai servir pra te manter no estado com um papo legal e um pouco de validação, já que uma mulher não atraente ser abordada por um homem de alto valor social é um acontecimento incomum. Isso já é uma enorme ajuda.

Socialize, mas não grude

Isso não se aplica a todo tipo de balada o tempo todo. Para baladas de forró, locais tipo bar ou lounge, este conceito se aplica o tempo todo. Para festas mais voltadas para pegação, isso vale mais no início. Como funciona? Fale alguma coisa com aquele grupo, converse um pouquinho e caia fora. Eventualmente, ao longo da noite, você pode voltar naquele grupo. São seus novos amigos de balada. Não importa se o grupo tem mulheres interessantes, pode até ser só caras. Este tipo de comportamento vai fazer você se sentir como se estivesse em casa, numa festa com um monte de conhecidos. Nas festas de pegação essa estratégia vai te ajudar a poder voltar posteriormente no grupo, porque já te "conhecem".

Com saber se estou exagerando no tempo?

Você precisa sair antes que as pessoas se perguntem "putz esse cara não vai embora, vai grudar na gente agora?". Eu costumava pensar que precisava arrumar uma maneira de ter um papo tão interessante que as pessoas iam fazer questão que eu ficasse. Só que pelo menos pra mim, não funciona assim. Imagina o seguinte: você está na balada com um antigo conhecido. Este é o caso da maioria das pessoas. Então chega um cara, ou uma mulher, começa a conversar e não vai embora. A não ser que ela seja absurdamente atraente, você vai começar meio chato aquela pessoa ali que você mal conhece.

Então como saber o tempo certo? Testando. Calibração é algo que não tem como se ganhar de outra maneira. Pratique erre, até ficar cada vez mais preciso.

Como diminuir seu nível de rejeição pelos grupos?

Eu aprendi que isso tem a ver com o seu nível de energia. Tem a ver com você estar tentando dar algo a aquele grupo ou tirar. Em cada interação, sempre se pergunte isso. Vou dar um exemplo:

Eu costumo ir em forrós. O que eu fazia basicamente era chamar uma menina interessante pra dançar, tentava iniciar uma conversa. Às vezes usava os tradicionais "você é de onde", as vezes saía algo mais criativo. Só que elas notavam que eu não estava nem ligando pra dançar com elas, as vezes ficavam sem saco. A quantidade de vezes que eu estava sendo recusado pra dançar era muito maior. Não que fosse absurda, acho que seria umas 4 ou 5 na noite, de digamos 20. O que acho que estava acontecendo é que elas sentiam essa energia, e quando dançavam comigo, pensavam "Putz que saco, esse cara nem ta dançando direito preocupado em ficar com papo chato". Eu achava que o problema era minha pouca habilidade com forró, porque embora eu possa dançar, alguns caras nestes locais são quase profissionais. Eu nunca chamava a mesma mulher duas vezes.

O que eu descobri: é necessário sentir e se concentrar na dança. Mesmo que você não seja muito talentoso, estar focado na dança faz diferença. Se você notar algo que vale a pena falar fale. Se não, fique calado. Você pode sempre chamar ela pra dançar de novo. Não é que você vai dançar calado com todas, mas fale porque veio algo na sua cabeça, não porque "precisa abordar ela verbalmente antes da musica acabar". Tampouco censure o que vem na sua cabeça, e para isso, entra o próximo ponto.

Aquela mulher é só mais uma

Não fantasie pra bem nem pra mal. Não é porque ela na dança parece super grudada que você vai pegar. Nem é porque você chamou ela pra dançar com a energia correta que ela vai aceitar. Não se importe se você vai ter resultado, se importe de ter feito as coisas certas. Se não der em nada, não importa. Aquele ambiente está cheio de mulheres atraentes, você só precisa continuar socializando que o universo vai te trazer a experiência. Nenhuma delas é particularmente mais importante que outra. Lembre-se, você não vai pegar todas daquele ambiente, e não tem como escolher qual das interessantes vai efetivamente gostar de você. Tudo que pode fazer, é sua parte.

Use as não atraentes e as que não estão interessadas em você como wingwoman

Obviamente, isso não tem sentido se a mulher te rejeitou de maneira grossa. Mas se você socializou com um grupo, as meninas foram legais mas você sentiu que não ia dar em nada, você pode usar uma delas (ou todas) como wingwoman. Quando passar uma atraente, simplesmente apresente suas novas “amigas”. Neste contexto você irá aparecer inofensivo (afinal tem um monte de amigas, não é mais um desesperado tentando pegar ela sem nem conhecer) e ao mesmo tempo já um pouco atraente (de novo, um monte de amigas). Justamente o que você precisava para ela abaixar o escudo e se permitir te conhecer.

Conclusão:

Eu não sei o quanto disso realmente nunca foi mencionado antes. Mas para mim conjugar isso tudo fez uma diferença absurda, e depois de 3 noites aplicando estes conceitos, senti uma diferença brutal. Seguem abaixo os vídeos que eu vi que me ajudaram neste sentido, e espero que estas informações sejam úteis.



http://www.rsdnation.com/julien/blog/cu ... otter-hoes
http://www.rsdnation.com/julien/blog/ho ... t-rejected

ANÚNCIOS

Avatar pua
Fábio teles

Veterano - nível 9

#895556 Abordo partes fundamentais pra sempre se manter na "Vibe"... é ainda mais importante sempre está em algum set alone sarge pra manter o fogo nas alturas ! Ótima contribuição... :p
Avatar pua
jefblue

PUA EXPERT

#895750 O grande problema é que nesse exato momento a área de dúvidas está bombando com perguntas já respondidas enquanto esse tópico fica no ostracismo.

Você sintetizou de maneira ótima, tendo a consciência desses fatores o game melhora em quase 100%!

Uma falha que tenho é dar muito espaço entre as abordagens, então acabo me pegando com o inner abaixando. Suas dicas foram preciosas pra mim!

Te agradeço brother!

Criador do tópico

beginner - DOADOR

PUA EXPERT

#895849
jefblue escreveu:Uma falha que tenho é dar muito espaço entre as abordagens, então acabo me pegando com o inner abaixando. Suas dicas foram preciosas pra mim!

O problema é exatamente esse. Sua mente foge do momento presente e começa a pensar demais, então você fica ali pensando "eu devia ter feito isso ou aquilo" na abordagem anterior, aí passa uma mulher interessante, você fica pensando o que vai falar, nisso ela vai embora, e bom... O inner vai descendo a ladeira. A solução quando isso começar a acontecer é falar com qualquer um. Puxa conversa com o barman, com a gordinha, foda-se, é só pra te manter no momento presente. Conversar te força a não ficar ruminando pensamentos. Meu erro era justamente esperar ou buscar a próxima oportunidade de abordar, e nesse intervalo o inner ia baixando.

Claro, quando passar a próxima mulher interessante, inclua ela na conversa, ou se despeça de seu(sua) interlocutor e parta para a abordagem. O legal é que você pode ter acabado de ganhar um novo amigo (a) que vai te servir de apoio em outro momento da noite, entre abordagens.

Criador do tópico

beginner - DOADOR

PUA EXPERT

#911108
Ronildo Ronaldo escreveu:Gostei da abordagem em tais temas, não gostei apenas da abordagem quanto a energia, mas no geral seu tópico ficou muito bom

Ronildo, o que você não gostou na parte referete a energia, pode explicar? Acho que podemos ambos aprender com um debate saudável.
Avatar pua
Juk. - MEMBRO EXCLUSIVO
#911126 Mandou muito bem!

Aqui na minha cidade também tem muito forró, e antes eu me concentrava em ficar abordando o máximo de sets e só conversando. Era difícil pq a música é alta e tem sempre distração ao redor, as garotas acabavam ficando com tédio na conversa.

Aprendi a dançar um pouco e tenho percebido que a VIBE que você passa, principalmente nesses ambientes, é muito mais importante do que o que diz.

Por exemplo, hoje não peço mais pra dançar, chego com um sorrisão já me mexendo e vou logo pegando pelo braço e colando o corpo no meu. Quase todas riem e ficam sorrindo enquanto dançam. Depois que a música acaba, faço só um comentário sobre alguma coisa física dela junto com body rocking e PRONTO. Elas mesmas continuam a conversa e rapidinho começam as perguntas de conforto. Depois é só aumentar o kino com tensão sexual e já era.