Aqui é aonde Arquivamos as discussões e debates do PUABASE.
Apenas Membros VIPS
Organização sempre!
Avatar pua

Criador do tópico

Cyrax

Veterano - nível 3

#801720 [font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]A artilharia pesada
[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Ok, agora a parte realmente boa. Agora vamos trabalhar para mudar suas crenças, e suas âncoras de sofrimento, o que deve fazer com que você se livre de sua timidez de uma vez por todas. Mas primeiro, nós precisamos saber exatamente quais são suas crenças.
[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Primeiro, faça uma lista de suas crenças em sua mente. Examine os pensamentos que passam pela sua cabeça quando você está no seu padrão tímido. Ao mesmo tempo, preste atenção para a forma como você fala de si mesmo para outros e para si mesmo. É importante que você seja completamente honesto consigo mesmo e consiga o máximo de informação possível.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Exemplos:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Eu sou um nerd/CDF/perdedor
• Eu sou tímido demais
• Eu não sou compatível com ele/ela
• Não sou normal
• Eu não sei o que fazer/falar
• Tenho medo de ser rejeitado/estragar tudo/sofrer/me envergonhar/do que os outros pensam
• Homens/mulheres não gostam de mim
• Pessoas não gostam de mim[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Agora, suas âncoras. Faça duas listas,experiências prazerosas, e experiências ruins que você evita. Ordene-as em ordem decrescente começando com as experiências que você toma mais iniciativa para realizar/evitar. De novo, é importante que você seja muito honesto consigo mesmo. Não as liste na ordem em que você idealmente gostaria que fossem, mas examine o seu verdadeiro comportamento.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Quando você terminar, você notará alguns conflitos que o causariam timidez. Em meu caso, na minha lista de prazeres, o item Amor e Intimidade tem uma posição bem alta, mas o item Segurança e Conforto estavam no topo.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Na minha lista de sofrimentos, Rejeição e Humilhação estavam no topo, enquanto Solidão e Depressão estavam nos últimos lugares (lembre-se, estamos olhando para a quantidade dee iniciativa que tomamos para evitar cada um desses sentimentos).[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Aqui está algo que você pode tentar que pode ajudá-lo. Pense sobre como você gostaria de ser, seu ideal, e faça as listas de prazeres/sofrimentos que você teria se fosse dessa forma. Pense sobre que âncoras você precisaria para adicionar e remover, e então reordenar suas listas de acordo com as listas ideais, para que você pudesse ser seu ideal. Só com isso você pode causar algumas boas mudanças...[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif][/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Mudando suas crenças[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Você tem 3 escolhas básicas quando o assunto são crenças. Lembre-se, seu cérebro tenda a filtrar referências que vão contra suas crenças, então uma abordagem é analisar suas crenças e referências de forma consciente e entendê-las. Isto se chama Terapia Cognitiva, em psicologia clínica, e em minha opinião, é a pior forma de se atacar o problema. De qualquer forma, vou lhes contar como o processo funciona, caso as outras opções não funcionem.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Responda às seguintes questões para cada crença que você quer mudar:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]1. Qual é sua crença?[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]2. Porque você acredita nisso? Quais referências suportam essa crença?[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]3. É possível que você tenha avaliado essas experiências de forma muito pobre? (Iso costuma ser verdade especialmente em casos de experiências de infância, quando seus poderes cognitivos ainda não estão totalmente formados). Se for verdade, reavalie-os. Provavelmente isso pareceu terrível no passado, mas ainda seria tão ruim se acontecesse agora?[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]4. Quanto sofrimento a crença está te causando?[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]5. Do que você tem medo que aconteceria se você não tivesse essa crença?[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]6. Quais são as referências que você tem que vão contra a crença? Depois de revisar essas referências, você ainda tem certeza de sua crença?[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Ugh. Isso dói até na hora de escrever. Mas Pelo menos pode ter enfraquecido suas crenças e suas raízes em você.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Opção número dois é provavelmente a melhor, porém a mais difícil de se alcançar. Lembre-se, "experiências poderosas", como um estupro ou um acidente de carro podem destruir crenças como se elas fossem papel. Infelizmente, é difícil pensar em uma experiências com poder o suficiente para curar timidez (algo como uma mulher te dando uma cantada e começar a fazer amor com você no mesmo instante).[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Ao invés disso, a maioria de nós progredimos em passos pequenos - iniciando conversas, aumentando o conforto com conversas, arrumando um encontro, ficando confortável com encontros, iniciando um relacionamento, ficando confortável com relacionamentos, etc. que poderia levar meses, anos, ou a vida inteira. Então nos resta a opção três - usar referências positivas consistentemente e repetidamente.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif][/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Afirmações[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Comece uma nova lista, chamada "Afirmações". Analise cada item em sua lista de Crenças Negativas, e para cada uma, crie uma frase positiva para contrabalançá-la. Inclua uma
referência de sua vida se possível. É importante que você siga estas regras:[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• tenha certeza que é uma frase positiva - "Eu não sou tímido" não vai funcionar muito bem.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• use primeira pessoa - "Eu isto, eu aquilo" ao invés de "Pessoas isto, mulheres aquilo, .."[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• use tempo presente - "Eu sou confiante" ao invés de "Eu serei confiante"[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• seja algo que você possa controlar - não "Eu fico com mais mulheres que o Frank"[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• inclua imagens sensoriais, âncoras emocionais poderosas, e referências[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Exemplos:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Eu falo facilmente com qualquer um que eu queira conhecer. Sou esperto e engraçado.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Tenho muita coragem. Posso superar qualquer medo.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Estou em forma e sou atraente. Mantenho meu corpo em forma.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Sempre me lembro de elogiar as pessoas e mostrar apreciação por elas.

• Sou feliz comigo mesmo, mesmo que as pessoas pensem o contrário.[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Agora provavelmente você está se perguntando, "porque estou me dizendo essas coisas que obviamente não são verdadeiras?".[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Lembre-se, seus pensamentos são parte da informação que seu cérebro absorve, e ele não questiona nada, apenas processa e guarda tudo. No começo suas crenças vão rejeitar essas frases, mas com consistência suficiente, repetição e referências, suas crenças eventualmente vão mudar. Estudos mostram que com isso pode funcionar com um mês de repetição diária, mas isso depende de quão frequentemente você revisita suas afirmações. A melhor coisa a fazer é imprimir-las em um cartão e mantê-las sempre com você durante o dia, e apenas lê-las quando você puder. Enquanto você as lê, imagine como você se sentiria bem sendo dessa forma, realmente mergulhe na experiência.[/font]

[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Em um mês implementando esta técnica, o autor do livro de onde eu tirei isto, passou de um cara que se esconde atrás de plantas em festas para alguém que sai com muitas garotas regularmente. Ele agora está em seu segundo casamento e trabalha hoje como autor de livros e seminários motivacionais.[/font]

[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Hipnose[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Hipnoterapia é similar a técnica descrita acima, mas se comunica com seu subconsciente muito mais diretamente, e você pode conseguir resultados com poucas sessões se tudo for bem. O lado ruim é seu custo caro e se seu hipnoterapeuta deixar de tratar algo importante, você desperdiçou uma grande quantia de dinheiro a troco de nada. A alternativa é aprender auto-hipnose. Provavelmente a melhor coisa a fazer é conseguir um terapeuta que o ensine, mas existem muitos livros bons sobre o assunto. Não vou entrar em muito detalhe aqui, porque é algo difícil de fazer e não sou qualificado para ensinar isto, mas aqui está o básico:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• certifique-se de que está em um humor relaxado e de mente aberta[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• assuma uma posição confortável, deitado ou sentado[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• forneça a si mesmo sugestões relaxantes, até que você alcance um estado relaxado. Exemplo: "A tensão de meus pés está sumindo... meus pés estão relaxados... minhas pernas estão cada vez mais relaxadas... minha respiração está cada vez mais profunda... relaxe...relaxe...relaxe...", etc. Continue até que não sinta mais tensão em seu corpo, e você possa se sentir um pouco anestesiado.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• O que normalmente acontece aqui é uma contagem regressiva com sua respiração. Exemplo: "Enquanto eu conto de 10 a 0, enquanto eu expiro o ar vou mergulhar cada vez mais em um estado profundo de transe... 10... mais profundo... 9... mais profundo...", etc.[/font]

[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Neste ponto você deve estar em transe. Não comece a pensar se você está ou não em transe, porque isto irá tirá-lo do transe com certeza. Apenas comece a repetir suas frases de afirmação para si mesmo; mesmo que você não esteja realmente em transe, vai te fazer algum bem.[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Termine sugerindo algo como "vou contar até três e acordar me sentindo alerta e refrescado" ou "vou contar até três e vou dormir" (se você estiver fazendo isto na hora de ir para a cama).[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Estas duas técnicas, afirmações e auto hipnose, são formas efetivas de melhorar qualquer coisa em sua vida, não apenas timidez. Eu sugiro que reserve 15-30 minutos todo dia para trabalhar nisto, vale o esforço.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif][/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Programação Neurolinguística (PNL)[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]PNL é um conceito fascinante que gostaria de dividir com vocês. É provavelmente muito diferente de qualquer psicologia a que você está acostumado, e na verdade é rejeitado por muitos psicólogos clínicos por ser "muito pouco científico", mas possui muitos tipos de aplicações em terapia e auto-ajuda, então eu acredito que valha a pena aprender.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]PNL foi fundada por Richard Bandler e John Grinder, um matemático e um linguista respectivamente. Nem preciso dizer que a abordagem deles era única. Eles estudaram com alguns dos melhores terapeutas do mundo (Milton Erickson, Virginia Satir e Fritz Perls principalmente). Sempre que algo acontecia para causar uma mudança no paciente, ao invés de examinar o que o terapeuta disse que fez, e o que o paciente disse que aconteceu (ambas funções conscientes), eles observaram o que o terapeuta estava fazendo inconscientemente, e o que aconteceu no subconsciente do paciente. Então eles modelaram sua abordagem terapêutica baseados nesses processos antes não percebidos que eles observaram. Eles aprenderam a produzir mudanças em uma pessoa em minutos, que levariam meses ou anos utilizando terapia convencional. por exemplo, praticantes de PNL podem curar uma fobia em menos de uma hora, e mais frequentemente em menos de 15 minutos. Se você não acredita nisto, existem muitos praticantes de PNL na internet com quem você pode conversar que podem te contar suas experiências com PNL.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Vou divulgar um pouco de PNL que eu aprendi e acredito ser relevante para timidez; para mais informação, procure livros de Richard Bantler, John Grinder, Robert Dilts, Tad James, e Steven e Connirae Andreas.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Primeiro, a hipótese de que seu subconsciente não diferencia experiências reais e mentais é extremamente importante em PNL. Muito raramente, ou nunca, eles o farão executar algo fisicamente; ao invés disso, eles vão sentar com você, fazer com que você imagine coisas, criar algumas imagens e experiências em sua mente, criar algumas âncoras, e no fim, você está mudado. É quase mágico.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Ancoramento, aliás, é uma parte fundamental de PNL. Ser capaz de controlar seus estados emocionais é uma ferramenta muito poderosa. Frequentemente eles farão com que você experimente algo desagradável, e depois experimentar esse situação novamente utilizando uma âncora, como confiança, felicidade ou coragem. Isto mudará completamente sua avaliação desta experiência![/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif][/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Submodalidades[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Submodalidades são as características sensoriais das coisas como você percebe em sua mente. Mudar essas características podem mudar seu estado emocional até certo ponto. Por exemplo, imagens com cores vivas e claras, grandes e perto, tendem a ser mais intensas emocionalmente que imagens apagadas, em preto e branco e de longe.

Medo
[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]É de interesse particular as técnicas para superar o medo. Todo medo realmente é um sinal de aviso de que você está prestes a experimentar algo que está ancorado a sofrimento. Uma fobia é a mesma coisa mas com uma âncora muito mais forte. Então tudo o que você precisa faazer para superar o medo é quebrar essa âncora - mudar os sentimentos que você associou com essa situação. Isto é chamado de "desassociação".[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Então sem mais delongas, aqui está a cura rápida de fobia/trauma através de PNL! Isto é uma técnica de desassociação que alivia medos/fobias e remove resíduos emocionais não desejados de uma situação traumática:[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• arrume um local sem distrações onde você pode se concentrar[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• relaxe[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• se ancore a algo que te dê sentimentos poderosos de confiança, poder, etc.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• se imagine sentado no cinema. Fique um tempo experimentando esta situação em sua mente. Examine a decoração, a tela, as pessoas sentadas ao seu redor.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• escolhe uma situação que você queira desassociar. Para um medo/fobia, se você não sabe qual foi o trauma original que causou seu problema, apenas pense em qualquer vez em que você experimentou os sentimentos indesejados.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• tire uma "foto" dessa experiência e a coloque na tela do cinema.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• durante um tempo, examine as submodalidades da imagem. Altere-as para que a imagem se torne menos intensa (deixe -a mais apagada, em preto e branco, pequena, bem longe, em duas dimensões, e se a perspectiva for a partir de seus próprios olhos, mude-a para que seja da perspectiva de alguém passando, ou um pássaro, ou Deus).[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• agora transforme a foto em um filme onde cada cena tem as mesmas características que a primeira. É importante que o filme não seja sobre algo que você tem medo, mas sobre você experimentando algo de que você tem medo.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• se imagine flutuando para fora de seu corpo para dentro da cabine de projeção, de forma que você esteja olhando de cima para o seu corpo no cinema.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• inicie o filme da cabine de projeção. Lembre-se, você está se vendo sentado no cinema, assistindo um filme.[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• assim que o filme acabar, flutue de volta a seu corpo. Então se imagine voltando para a experiência.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• a primeira vez que esta experiência aconteceu, você foi subjugado pelos sentimentos que esses estímulos te causaram e não pode avaliar a situação apropriadamente. Desta vez, como um observador, volte para a experiência e reavalie-a, vendo como ela foi realmente.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• agora, imagine o filme "rebobinando" em sua mente. Veja todos os eventos acontecendo ao contrário. Quando terminar, pule de volta para o fim e rebobine de novo, mas mais rápido. Continue rebobinando o filme até você conseguir fazer isto no espaço de um segundo, então rebobine de novo na mesma velocidade, mais cinco vezes.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• fique um tempo aproveitando o sentimento de não estar chateado e com medo.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Agora, algumas observações. É essencial que você permaneça imparcial (emocionalmente desligado) durante o filme. Se você sentir que está experimentando o medo, você vai ter que experimentá-lo um pouco até conseguir fazer direito, especialmente se você tiver uma imaginação muito vívida. Lembre-se de ficar em seu lugar no cinema e não se tornar parte do filme até que acabe.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Algumas coisas que você pode tentar:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• brinque um pouco com as submodalidades; as que eu sugeri podem não ser as certas para você[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• se imagine sentado de lado em sua cadeira no cinema, assistindo o filme com o canto de seu olho.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• imagine que seu melhor amigo/pessoa amada está assistindo com você.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• imagine que existem vários palhaços no cinema com você, ou no fundo do filme (não faça isto se tover medo de palhaços).[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• imagine que a pessoa no filme é você mas a pessoa no cinema é um estranho, ou vice-versa.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• imagine que o filme tem legendas e/ou música boba de piano tocando ao mesmo tempo.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• imagine que você está dirigindo em uma estrada e o filme está passando em um drive-in bem longe.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• imagine que a tela está solta e está balançando com o vento.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Seja criativo. Esta técnica VAI funcionar sob as condições corretas, mas é diferente para cada um.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif][/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]A Técnica de Mudança de Crenças[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]PNL tem uma técnica muito rápida de mudança de crenças. É baseada na observação de que sempre que uma crença muda, existe uma transição de estado para estado da seguinte forma:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Convicção -> Dúvida -> Descrença -> Aberto a Nova Crença -> Incerteza -> Nova Convicção[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]e a hipótese de que estes estados podem ser ancorados como qualquer outra coisa. Aqui está o padrão:[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• A técnica envolve seis "estações". Quando você estiver começando isto pela primeira vez, você deve escrever as estações em pedaços de papel e arrumá-las em um círculo para efeito visual. As estações são:[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]o Crença Atual[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]o Aberto a Dúvida[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]o Museu de Velhas Crenças[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]o Nova Crença[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]o Aberto a Acreditar[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]o Local Sagrado[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Quando você estiver fazendo a visualização de que vou falar, assegure-se de que você sinta totalmente a experiência - visual, sonora e toque.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Pare na estação 1 e pense sobre sua crença atual, como se sente.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Vá para estação 2 e pense sobre algo que você duvida, e como isso te faz sentir. Agora pense sobre sua crença alvo e como se sente por duvidar dela.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Vá para estação 3 e pense sobre uma crença que você tinha mas não tem mais, e como se sente em relação a isso. Agora pense sobre sua crença alvo e como se sente por não acreditar mais nela. Enquanto você deixa a estação 3, imagine que você está deixando essa crença para trás, no museu.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Vá para estação 4 e pense sobre a nova crença que quer ter.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Vá para a estação 5 e pense sobre algo que você não acredita mas está aberto a acreditar, e como se sente a respeito disto.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Vá para a estação 6 e pense sobre uma de suas mais sagradas crenças e como se sente em relação a isso. Agora pense sobre sua crença alvo e como se sente sobre isso com a mesma convicção.

O Novo Gerador de Comportamento
[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Uma vez que você se livrar de suas crenças negativas e âncoras, você está pronto para assumir novos comportamentos. Você pode apenas fazer isto praticando, mas você está se arriscando a falhar e se envergonhar fazendo dessa forma, por um certo tempo. O novo gerador de novo comportamento pode ajudar com isto.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• encontre um modelo, seja ele seu "eu ideal" ou alguém que você conheça que já tenha dominado este comportamento.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• se pergunte "que crenças este comportamento precisa para se manter?" Passe por todos os processos de que falei anteriormente se precisar.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Mentalmente ensaie o modelo de fora primeiro, então por dentro, ande um pouco dentro dele, veja através de seus olhos, ouça com seus ouvidos, sinta com seu corpo. Experimente a nova intensidade positiva do comportamento e as recompensas positivas que são ganhas e nas coisas que são evitadas.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Volte para um tempo em sua vida em que você poderia ter aprendido este comportamento e imagine que ele se tornou parte de você, então projete isto para o presente e futuro.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]• Pratique fazer isto várias vezes ao dia até você esquecer de ensaiar mentalmente porque você já vai estar fazendo isso![/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Eu posso pessoalmente recomendar o NGC, porque eu tenho alguma experiência como ator, que é muito similar. Quando eu atuo eu tenho a tendência de me modelar pelo meu personagem antes e depois do palco, e a última vez que estive em uma peça eu percebi várias mulheres gravitando ao meu redor, e tive várias oportunidades de sair com elas. Pena que o efeito não durou, mas é porque eu acreditava muito em minha timidez. Agora eu sei a verdade! =)[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Eu acho que a estratégia de ensaio mental é muito importante mas tendemos a ignorar. Nós frequentemente fantasiamos sobre como vai ser quando encontrarmos alguém importante para nós, mas raramente nos imaginamos abordando pessoas, iniciando conversas e pedindo por telefones, porque essas coisas são dolorosas para nós. Ou se nós imaginamos essas coisas, nós tendemos a ver o pior caso, em que nos sentimos pior. Começando agora, faça um hábito utilizar o GNC, ou pelo menos se visualizar, socializando-se, e lidando com rejeição e vergonha efetivamente.[/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif][/font][font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Conclusão

Bem, isto é tudo. Eu acho que se você reler todas as estratégias de que falei, você vai notar que a maioria delas são rápidas e fáceis. Isso é porque elas atacam a causa do problema, não os sintomas. Agora o que você precisa é de um pouco de motivação para começar a usá-las regularmente. Eu entendo que você tenha razões para ser cético em relação a muita dessas coisas (como PNL por exemplo), mas meu conselho é o seguinte: não confie em autoridades científicas ou qualquer outa pessoa, ou até mesmo em suas crenças, condicionamento e senso comum. EXPERIMENTE-AS, e confie em seus próprios sentidos. Teste-as. Acho que você vai ter uma prazerosa surpresa.[/font]
[font=Arial, Tahoma, Helvetica, FreeSans, sans-serif]Boa Sorte![/font]

ANÚNCIOS

Avatar pua
Sytri - MEMBRO EXCLUSIVO
#802923 Excelente material! valeu mesmo por ter postado, mesmo eu não sendo tão tímido vi umas dicas interessantes.. sempre gostei do material do DeAngelo, aquele teoria de grupos dele me fez mudar bastante a forma como interagia nos sets e melhorou muito em questão de closes..