Área exclusiva para artigos e debates focado a pessoas que estão namorando.
De tudo para saber como AGIR no namoro.
Avatar pua

Criador do tópico

Mac Clark

Aprendiz

#886248 Olá PUAS, gostaria de contribui com vocês um tema que gosto bastante: O amor!

Sou estudante de psicologia e acho interessante o ponto de vista da analise comportamental (Behaviorismo) sobre o amor e paixão. Não irei fazer muito distinção aqui sobre essa diferença entre amor e paixão, deixarei para um futuro post.Vamos lá!! :yaaah

O amor é comportamento! Não é uma coisa sobrenatural. A classe desse comportamento é emocional. O cara esta ficando ou namorando com uma HB, e isso é altamente reforçador para ele (biológico). Sua HB pode vir a reforça-lo com sexo, carinho, palavras bonitas, e estimulo visual (ela em si). Se esse cara tiver privado de afeto por muito tempo é quase inevitável o estado de apaixonamento.

A partir daqui começa o seu inferno emocional, pois tal estimulo (paixão) só “cresce” em você se você se “alto reforçar” (condicionamento operante). Ou seja, o cara fica sensível a musicas românticas, filmes, livros... Ele passa a usar o todo o tempo SMS, facebook, whatsapp... Tudo isso como uma desculpa para continuar a nutrir o sentimento da paixão.

É o condicionamento operante de fato operando... O comportamento opera no ambiente modificando-o e é ao mesmo tempo modificado, ou seja, o cara que manifesta sua paixão, modifica o ambiente ao aumentar a probabilidade de que a HB responda com carícias e juras de amor. Assim o amor enquanto comportamento vai sendo fortalecido de modo que sua frequência de emissão vai aumentando.

E QUANDO SUA HB NÃO QUER MAIS SABER DE VC?

O cara quando está amando, alguns de seus comportamentos reflexos ficam sob o controle dos estímulos gerados pelo comportamento da sua HB. Ao se perder sua HB, perde-se algo importante, o que produz controle aversivo, ou seja, quem perde um amor diz que a perda dói, e isso acontece porque a perda produz punição (controle aversivo). Punição produz todos estes estados emocionais colaterais, que são na verdade exemplos de comportamentos reflexos.

E AS RECAIDAS DO CARA?

Quando perdemos nossa HB nas primeiras semanas senti-se a todo instante uma vontade de estar com sua HB de volta. Pensa em ligar pra ela, ensaia algumas “verdades” pra falar na cara dela se a ver novamente, só fala dela para os amigos, e pensa, pensa e pensa... o apaixonado sofre de pensamentos!
Isso ocorre porque todos os comportamentos que antes eram dirigidos para a HB começam a entrar em extinção. Todo comportamento quando emitido e não reforçado entra em extinção. Mas no início do processo de extinção os comportamentos ao invés de declinarem aumentam de frequência. Por isso no início da perda de um amor se pensa tanto na HB que se separou.

Mas podem ficar tranquilos, pois a cada ocorrência destes comportamentos, se eles não são reforçados, acabam se enfraquecendo, até desaparecerem. Essa é a poderosa mensagem que a psicologia pode dar sobre a perda do amor, pois no início da perda de um amor é normal você se ocupa apenas do amor perdido, e esses comportamentos não reforçados, inevitavelmente entrarão em extinção.

O QUE FAZER PARA O EXTINGUIR O COMPORTAMENTO DE AMOR?

1° Apague as mensagens de SMS, Whatsapp, facebook e outras fontes de contato com sua ex-HB;
2° Evite toda a forma de contado sensorial que lembre sua ex-HB. Ex: Musicas, comidas, fotos ou lugares que frequentava com ela;
3° Sai com amigos, se distrai, invista em você;
4° Se policie com pensamentos e recaídas;
5° Depois de um tempo, quando se perceber mais sereno, reflita tudo de um modo racional, encerre o luto afetivo relacionado a sua Ex-HB;
6° Conheça outras HB’s.


É isso ai PUAS, espero que gostem. :ae

ANÚNCIOS

Avatar pua
c0nd3 - MEMBRO EXCLUSIVO
#886263 Muito bom, a psicologia ajuda muito a compreender o universo dos relacionamentos. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos de psicologia...


abraços by c0nd3