Membros normais não podem criar tópicos mas podem responder tópicos dos veteranos.


Ao atingir mais de 1 ano de cadastro ou envio de mais de 200 mensagens você automáticamente se torna membro veterano e pode postar nessa área.
Avatar pua

Criador do tópico

Nativex

Veterano - nível 10

#918090 Para quem ainda não sabe do que se trata os [color=#BF0000]4C's, dá uma lida aqui:[/color] torne-cara-foda-pegar-mulherada-consequencia-t96238.html

Uma das coisas que percebo, com certa frequência, é a dificuldade que as pessoas têm para escolher seu curso superior, ou qual carreira seguir. A escola não ajuda em nada para nos dar um norte. Testes vocacionais nos dão algumas ideias, mas também não são nada precisos.

O que leva a três grupos de pessoas: as que escolheram o curso errado e mudam de curso no meio do caminho, ou simplesmente abandonam o primeiro; as que escolheram o curso errado, mas resolvem terminar assim mesmo na esperança de conseguirem algum emprego aturável; e as que acertaram o curso. Mesmo assim, os deste último grupo acabam por se fechar naquilo que fazem e não ampliar seus horizontes. Afinal, dificilmente temos um único interesse.

Eu fiz parte do primeiro grupo. É bem difícil acertar de primeira. Mas, felizmente, tive a coragem de não insistir e mudar meu objetivo, pois hoje estou onde eu queria estar.

Para ajudar aqueles que ainda estão em dúvida do que escolher, ou estão insatisfeitos na área que escolheram, eu criei algumas diretrizes para ajudar a nortear essa escolha. Vamos lá.

Em primeiro lugar, liste todas as áreas que te atraem de alguma maneira. Qualquer coisa que você ache legal, ou tenha curiosidade. Não exclua nada nesta etapa, mesmo que seja um desejo remoto, liste-o. Iremos filtrá-los em seguida. Aqui entram qualquer tipo de área, ou interesse, desde culinária ao design de foguetes, de futebol à literatura russa... Idiomas, esportes, hobbies, música, ciências, humanas, habilidades manuais... Enfim, acho que vocês entenderam.

Agora, iremos classificar todos estes interesses em três grupos (habilidades úteis, curiosidades acadêmicas e carreira), explicados a seguir. Usarei os meus interesses já dentro destes grupos para ajudarem na exemplificação, mas isso vai variar de pessoa para pessoa.

-Habilidades úteis: Existem diversas áreas que nos interessam por nos parecerem úteis, ou por serem nossos hobbies. Normalmente, são coisas que achamos legais, acrescentam valor à nossa vida. Contudo, não temos interesse em nos aprofundar academicamente no assunto, ou trabalhar na área. No meu caso: Informática, Culinária, Violão, Forró, Teatro, Rapel.

Ao pensarmos nestas áreas, geralmente sentimos certa empolgação, pois elas costumam ser as mais legais. Então para filtramos devemos responder as perguntas:
• Eu trabalharia feliz no pior emprego desta área? É fácil fantasiar um trabalho foda. Por exemplo, se você gosta de mágica, pode pensar “Cara, deve ser muito massa lotar um teatro e dar grandes espetáculos, tipo o David Cooperfield!”. Mas você ainda estaria feliz se tivesse que fazer festinhas de criança?
• Eu quero aprender tudo sobre esse assunto? Física quântica tem umas paradas bem legais, mas você está disposto a passar por uma porrada de matérias de cálculo antes de chegar lá?

Se você respondeu “não” a estas duas perguntas, mas ainda acha a área atraente, então ela é uma Habilidade Útil. Vale a pena gastar algum tempo para aprender Habilidades Úteis, pois como você não vai se aprofundar tanto, é possível fazer cursos curtos de 3 meses, em média. Costumam, também, serem cursos baratos. Então eles podem ser facilmente conciliados com outras atividades. Mas se seu tempo estiver curto, ou estiver sem grana, adiar esse curso pode ser uma boa opção.

-Curiosidades Acadêmicas: São áreas que você tem muita curiosidade, e sempre procura ler tudo que encontra a respeito. É a área que faz você responder “sim”, a segunda pergunta. Você se vê fazendo um curso superior daquilo. Mas o “não” permanece para primeira. No meu caso: Filosofia, Física, Biologia, e Química.

Eu não teria problema nenhum em fazer as matérias de cálculo. Acho áreas bem legais e quero aprender mais sobre. Contudo, apesar da ideia de trabalhar investigando partículas subatômicas seja tentadora, eu não me vejo dando aulas de física para o ensino médio.

Neste caso, é bom continuar lendo sobre o assunto, assistindo palestras... mas não compensa entrar em um curso superior desta área ainda. Quando você estiver formado na sua área principal, trabalhando e estabilizado, e com tempo livre, aí você volta a cogitar fazer um curso superior.

-Carreira: Como você devem imaginar, é a área que te satisfaz completamente. Você fica empolgado de pensar, quer saber tudo a respeito, e trabalharia feliz em qualquer emprego que encontre na área. E é essa área que deve ser sua prioridade. Faça os cursos que achar necessários e vá trabalhando nas oportunidades que surgirem. Pode ter certeza que, se estiver feliz, logo estará onde você deseja chegar. Minha escolha foi a Psicologia.

Se você chegar até aqui e não tiver sobrado nenhum interesse, continue pesquisando até que encontre algo que atenda estas exigências. Faça outros cursos enquanto isso para não perder tempo. Mas se encontrar a área que será a sua carreira, não hesite em mudar para ela o mais rápido possível.

Porém, se mais de uma área se enquadrou nessa categoria, você tem duas alternativas: É possível cursar as duas áreas paralelamente? Se sim, faça! Se não, pesquise os prós e contras de cada uma e pese isso para te ajudar a escolher uma para se dedicar primeiro.

Como disse no início, listei meus interesses em cada área só como exemplo. Culinária, que eu considero uma habilidade útil, pode ser a carreira dos sonhos de outra pessoa. Não há nada de errado nisso.

Obviamente, este método não é infalível. Mas acredito que possa ajudar bastante aqueles que não sabem o que fazer da vida. No meu caso, eu comecei fazendo cursos de elétrica, pensando que seria um engenheiro. Mas, durante meu segundo curso na área e depois de alguns empregos, eu percebi que era aquilo que eu queria e tentei outras coisas até achar a psicologia.

Hoje, trabalho como eletricista autônomo, ou seja, o curso breve que eu fiz foi suficientemente útil para me garantir um bom emprego e permitir que eu continue me dedicando ao que eu realmente gosto. Portanto, não tenha medo de mudar, você não perde aquilo que você já aprendeu.

Desculpe pelo texto gigante, mas achei que o conteúdo não ficaria bom dividido. Espero que tenha ajudado. Comentário, críticas e sugestões são bem vindos! Semana que vem tem mais [color=#BF0000]4C's
.

Abraços![/color]
estratego22

Aprendiz

#918093 Muito bom jovem! Gostaria de complementar...

Inicialmente eu fiz vestibular de matemática! Motivos: Era bom em matemática e durante a escola tinha o objetivo de ser engenheiro. Entretanto, no último ano de escola vi que era muito bom em matemática e química mas ODIAVA física. Desisti da engenharia e fui cursar matemática. No segundo dia de aula vi que aquilo não era pra mim (ser professor ou pesquisador em matemática) e decidi trocar de curso (tive meio que uma epifania ((epifania é a "sensação de plenitude no entendimento das coisas, é como uma demonstração súbita da grande verdade)) . Apesar disso, NÃO DESISTI imediatamente do curso e conclui o primeiro ano (estudei pouco nesse ano e ainda assim não tirava menos de 8). No ano seguinte fiz o ENEM e ingressei no curso de contabilidade (no início tirei 3, mas depois acertei o prumo - CONTABILIDADE NÃO É MATEMÁTICA!). Hoje, me sinto realizado em meu novo curso e ainda utilizo MUITO a matemática (matemática financeira, estatística, pesquisa operacional...).

O importante aqui é a lição: Ainda que você seja bom em alguma coisa e goste, se não se sentir bem, dispense! Acredite nisso e tenha coragem para mudar! É melhor do que jogar 5 anos da vida estudando algum curso superior e após obter o diploma trabalhar em outra área totalmente diversa.
estratego22

Aprendiz

#918095 Ah, me esqueci! Existem os interesses alheios à profissão. Eu tenho 3 essenciais: filosofia (aqui se inclui também religião, marxismo cultural, política, economia e o essencial de psicologia), estratégia militar (são ensinamentos para a vida) e relacionamentos (o essencial do PUA). Todos esses aspectos contribuem positivamente para a minha vida (aumenta meu nível cultura, eleva minha autoestima e me proporciona conhecimento para fazer menos cagada possível no dia a dia).
Avatar pua

Criador do tópico

Nativex

Veterano - nível 10

#918170 Fala, Estratego! Bão demais?

Pois é, cara. Também sou bom em matemática, por isso achei que a área de exatas seria minha melhor opção a princípio. Mas, como você mesmo disse, foi necessário entrar para eu perceber que não era o que eu queria.

Dificilmente as pessoas têm um ou dois interesses na vida. É comum sermos interessados por diversas coisas. Por isso, criei estas diretrizes, não só pela minha história, mas também pelas ferramentas que adquiri na Psicologia. Acho que, mesmo que só por reflexão, seja um exercício válido.

Valeu, cara! Abraço!
Silveirap

Aprendiz

#918195 Estou em vagando por o forum e me deparo com esse post, e o que posso falar é que foi de muita ajuda, afinal estou cursando 2° ano do ensino médio e até agora não me decidi que caminho seguir, sempre que penso nisso os únicos cursos que me chamam atenção são: Engenharia Civil, Engenharia mecânica, Engenharia de Software, Psicologia e Ciência da computação(Se eu tivesse que escolher hoje seria CC), eu tive que vir aqui te agradecer, mais posts com o tema seria ótimo!
Avatar pua
Cloud Strife

Veterano - nível 7

#918201 Muito bom o post, mas eu por exemplo não sei se escolheria um curso que eu sei que provavelmente não me traria um bom retorno financeiro.

Por exemplo, eu sempre gostei de malhar e esportes e sempre tive bastante interesse na área de Ed. Física mas eu sei que infelizmente é algo que não vai me trazer um bom retorno financeira a não ser que eu seja um dono de academia ou um personal de alguém em particular com um bom poder aquisitivo,

eu acredito que pesa muito na decisão das pessoas o quanto vai valer no futuro o investimento que ela está fazendo atualmente, eu com um curso técnico acredito que meu sálario seja realmente bom e não tenho coragem de investir uma boa grana em um curso que futuramente não vai me render muito além do que eu tenho atualmente, por isso eu viso algo que possa me trazer um grande avanço financeiro, por mais que eu saiba que eu não ame de paixão a área, eu sei que isso pode ajudar para que no futuro eu faça o que eu realmente quero.

Eu concordo sim com o que você disse, realmente ninguém merece trabalhar com algo que realmente não goste, mas eu entendo as pessoas que o fazem quando se pensa pelo outro lado da moeda. Artigo realmente muito bom pra quem está em dúvidas e espero que entenda meu ponto de vista.

Forte abraço !
Avatar pua
Soberbo - MEMBRO EXCLUSIVO
#918211 Ótimo artigo! Infelizmente eu preciso continuar na minha área de atuação, não por ser fanático por dinheiro (tenho um emprego que dá um bom salário mas isso por si não me traz felicidade) mas por que quero morar num lugar decente, e no Rio tá foda até pra comprar casa em favela rsrs

Mas é uma boa orientação pra quem tá começando a pensar na carreira
Avatar pua

Criador do tópico

Nativex

Veterano - nível 10

#918553 Valeu, galera!

Cloud Strife escreveu:Muito bom o post, mas eu por exemplo não sei se escolheria um curso que eu sei que provavelmente não me traria um bom retorno financeiro.

Por exemplo, eu sempre gostei de malhar e esportes e sempre tive bastante interesse na área de Ed. Física mas eu sei que infelizmente é algo que não vai me trazer um bom retorno financeira a não ser que eu seja um dono de academia ou um personal de alguém em particular com um bom poder aquisitivo,

eu acredito que pesa muito na decisão das pessoas o quanto vai valer no futuro o investimento que ela está fazendo atualmente, eu com um curso técnico acredito que meu sálario seja realmente bom e não tenho coragem de investir uma boa grana em um curso que futuramente não vai me render muito além do que eu tenho atualmente, por isso eu viso algo que possa me trazer um grande avanço financeiro, por mais que eu saiba que eu não ame de paixão a área, eu sei que isso pode ajudar para que no futuro eu faça o que eu realmente quero.

Eu concordo sim com o que você disse, realmente ninguém merece trabalhar com algo que realmente não goste, mas eu entendo as pessoas que o fazem quando se pensa pelo outro lado da moeda. Artigo realmente muito bom pra quem está em dúvidas e espero que entenda meu ponto de vista.

Forte abraço !


Fala, Cloud Strife! Cara, te entendo perfeitamente! Meu objetivo com o artigo não é julgar quem opta por algo mais rentável, mas ajudar a galera a pensar sobre o assunto. Entendo seu raciocínio de "custo/benefício", também uso esse mecanismo para muitas das minhas decisões. Só lhe aconselho a tentar achar alternativas tanto para o custo, quanto para o benefício. Por exemplo, "é muito inviável um faculdade federal, onde os custos são menores?"; "Existem outras formas para eu atuar na área?"; "Por que não abrir uma academia?"

Vou postar um artigo sobre empreendedorismo em breve, talvez lhe interesse!


S0berb0 escreveu:Ótimo artigo! Infelizmente eu preciso continuar na minha área de atuação, não por ser fanático por dinheiro (tenho um emprego que dá um bom salário mas isso por si não me traz felicidade) mas por que quero morar num lugar decente, e no Rio tá foda até pra comprar casa em favela rsrs

Mas é uma boa orientação pra quem tá começando a pensar na carreira


Sei como é isso, Soberbo! Tudo tem um custo, né? Mas sempre existem alternativas, cara. Não deixe de refletir sobre o assunto. Dentre os temas dos meus artigos futuros estão: controle financeiro, rendas alternativas, empreendedorismo, entre outros temas que talvez possam te interessar. Lhe convido a acompanhá-los.

É isso aí, galera! Abraços!