Aqui é aonde Arquivamos as discussões e debates do PUABASE.
Apenas Membros VIPS
Organização sempre!

Criador do tópico

RamonCabral

Aprendiz

#1005988 Boa madrugada camaradas.
Antes de tudo quero lembrar que essa tecnica pode ser usada pra varios fins, como sedução, inseguranças e por ai vai.
A muito tempo tinha lido esse artigo e hoje resolvi compartilhar com vocês, espero que possa ser de grande ajuda e deixarei o site do artigo original, tem muito mais artigos la que podem ajudar bastante.


“Quando nós nos fundimos com os nossos pensamentos, eles tem muito impacto e influência sobre nós. Mas quando nós realizamos a desfusão cognitiva…então os pensamentos passam a ter pouco ou nenhum efeito” (Russ Harris).

Olá amigos!

É engraçado como é comum a identificação do que pensamos com quem somos. Esta identificação chega a tal ponto que algumas pessoas tem medo de ter certo tipo de pensamentos, ou porque isso significaria que são necessariamente pessoas ruins ou porque imaginam que pensar é o mesmo que acontecer.

Ora, pensamentos são apenas pensamentos. Podemos pensar algo sobre o futuro e isso não vai acontecer de maneira necessária, certo? Se pensarmos algo que é contrário ao que acreditamos, também, isso não vai significar que estamos adotando uma nova crença ou que o pensamento pensado diga sobre o nosso valor.

A filosofia de Descartes, nos livros Meditações e Discurso sobre o método, vem sendo apontada – erroneamente – como uma precursora deste tipo de associação entre o pensamento e quem somos. Afinal, a famosa frase: “penso, logo sou” (Cogito, ergo sum) uniria o pensamento com o ser. Porém, o que Descartes quer dizer é que a habilidade de pensar é que o faz um ser existente. Não o pensamento em si. Se ele pensa que há um gênio maligno ou se ele pensa que há um Deus que sela a verdade, em certo sentido, tanto faz. O que faz dele um ser à parte não é o que ele pensa, mas sim o fato de que pensa.
Tudo isso pode parecer meio abstrato ou sem sentido, mas tem toda relação com a nossa vida. Imagine alguém que pensa:

“Eu sou uma pessoa que não é digna de receber amor”.

Esta frase, dita ou pensada, é apenas um pensamento. Porém, se a pessoa se identifica com o conteúdo da frase, ela estará se fundindo com o pensamento. Como é uma frase negativa, digamos assim, os efeitos serão prejudiciais para a sua vida. E não somente os efeitos de longo prazo… o próprio fato de pensar e acreditar trará sensações corporais desagradáveis.

A terapia de aceitação e compromisso, uma das mais modernas linhas de psicologia, derivada da psicologia comportamental e cognitiva, entende que pensamentos negativos como esse são comuns, em todos nós. Talvez ajude praticar auto-afirmações, aprender a pensar de maneira mais positiva, construtiva, empreendedora. Entretanto, de tempos em tempos pensamentos ruins, negativos, que nos colocam para baixo tornam a aparecer e a reaparecer. E porquê?

Bem, é curioso pensar que somos animais. E compartilhamos com os outros mamíferos um sistema cerebral, anterior em evolução ao córtex cerebral, que age de uma forma que podemos chamar de instintiva. Em certas circunstâncias, e visando a sobrevivência, o esquema luta-fuga é ativado. É como se estivéssemos em uma selva e um perigo fosse avistado: o corpo gera adrenalina e ou fugimos ou lutamos. Óbvio que o comportamento, em si, não precisa ser exposto. A sensação de luta ou fuga, entretanto, é sentida internamente.

A luta pode ser sentida como raiva, ódio, vontade de brigar, bater, xingar, enquanto a fuga pode ser sentida como tristeza, melancolia, recolhimento, vontade de ir embora, ficar isolado, etc.

Mas, em momentos como esse, e em outros momentos em que pensamentos indesejáveis aparecem, podemos dar um passa atrás e nos desidentificar com o que estamos pensando. A desidentificação, na ACT, terapia de aceitação e compromisso, é chamada de desfusão cognitiva.

O que é desfusão cognitiva?

Em síntese, entendemos que a desfusão cognitiva é a habilidade de se afastar dos próprios pensamentos. Como se o pensamento fosse um objeto que está em nosso ambiente, como essa mesa, essa cadeira ou esse sofá. Assim como não confundimos quem somos com essa mesa, essa cadeira ou esse sofá, passamos a ter a capacidade de não confundir quem somos com o que pensamos.

Para mostrar como é a desfusão cognitiva, procure fazer os exercícios abaixo. A maioria das pessoas sente a diferença e pode se beneficiar desta prática.

Exercício 1: Eu estou tendo o pensamento…

“Traga a mente para um pensamento que está te incomodando, aparece com frequência e talvez te impeça de ter a vida que quer. Pode ser talvez um pensamento negativo sobre você, parecido com:

“Eu não posso”
“Eu não sou inteligente o bastante, bom o bastante…”

1) Silenciosamente, diga esta pensamento para você, acreditando tanto quanto você puder e notando os efeitos que este pensamento tem.

2) Agora, pense novamente o pensamento, mas insira a frase antes do pensamento:

“Eu estou tendo o pensamento que… (eu não posso) ou (eu não sou inteligente o bastante, bom o bastante…)

3) E, agora, pense novamente o pensamento, com esta frase antes:

“Eu noto que eu estou tendo o pensamento de que…”
Portanto, há a sequência

1) Pensamento X
2) Eu estou tendo o pensamento X
3) Eu noto que estou tendo o pensamento X

Exercício 2: cantando o pensamento

Outra possibilidade para criar distância dos pensamentos é:

1) Pensamento X
2) Cantar o pensamento X com o mesmo ritmo que você canta “Parabéns para você”.

Exercício 3: vozes engraçadas

E, ainda, outra possibilidade é fazer a sequência:

1) Pensamento X
2) Modificar a voz (em sua cabeça) por uma voz engraçada, como o voz do Pato Donald ou de alguém famoso cuja voz seja estranha ou diferente.

Conclusão
Se você fez os exercícios acima, terá provavelmente notado que os pensamentos acabam se tornando mais distantes ou mais separados de quem nós somos, como se disséssemos:
“Este é um pensamento que estou tendo agora. Estou notando que estou tendo este pensamento agora. E é só um pensamento”.
A vantagem é que os pensamentos passam a incomodar menos, causam menos sentimentos negativos e, além disso, podemos passar a pensar em qualquer coisa (e até melhorar a nossa lógica).

http://www.psicologiamsn.com/2015/07/o-que-e-desfusao-cognitiva-distancie-se-dos-pensamentos.html
Avatar pua
yurimpp

Veterano - nível 9

#1006018 Realmente muito interessante esses exercícios. Na teoria parece fazer muito sentido.

Vou coloca-lo em prática e ver se há alguma alteração para mim.
Abraço :ae
Avatar pua
AndreyB

Veterano - nível 3

#1006024 Gostei do texto, mas não acredito que os exercícios funcionem, pelo menos pra mim. Mas podemos ter uma desfusão cognitiva usando PNL, eu mesmo usei para passar em uma prova prática de autoescola, eu transmiti um sentimento para um gesto que eu fazia, um gesto discreto, e eu conseguia resgatar aquela sensação boa para esquecer o nervosismo da hora e acabei passando depois de ter rodado muitas vezes antes. Valeu!
Avatar pua
bielx3

Veterano - nível 9

#1006038 Belo artigo, do jeito dos que gosto abordando psicologia, já usava uma dessas tecnicas de afastar pensamentos de minha pessoa, vou da uma conferida nesse site pra vê se tem mais infos boas :ajoelhar

Criador do tópico

RamonCabral

Aprendiz

#1006259
bboytchili escreveu:Muito bom mano. Resulta sim. Capacidade imensa cognitiva que temos.


Com certeza, nossa mente tem um poder magnifico

Aomine escreveu:Exatamente o que eu vinha pensando a algum tempo.
Seu topico me ajudará bastante, Obrigado!


Tamo junto irmão \m/

yurimpp escreveu:Realmente muito interessante esses exercícios. Na teoria parece fazer muito sentido.

Vou coloca-lo em prática e ver se há alguma alteração para mim.
Abraço :ae


Boa sorte irmão :ae

AndreyB escreveu:Gostei do texto, mas não acredito que os exercícios funcionem, pelo menos pra mim. Mas podemos ter uma desfusão cognitiva usando PNL, eu mesmo usei para passar em uma prova prática de autoescola, eu transmiti um sentimento para um gesto que eu fazia, um gesto discreto, e eu conseguia resgatar aquela sensação boa para esquecer o nervosismo da hora e acabei passando depois de ter rodado muitas vezes antes. Valeu!


São duas ótimas tecnicas, usei varias vezes na minha ex e teve ótimo resultados, TMJ!

Mr. Ricochete escreveu:Muito bom.. Partiu testar !
Abraço xará! :louco


:rolf :yaaah Tamo junto

bielx3 escreveu:Belo artigo, do jeito dos que gosto abordando psicologia, já usava uma dessas tecnicas de afastar pensamentos de minha pessoa, vou da uma conferida nesse site pra vê se tem mais infos boas :ajoelhar


Recomendo muito esse site, além de tudo a varios cursos gratis.
Avatar pua
LH95

Aprendiz

#1006550 Muito boa a técnica, psicologia sendo sempre foda!! hauhauah, ainda vou me formar nesse curso =). Valeu pela contribuição, mais uma técnica pro catálogo!!! Abraços.
Kïng

Pickup Artist

#1006687 Pelo o que pude notar, você dá vivência ao pensamento e logo em seguida o reconhece como algo fútil. Interessante.