Artigos e Técnicas com base em PNL ou Hipnose.
Não necessariamente voltada a sedução
Avatar pua

Criador do tópico

moraess

Veterano - nível 9

#591474 Tenho algumas dúvidas quanto a técnica de espelhamento, pra construir rapport. Você, quando está "espelhando" alguém, porfavor me corrijam se eu estiver errado, mas pelo menos pra mim, da a ideia de que eu nao estou sendo eu mesmo, que eu estou "reduzindo meu valor" quanto a pessoa. Como se eu a fosse seu "pela-saco". Porque eu tenho que espelhar seus movimentos, e não o contrário ? A pessoa, inconcientemente, copiar meus movimentos, por ela sentir admiração por mim, por eu ter uma personalidade forte ? Isso me gerou muitas dúvidas, eu estou iniciando meus estudos na pnl agora, então me perdoem qualquer erro que eu possa vir a cometer.

E outra dúvida, se eu estou num grupo de pessoas, como vou espelhar todas elas ? E espelhamento seria só na linguagem corporal, ou no tom e na velocidade da voz ? E caguetes que a pessoa possa a vir ter, como falar muito "Tipo..." ou "Tipo assim...", por exemplo.

Bom, espero que tenham conseguido entender meu ponto de vista.

ANÚNCIOS

Avatar pua
Lennon_

MEMBRO PROFISSIONAL

#591487 Primeiro, não leve ao pé da letra, aonde tem cara que espelha até os batimentos cardiácos da pessoa.

A sincrozinação/espelhamento, serve para criar rapport mais rápido, na fase de acompanhamento. Sim, a pessoa não só pode te imitar, como ela vai, mas isso, só na fase de condução

'Acompanhar e conduzir'
essa é a regra. Primeiro, você acompanha, depois, conduz.

E em um grupo de pessoas, digamos que, hipoteticamente, estou eu e mais 3 pessoas conversando, a pessoa X, a pessoa Y e a pessoa Z.

Na interação, percebo que a pessoa X constantemente coça a ponta do nariz - esse movimento, eu poderia sincronizar, tanto por coçar meu nariz também (sincronização espelhada), tanto por coçar qualquer outra parte do meu corpo, no mesmo ritmo que ela coça o nariz (sincrozinação cruzada).

Nessa mesma interação, percebo que a pessoa Y usa o sistema representacional auditivo, e usa constantemente a palavra 'sim' (vicio de linguagem). Logo, eu posso começar à usar predicados auditivos toda vez que me referir à pessoa Y, abusando também, desse vicio de linguagem (sim).

Então, percebo que pessoa Z fica mexendo a perna direita constantemente, em um ritmo moderado. Para sincronizar, eu poderia optar pela sincronização espelhada, mexendo minha perna direita também, no mesmo ritmo, ou, pela sincronização cruzada, podendo aderir à uma ação semelhante à pessoa Z, como ficar batendo com a palma da minha mão na minha coxa, no mesmo ritmo que essa pessoa mexe a perna.

Esses 'cacoetes' que você se referiu, se chama vicio de linguagem. Sim, podem também ser sincronizados, mas com cuidado. Se você exagerar, a pessoa pode achar que você esta debochando dela.
Avatar pua
Instint0

MEMBRO PROFISSIONAL

#591513
Lennon_ escreveu:Primeiro, não leve ao pé da letra, aonde tem cara que espelha até os batimentos cardiácos da pessoa.

A sincrozinação/espelhamento, serve para criar rapport mais rápido, na fase de acompanhamento. Sim, a pessoa não só pode te imitar, como ela vai, mas isso, só na fase de condução

'Acompanhar e conduzir'
essa é a regra. Primeiro, você acompanha, depois, conduz.

E em um grupo de pessoas, digamos que, hipoteticamente, estou eu e mais 3 pessoas conversando, a pessoa X, a pessoa Y e a pessoa Z.

Na interação, percebo que a pessoa X constantemente coça a ponta do nariz - esse movimento, eu poderia sincronizar, tanto por coçar meu nariz também (sincronização espelhada), tanto por coçar qualquer outra parte do meu corpo, no mesmo ritmo que ela coça o nariz (sincrozinação cruzada).

Nessa mesma interação, percebo que a pessoa Y usa o sistema representacional auditivo, e usa constantemente a palavra 'sim' (vicio de linguagem). Logo, eu posso começar à usar predicados auditivos toda vez que me referir à pessoa Y, abusando também, desse vicio de linguagem (sim).

Então, percebo que pessoa Z fica mexendo a perna direita constantemente, em um ritmo moderado. Para sincronizar, eu poderia optar pela sincronização espelhada, mexendo minha perna direita também, no mesmo ritmo, ou, pela sincronização cruzada, podendo aderir à uma ação semelhante à pessoa Z, como ficar batendo com a palma da minha mão na minha coxa, no mesmo ritmo que essa pessoa mexe a perna.

Esses 'cacoetes' que você se referiu, se chama vicio de linguagem. Sim, podem também ser sincronizados, mas com cuidado. Se você exagerar, a pessoa pode achar que você esta debochando dela.

Ta ai.

Em experiencia que tive de espelhamento, aconteceu de depois de alguns minutos acabei sedo espelhado, antes eu que repetia certos movimentos, acabei sendo copiado.
Avatar pua

Criador do tópico

moraess

Veterano - nível 9

#591615 Obrigado pelo feed Lennon. Eu devo sempre começar uma relação acompanhando ? E quando eu sei que é a hora certa de fazer a transição de acompanhamento pra condução ? E quando eu estiver conduzindo, não preciso mais espelhar ? Porque se eu permanecer muito tempo acompanhando vou parecer um pela saco, certo ?
Avatar pua
Lennon_

MEMBRO PROFISSIONAL

#591628
moraess escreveu:Obrigado pelo feed Lennon. Eu devo sempre começar uma relação acompanhando ? E quando eu sei que é a hora certa de fazer a transição de acompanhamento pra condução ? E quando eu estiver conduzindo, não preciso mais espelhar ? Porque se eu permanecer muito tempo acompanhando vou parecer um pela saco, certo ?


Sim, sempre se deve começar acompanhando, senão, você nunca conseguirá conduzir.

A hora certa, é quando você percebe pela BL do interlocutor. E se você perceber que ele esta imitando alguns de seus movimentos, é porque você já pode conduzir. Para testar isso, geralmente, eu fico constantemente coçando meu nariz. Depois de um certo tempo, o interlocutor também passa à fazer isso - claro, em intervalos maiores.

Sim, você precisa espelhar enquanto conduz. Se você permanecer a interação inteira só acompanhando, não vai parecer um 'pela-saco'; pelo contrário, o espelhamento cria rappot, faz a pessoa gostar de você. Entretanto, se tu tem algum objetivo defiinido na interação, aonde você precisa do auxilio do interlocutor, é obvio que você vai precisar conduzir. Entretanto, quando eu estou só socializando, eu não conduzo ninguém, só 'acompanho'. Geralmente, em todas as minhas interações diárias, eu sincronizo com todo mundo e, quando preciso ganhar a confiança de alguém mais rapidamente, posso pensar em falar no mesmo canal perceptivo (VAC).
Avatar pua

Criador do tópico

moraess

Veterano - nível 9

#591643
Lennon_ escreveu:Sim, sempre se deve começar acompanhando, senão, você nunca conseguirá conduzir.

A hora certa, é quando você percebe pela BL do interlocutor. E se você perceber que ele esta imitando alguns de seus movimentos, é porque você já pode conduzir. Para testar isso, geralmente, eu fico constantemente coçando meu nariz. Depois de um certo tempo, o interlocutor também passa à fazer isso - claro, em intervalos maiores.

Sim, você precisa espelhar enquanto conduz. Se você permanecer a interação inteira só acompanhando, não vai parecer um 'pela-saco'; pelo contrário, o espelhamento cria rappot, faz a pessoa gostar de você. Entretanto, se tu tem algum objetivo defiinido na interação, aonde você precisa do auxilio do interlocutor, é obvio que você vai precisar conduzir. Entretanto, quando eu estou só socializando, eu não conduzo ninguém, só 'acompanho'. Geralmente, em todas as minhas interações diárias, eu sincronizo com todo mundo e, quando preciso ganhar a confiança de alguém mais rapidamente, posso pensar em falar no mesmo canal perceptivo (VAC).


Essa transição ocorre quando eu percebo que o interlocutor está copiando a minha linguagem corporal, então isso ocorre naturalmente, mesmo eu espelhando ele, naturalmente ele vai começar a copiar minha linguagem corporal ? E o que vai mudar nas minhas atitudes quando eu estiver conduzindo, o que eu vou ter que fazer de diferente ? Se eu já estou conduzindo, porque continuar espelhando ?