Assuntos não relacionados ao tema principal do fórum.

Criador do tópico

Soho - MEMBRO EXCLUSIVO
#935531 Galera,

Ando acompanhando bastante os relatos e técnicas de aproximação. Fazia um tempo que havia absorvido um certo conhecimento, fui para campo, parei, voltei, parei, voltei... As vezes o trabalho me exige um tanto mais de atenção e acabo deixando um tanto de lado o "pua-side".

Andei retomando há pouco tempo e reparei umas das dicas de ações seguidas de consequências em específico, não andam acontecendo direito desde que comecei no mundo pua: Depois do opner, introduzir ela na conversa, criar todo o ambiente para lançar o: Chega de falar de mim, vamos falar de vc :parabens , o que vc gosta de [comer,fazer,não fazer,fez, deixou de fazer, é, não é, whatever], ou o: Mas eai, o que você [qualquer coisa]?

No começo, mais de 70% são muito diretas e não trazem ganchos para manter o ritmo da conversa, 10% "enriquecem" a resposta porém não fornecem ganchos necessários para manter a conversa, são quase anzóis para peixe pequeno que muitas vezes largo para não manter uma conversa "entediante" e não perder o peixe.

Em cenários em que o peixe já está mais fishgado, ainda assim, quando utilizo este artifício, as resposta são bem vagas e ainda assim, bem diretas.
Para piorar, uma garota que ja fiz FC umas 5x (parece que na verdade o cupido fincou uma lança de portão nela) não consigo manter uma conversa descente com ela, sempre respostas vagas sobre ela, até o convite para o FC é bem direto, é quase um "bora".

Nos próprios relatos de campo, as respostas das garotas para os Puas escritas pelos próprios Puas são muito vagas (basta conferirem ou relembrarem de algumas escutadas), claro... As vezes é desnecessário escrever tudo que elas falam, mas pelo próprio contexto do relato, pode-se notar que em muitos casos, as respostas são vagas e curtas.

Considerando isto, será que no cenários do Brasil, esta teoria não se enquadra? O que vocês acham? Dêem sua opnião e sua experiência para colaborar com a enquete para que possamos refinar nossas ações e aprimorar nossos resultados :ae

ANÚNCIOS

alexisonfire

Veterano - nível 5

#935555 Na minha experiencia, elas adoram falar de si mesmas. É claro que quando me refiro a elas, refiro-me a maioria com qm tive interaçao.
Sempre faço a teoria do juggler, no inicio vc tem q proporcionar 90% da conversa. Quando se criar conforto, isso tende a inversao. Pelo menos é o que realmente acontece comigo!
Avatar pua
Mundodoshomens

Aprendiz

#936101 Verdade cara Mulher ama falar dela mesmas mais como O Julien disse a conversa tem que fica 50% a 50% o que adianta o cara perguntar do que ela gosta e ficar concordando todo o
Avatar pua
Mundodoshomens

Aprendiz

#936102 que ela fala pra conversa ficar boa o cara tem que ta bem falar do interesse dele ta bem fica que nem o robo aceitando tudo o que ela fala e depois se pergunta porque fica na zona de amizade
Boa sorte pua Soho
Avatar pua
PeaceinWar

Veterano - nível 9

#936125 Cara, primeiro que começar com uma pergunta é muito morno, muito habitual, eu adoro usar um estereótipo com um pingo de sarcasmo, por exemplo:
Se ela tiver cara de nerdzinha "Você tem cara de quem assiste [Nome de uma série], deitada enquanto come [nome de algo gostoso e popular(chocolate,pipoca,sorvete,bala de goma)] e/ou lê [Livro] (Gosto muito de crepúsculo e 50 tons, mas podem optar por outros best sellers que ''sejam dvi") (Gosto de usar essas que fazem mt sucesso no público feminino, Supernatural, Shield, Vampire Diaries ou qualquer outra série que faça sucesso por aí, cuidado pra não usar uma muito nerd como big bang theory ou algo assim, tente usar algo que suas amigas ou hb's realmente assistiam e q vc tenha o conhecimento básico, é ideal pra quem não assisti e usar como um neg, como se ela assistir isso fosse um dvi)

Se ela for muito sarada : "E aí, o que você faz com as 6 horas do seu dia que sobram depois das 10 horas de sono, 4 horas da academia e outras 4 pra manter a dieta?"

Usar esses estereótipos é fantástico e são diversos os exemplos, quando você entra com um estereótipo negativo ela sente como um neg e entra numa fase de qualificação, ou ela aceita e acontece o rapport. É uma tática realmente muito boa e eu uso o tempo todo, com curso da faculdade, camisa de banda, celular, literalmente qualquer coisa que eu consiga.

Após essa fase que ela começa a se qualificar você já deve ter gerado a atração, aí você entra em fase de conforto, buscando rapport e como o alexisonfire disse invertendo a dinâmica da conversa, finja que entende e conhece ela e tudo mais, eu deixo pra conhecer de verdade a gata depois do kc ou se n der fc no day 1 no day 2, o que faz com que pareça que além de algo carnal vocês tem muito em comum, isso deixa a gata muito a vontade pra fazer o que quer e o que não faria com outro que não gerasse a mesma segurança dela.

Em suma, é obvio que a maioria das hb's, até as que adoram falar sobre elas mesmas vão sair por aí desabafando com um estranho em quem elas não confiam, então é necessário que você crie uma imagem sua pra ela, pra que ela fale dela e ache que te conhece, depois você quebra sua imagem pra que não você não seja previsível, com um q de mistério, mas isso é um game muito avançado, no dia a dia você morre depois do ensaio de atração, conforto, tensão sexual, isso é algo mais pra relacionamento...

Abraço, Keep Sarging!