Relatos pessoais, artigos, textos e vídeos para motivar qualquer um.

Criador do tópico

kaufman

Veterano - nível 5

#946823 Fala, rapaziada! Compartilho com vocês o texto que escrevi para o blog www . nabarbearia . b-l-o-g-s-p-o-t . com , sobre a urgência que temos em sermos donos do nosso destino.

Boa leitura!

Já deve ter caído no seu colo aquela promoção de pacote de viagem imperdível, ou um flyer de uma balada que você sempre quis ir. E adivinha? Você não foi! Não por falta de grana ou de tempo, mas porque você estava sem companhia.

Hoje em dia, por questões profissionais, é comum as pessoas não morarem nas suas cidades de nascimento e se mudarem de cidade mais de uma vez. Isso gera aquela ansiedade e expectativa quanto às pessoas que vão cruzar o seu caminho. Então, você passa a se relacionar com as pessoas do trabalho, seus vizinhos e quando as pessoas já confiam em você, elas te apresentam aos amigos dela.

Esta é uma situação ideal, pois estou considerando que você seja sociável, trabalhe ou estude com pessoas que se pareçam com você e que haja disponibilidade e entrega da sua parte e das pessoas que convivem com você.

O mundo está acostumado a se relacionar desta forma, contando com as combinações aleatórias do destino através de uma postura passiva diante das possibilidades que a vida lhe apresenta.

O fato é que quando você muda de cidade, acaba encontrando vários grupos formados de pessoas que já se conhecem há anos. Não precisa nem dizer que a preferência e a confiança destas pessoas está depositada nos velhos amigos e nos hábitos que não costumam falhar. Some isso à timidez, medo do novo, dificuldade em lidar com a avaliação dos outros e teremos poucos novos arranjos sociais.

Muito bem, você olha em volta e vê tudo isso cristalizado. Mas não se desespere! Se hoje não há alguém pra te acompanhar no role, se leve pra passear. Isso mesmo! Vá expor a sua figura na rua. Essa atitude pode fazer muito por você.

A primeira revolução que acontece dentro da gente quando adotamos esta postura é a adoção da crença de que a nossa diversão só depende da gente. Sozinhos passamos a reparar mais no ambiente, reparamos na música, na bebida, no jeito que as pessoas olham pra gente e pensamos no que elas estão pensando sobre o fato de termos chegado sozinhos àquele lugar.

Mas vou te contar um segredo, se você não disser, elas nunca saberão que você está sozinho. Esse é um tipo de liberdade. Você está livre para entrar e sair do role sem abrir a boca e mesmo assim se divertir com a cerveja, a música e a comida. Bem como, está livre para contrariar o seu destino e tomar atitude de falar com estranhos sobre a cerveja, a banda que está tocando ou qualquer coisa que você julgue conveniente compartilhar. Pois, o importante aqui é se expor, de modo que as pessoas possam trocar figurinhas com você.

E sua noite foi um sucesso! Você bebeu, dançou e interagiu com vários grupos, compartilhando das histórias deles e contribuindo para aquele ambiente de descontração. Sua cabeça parece ter o peso de uma pluma quando coloca a cabeça no travesseiro e você sente um prazer revigorante pulsando nas suas veias.
O mesmo se aplica às viagens sozinho para aproveitar aquele pacote de viagem imperdível que chegou no seu email. Você entende que a coisa mais importante no mundo é a sua realização através de experiências interessantes, e dá aquele clique em comprar. Pronto! #partiu

Lógico que dá aquele frio na barriga, pois você vai depender só das suas escolhas. Haverá imprevistos e improvisos. Mas agora você já tem a chave mestra, que é a qualidade da sua exposição. Já sabe o poder do sorriso, do abraço e da entrega do ser humano interessante que você é.

Essa mudança de postura, seja saindo na sua cidade ou partindo em viagem é uma jornada de auto conhecimento através do contato com as pessoas. Ela te revela a qualidade das suas atitudes perante as pessoas e te mostra que você é só mais um na multidão, e suas gafes, os foras e tudo de constrangedor que acontecer não vai virar manchete de jornal. Tudo isso será esquecido assim que as pessoas dobrarem a esquina. E a única coisa que permanece é a chama que você despertou no seu interior que queima pela realização dos seus desejos, com simplicidade, gentileza e respeito às pessoas.

Quando você resolve correr atrás das coisas que te fazem bem até aquela visão, de que o mundo a sua volta está cristalizado, se altera. Porque nesse ponto você não é amais o mesmo e agora você pode reavaliar as suas entregas e oferecer novos elementos da sua personalidade que podem estabelecer novos tipos de laços.

Não vou mentir pra você, a água é bem gelada e incômoda, mas depois que você pula na piscina, acaba se acostumando com a temperatura da água.

ANÚNCIOS

Avatar pua
M.Omega

Aprendiz

#946986 Texto fantástico meu caro. Recentemente me mudei pra Goiânia, tinha apenas um parente por aqui e mais nenhum conhecido. Hoje, nesses 6 meses passados, construi laços e descobri novas pessoas surpreendentes. No entanto, todos já tem suas vidas, seu trabalho, seu grupo de amigos, sua rotina, seus gostos. Mesmo diante do medo, não me contive e comecei a sair sozinho. Não há nada igual. É incômodo, gelado, mas incrível, é o melhor banho que se pode tomar.

Outro ponto a se acrescentar seria a nova visão quanto as pessoas que te cercam. Percebi o quanto algumas, com seus hábitos inconscientes e crenças, interferem no meu mundo. E como ser capaz de se manter firme e coerente com suas escolhas, gostos e personalidade, é importante. Você influência outras pessoas e quando tem o controle de si mesmo, do seu destino, vocês as influência, não mais é um mero influenciado.

Por fim, você nasce e morre sozinho, desfrutar dessa sensação a cada dia é frio, incomodo, doloroso. Mas como nascer e morrer, é preciso.

Criador do tópico

kaufman

Veterano - nível 5

#947006 Valeu pelo feedback! É exatamente esse o espírito! Comecei a sair sozinho, dominei meus monstros e parti pra um mochilao na europa.

Hoje consigo alterar inclusive aquilo que eu achava que estava cristalizado.

Grande abraço!