Relatos pessoais, artigos, textos e vídeos para motivar qualquer um.
Avatar pua
dieguim288

MEMBRO PROFISSIONAL

#747955 Cara, me arrepiei lendo aqui, sensacional velho, todos ja tivemos esta paixãozinha de escola, eu quando tinha uns 6 anos tinha uma namoradinha também, era minha vizinha, a gente andava de mão dada e era bonitinho, mas ai eu mudei de casa e fiquei mais de 10 anos sem ver ela, quando eu com meus 20 anos e ela com 19 me adc no facebook e fala quem era, meu deus, eu abri um sorrisinho na hora ao relembrar todos os momentos e já comecei a conversar com ela, chamei ela pra sair, tomamos um sorvete e mais nada, saimos outras vezes e falei que ela era minha paixãozinha de criança, ela sorriu e eu a beijei, ficamos por algum tempo mas não deu certo, ela foi pra fora da cidade fazer faculdade, mas tudo bem.

Agora sobre as lições, eu tenho um artigo aqui que fala que tudo o que eu aprendi foi no jardim de infancia. "Bem, grande parte do que eu realmente preciso saber sobre a vida, o que fazer, como ser, eu aprendi no jardim da infância.

Não foi na universidade nem na pós-graduação que eu encontrei a verdadeira sabedoria, e sim no recreio do jardim da infância. Foi exatamente isto que aprendi: compartilhar tudo, brincar dentro das regras, não bater nos outros, colocar as coisas de volta no lugar onde as encontrei, limpar a própria sujeira, não pegar o que não era meu, pedir desculpas quando machucava alguém, lavar as mãos antes de comer, puxar a descarga do banheiro.

Também descobri que café com leite é gostoso, que uma vida equilibrada é saudável e que pensar um pouco, aprender um pouco, desenhar, pintar, dançar, planejar e trabalhar um pouco todos os dias, nos faz muito bem. Tirar uma soneca todas as tardes, tomar muito cuidado com o trânsito, segurar as mãos de alguém e ficar juntos, são boas formas de enfrentar o mundo.

Leia Mais sobre O que aprendi? 7 anos de pua e 2 de puabase. no www.puabase.com"

Temos que dar a tapa e sermos corajosos, acreditar em a gente mesmo, que podemos sempre ser melhor do que somos, afinal vou la falar com ela ou esperar alguem comer ela primeiro?

ANÚNCIOS

Avatar pua
Riker.T - MEMBRO EXCLUSIVO
#748243 Prezado # T7 #,

Creio que todos tivemos nossa "paixonite" de infância, a minha chamava-se, Sandra, apesar do tempo, lembro-me de seu rosto bonito, seu jeito "muleque" e sua risada contagiante. Vai haver uma grande disparidade sobre os feeds que recebeu, porque sou bem mais velho, você já sabe, tenho 45, ela também.

Cara, não sei dizer o motivo, mas como ela esta "acabada", de alguém tão "lindinha" e legal, transformou-se em alguém tão feia, rabugenta e derrotista. Não quero mais interagir com ela, só o bom dia, quando nos cruzamos, a vida a derrotou, infelizmente.

Lembro-me também da minha primeira "paixão aborrecente", seu nome é Márcia, foi na sexta serie do ginásio, não sei a sua equivalência nos dias de hoje, era uma HB9,5, morena de olhos negros, sorriso perfeito e corpo de mulher. Sentava atras dela, era o perfeito "BESTA", fazia tudo por ela. Também foi meu primeiro contato com o poder o lado negro da força, o famigerado "CAFAJESTE", pois ela começou a sair com o cara mais sacana, safado, mulherengo, sem vergonha e "sem valor" da cidade.(aos olhos dos Betas, claro)

Bem, novamente a vida aprontou das suas, hoje, ela tem uma bunda de 2 metros de diâmetro, 2 filhas, uma do cafajeste e outra do ex-marido. O cafajeste, pelo que soube é residente em BANGU 1 e a filha mais velha esta envolvida com drogas, morando com um traficante da região.

Engraçado, uma amiga desde o tempo de infância, disse-me a algum tempo, que meu "anjo da guarda" é muito forte, porque me livrou de muita MERDA....rrrrsssss.

Mas tenho algumas paixões dos meus 18 a 30 anos que estão muito bem, continuam lindas e felizes, casadas e com filhos na maioria. Outras nem tanto, as vezes, recebo alguma cantada, mas não mexo com mulher casada. Algumas, até "agenciam" encontros p/ mim, com amigas de trabalho, querem que eu case, acho isso muito engraçado.

Concordo com o Dieguim288, sobre as lições. Contribuo, adicionando minha noção de "família", principalmente a questão de "cuidar dos entes queridos e dos mais velhos", nos momentos de necessidade e doença, tive grandes exemplos do meu pai, que cuidou da sua tia/avo, meu avó e da minha mãe. Outro grande exemplo foi do meu tio (T1), irmão da minha mãe, que cuidou de minha avó.

Hoje, prático este aprendizado, cuidei do meu tio (T1) até sua morte, cuido do meu pai de 84 anos, como se meu filho fosse, nada lhe falta. Não é um fardo, como muitos acham, infelizmente, mas uma retribuição ao verdadeiro amor (Agape), aquele que todos almejam, mas que muitos não estão dispostos a dar.

Grande abraço e sucesso, na vida e no jogo.
Avatar pua

Criador do tópico

# T7 #

Entusiasta

#748270
Riker.T escreveu:Prezado # T7 #,

Creio que todos tivemos nossa "paixonite" de infância, a minha chamava-se, Sandra, apesar do tempo, lembro-me de seu rosto bonito, seu jeito "muleque" e sua risada contagiante. Vai haver uma grande disparidade sobre os feeds que recebeu, porque sou bem mais velho, você já sabe, tenho 45, ela também.

Cara, não sei dizer o motivo, mas como ela esta "acabada", de alguém tão "lindinha" e legal, transformou-se em alguém tão feia, rabugenta e derrotista. Não quero mais interagir com ela, só o bom dia, quando nos cruzamos, a vida a derrotou, infelizmente.

Lembro-me também da minha primeira "paixão aborrecente", seu nome é Márcia, foi na sexta serie do ginásio, não sei a sua equivalência nos dias de hoje, era uma HB9,5, morena de olhos negros, sorriso perfeito e corpo de mulher. Sentava atras dela, era o perfeito "BESTA", fazia tudo por ela. Também foi meu primeiro contato com o poder o lado negro da força, o famigerado "CAFAJESTE", pois ela começou a sair com o cara mais sacana, safado, mulherengo, sem vergonha e "sem valor" da cidade.(aos olhos dos Betas, claro)

Bem, novamente a vida aprontou das suas, hoje, ela tem uma bunda de 2 metros de diâmetro, 2 filhas, uma do cafajeste e outra do ex-marido. O cafajeste, pelo que soube é residente em BANGU 1 e a filha mais velha esta envolvida com drogas, morando com um traficante da região.

Engraçado, uma amiga desde o tempo de infância, disse-me a algum tempo, que meu "anjo da guarda" é muito forte, porque me livrou de muita MERDA....rrrrsssss.

Mas tenho algumas paixões dos meus 18 a 30 anos que estão muito bem, continuam lindas e felizes, casadas e com filhos na maioria. Outras nem tanto, as vezes, recebo alguma cantada, mas não mexo com mulher casada. Algumas, até "agenciam" encontros p/ mim, com amigas de trabalho, querem que eu case, acho isso muito engraçado.

Concordo com o Dieguim288, sobre as lições. Contribuo, adicionando minha noção de "família", principalmente a questão de "cuidar dos entes queridos e dos mais velhos", nos momentos de necessidade e doença, tive grandes exemplos do meu pai, que cuidou da sua tia/avo, meu avó e da minha mãe. Outro grande exemplo foi do meu tio (T1), irmão da minha mãe, que cuidou de minha avó.

Hoje, prático este aprendizado, cuidei do meu tio (T1) até sua morte, cuido do meu pai de 84 anos, como se meu filho fosse, nada lhe falta. Não é um fardo, como muitos acham, infelizmente, mas uma retribuição ao verdadeiro amor (Agape), aquele que todos almejam, mas que muitos não estão dispostos a dar.

Grande abraço e sucesso, na vida e no jogo.



Eu juro que estava lendo seu feedback após ler um conto "A hora e a vez de Augusto Matraga" de Graciliano Ramos, pra entender melhor a parte do CONTO eu ouvi "Faroeste Caboclo" da Legião, que tem tudo a ver com a história. Confesso que lendo a história e você falando de sua paixonite que se envolveu com um traficante e se perdeu na vida eu realmente associei a sua experiência de vida com algo muito parecido relacionado na música.

A perdição das pessoas... quantas "Maria Lúcias" não se perdem com os "Jeremias" da vida não?

Essa paixonite por exemplo, se envolveu com um Playboyzinho da cidade onde cresci, já pisou muito na bola com ela. E eu realmente tive uma dó danada. Hoje vejo que a escolha dela é irreversível, mente fraca. E a vida vem derrotando-a.

No mais, eu preservo meus bons momentos, minhas recordações e minhas lições. E espero um dia chegar aos meus 84 anos como o teu pai, e ter um filho que se importe comigo, como meu pai se importou com meu avô e eu me importo com meu pai, apesar de não termos muito contato.

Abraços Riker.T muito obrigado pelo feedback! :sorri
Avatar pua
TheLuck

Veterano - nível 9

#767237 CARACAAAAA gostei de mais, é isso ai que pena que nossos medos nos "congelam" e nos fazem perder grandes oportunidades nas nossas vidas, mas o bom é que aprendemos e nos tornamos melhores, o fato da inocência e a fama é o que até hoje em dia atormenta as pessoas.
Fico feliz de ver que apesar de tudo, ficou sabendo que você era correspondido. Mas que belo motivacional tá de parabéns.

Abraços
Avatar pua
Carlos Von Petrovik

Veterano - nível 10

#795914 T7, nunca tinha lido esse tópico , mas namoral velho, eu chorei.

Podem me apedrejar, um pua chorando? Mas isso me faz lembrar que todos nós passamos alguma situação dessa, e apesar nós tentarmos aparentar sermos impenetráveis com nosso inner e BL, somos seres humanos também..., todos sentimos algum dia aquela timidez ofuscante que agora chamamos de AA,todos eramos tolos e inexperientes, e sentimos algum amor platônico que deixamos de alcançar por falta de atitude.

Mas agora somos PUAS! Sabemos o que queremos e sabemos como conseguir!
Jacoby Shaddix

Veterano - nível 1

#795927 De boa mano , foi uma baita superação hein ! Aliás quando se falam de paixonites de infância, lasca qualquer um de uma forma irreparável onde somente o tempo pode levar ao esquecimento . Imagem

De qualquer forma , prefiro esquecer minhas paixonites ou minhas namoradas quando sei que o sentimento de ambos torna-se nulo, como você citou . Bela história.

Felicidades irmão ... Imagem
Avatar pua
RibeiroGH

Veterano - nível 1

#799661 É meu amigo como tenho pensado nisso, acho que o essencial é buscarmos um estado de vazil interior, chega dessa coisa de complexo, desse tal de "e se?". Deu vontade? Vá e faça! Claro que no sentido bom né, nada de sair por ae chutando o pau da barraca.