Aqui é aonde Arquivamos as discussões e debates do PUABASE.
Apenas Membros VIPS
Organização sempre!
Avatar pua

Criador do tópico

Hutch

Aprendiz

#912930 O presente artigo trata da descrição dos padrões comportamentais adquiridos, bem como da sua relação com estados emocionais por eles induzidos. Ademais, far-se-ão presentes propostas de reversão dos atuais condicionamentos psicológicos desfavoráveis à evolução dos indivíduos como seres sexuais de uma espécie.

Para um melhor aproveitamento do texto que se segue, sugiro que leia o artigo anterior, denominado "A imersão na realidade vizinha: os primeiros passos para a afinidade interpessoal".
http://www.puabase.com/forum/primeiros-passos-para-afinidade-interpessoal-t95649.html

No artigo supracitado foi plantada a semente: sabemos que aquilo que hoje você conhece como sendo a sua pessoa, não é, senão, o resultado de uma salada de condicionamentos que o moldaram desde a sua infância (e, como assinalado pelo PUA `Tigre de Bengala', principalmente nela).

Entendamos o cérebro como um computador, de modo que, ao nascer, sua `bios' veio com apenas duas instruções básicas: sobreviver e reproduzir (vide Mystery Method). Porém, com o passar do tempo, novos `pacotes' foram, gradualmente, sendo instalados no seu sistema pelas pessoas que faziam parte do seu meio social (familiares, amigos, garotas, etc). Pois bem, muitos desses pacotes simplesmente não tiveram serventia nenhuma para você e, naturalmente, com o passar do tempo e a falta de uso, eles foram apagados (já pensou se seu cérebro ficasse guardando tudo o que é porcaria que voluntária ou involuntariamente é colocado nele? Apenas o que você usa com frequência permanece. Qual é mesmo a segunda lei da Termodinâmica?). Dito isso, há também pacotes nocivos, podemos entendê-los como vírus no seu sistema. Certos indivíduos do seu grupo social lhe fizeram o "favor" de bugarem a sua vida (você também tem culpa caso ainda permita que eles permaneçam nela). Acredite, as pessoas são naturalmente e, por vezes, involuntariamente más umas com as outras em um regime de disputa, isso já está em você desde os primeiros anos de vida: as crianças são, aliás, o exemplo mais vívido disso; por não fazerem uso das chamadas "máscaras sociais" (termo cunhado por Max Weber), elas deixam a maldade dentro de si extrapolar sobre aqueles que, ou são muito frágeis em relação a elas, ou lhes apresentam grandes riscos. A deformação social enfrentada por muitos aqui na comunidade é reflexo justamente disso, quero dizer, os pacotes nocivos instalados no seu sistema te comandam a abaixar a cabeça em sinal de respeito a essas pessoas e a não se aproximar das fêmeas mais atraentes: um legítimo comportamento de submissão.

Condicionamentos psicológicos tem uma característica muito peculiar: uma vez introduzidos da forma correta na sua mente, não há mais necessidade de ficar repetindo o comando, de modo que o próprio indivíduo como que entrando em um transe, começa a seguir aquilo como algo essencial a sua sobrevivência. Como exemplo, lembremo-nos da sua mãe a lhe dizer para `se afastar de desconhecidos' ou do seu "colega" de classe a se referir a você por meio de um apelido pejorativo. Há quantos anos sua mãe parou de te dar essa recomendação? Você parou de escutá-lo, mas continua o seguindo cegamente, sem se dar conta de que sua futura esposa será, a princípio, uma desconhecida. E quanto ao pivetinho que te zoava no ensino fundamental? Ele deve estar orgulhoso do seu trabalho. O exterior pode afetar de formas tão drásticas o nosso interior que, em certos casos, não somos nem mesmo capazes de cumprir o papel para o qual fomos designados: reproduzir, dar continuidade à espécie.

Freud dividiu a psique humana em três níveis: Id, Ego e Superego. A grosso modo, a sua parte animal, instintiva, diz respeito ao Id; em contrapartida, o seu `eu' intelectual está contido no Superego. Tudo o que lhe faz mais feliz e realizado pessoalmente vem do instinto, por exemplo: alimentar-se, dormir, acasalar... Isso é tão verdadeiro que, no sexo, você e sua parceira sentem a necessidade de se despirem completamente e, como animais na floresta, fazer o que tem de ser feito. Agora, pergunte-se: você receberia as visitas em sua casa completamente nu? (Naturalistas não estão sendo considerados nesta análise) Obviamente, não. Veja que nos dois casos você se encontra na mesma situação (sem roupas), porém, um deles é de caráter instintivo, e ao invés de se sentir envergonhado, você se sente bem até demais. O fato de seu Id ser a força motriz de seu conjunto comportamental é algo que joga no seu time: veja como na natureza, por mais que existam disputas, todos os seres, de um modo geral, conseguem procriar. Para conseguir se reproduzir com sucesso, portanto, você deve se aproximar do "animal" que está aí dentro constantemente sendo reprimido e adestrado pelo seu Ego e Superego. Como já disse, o Ego e o Superego ditam o seu racional, diretamente ligado a tudo o que é lógico na sua pessoa. Aqui as coisas se encaixam: no artigo anterior discutimos justamente isso. Se durante uma tentativa de abordagem você deixar seu cérebro no piloto automático, ele irá operar de maneira lógica, te convencendo a não o fazer. A grande questão é: como programar o meu cérebro para gerar respostas emocionais?

Até este momento, foram lançadas várias ideias e conceitos acerca funcionamento do cérebro humano. Como todo programador que se preze, deve-se conhecer um mínimo da máquina, a fim de que os resultados esperados sejam gerados. Seu cérebro trabalha com um "sistema de recompensas", do contrário, você não faria nada da sua vida. O psicólogo norte-americano Abraham Maslow propôs uma pirâmide de hierarquias das necessidades dos indivíduos, a chamada `hierarquia de necessidades de Maslow' (pesquise no Google). Esta pirâmide é dividida em cinco patamares de necessidades, que são (da base para o topo): fisiológicas, segurança, sociais, estima e auto realização. Podemos dizer que cada nível que se sobe nessa pirâmide é uma recompensa que se traduz em alívio, felicidade, excitação... As necessidades com as quais estamos a lidar neste artigo se encontram no nível 3 (necessidades sociais) da pirâmide, por isso, é de suma importância que os níveis 1 e 2 estejam completamente satisfeitos, eles são a sua base. Vamos discutir brevemente como assegurar os níveis 1 e 2:

Nível 1 (Necessidades fisiológicas): Sobrevivência (você transmitirá isso às demais pessoas, por exemplo, vestindo-se bem), alimentação (a sua forma física demonstrará como este quesito está sendo observado), higiene (mau hálito, "chulé", "cc" e demais odores, cabelos sebosos e cia são absolutamente repugnantes) e reprodução (não se masturbe, do contrário você estará enviando uma falsa mensagem ao seu cérebro de que está sexualmente realizado (a não ser que deseje fazer sexo com a sua mão pelo resto da vida), diminuindo, em certos casos, drasticamente os seus níveis de testosterona).

Nível 2 (Necessidades de segurança): Você transmitirá isso através de sua linguagem corporal, isto é, contato visual, boa dicção, voz não trêmula, sorrisos, enfim... Há muito material interessante sobre linguagem corporal e PNL espalhado na internet (e muito lixo também).


Atente-se para o fato de que as pessoas apenas terão acesso ao que você demonstrar. Para os outros, a princípio, você não passa da representação que faz de si mesmo. Portanto, quando nos referimos ao nível 2, você pode até não ter um emprego estável, porém pode, através de sua linguagem corporal, transmitir o oposto.
O nível 3 da pirâmide é aquele que efetivamente lhe requer menos recursos financeiros ou energia física, em contrapartida, cobrando-lhe uma mudança psicológica profunda. Para se sentir realizado no âmbito social, é necessário que você construa relações, comece a fazer parte de um grupo. Além disso, precisamos que seu cérebro seja recompensado durante o processo, de modo a fazê-lo entender que aquela é uma atividade nobre. Ligando as coisas, você deve compreender que a razão da sua infelicidade foram os padrões comportamentais que você optou por seguir. Estes, por sua vez, foram implantados na sua mente no decorrer de suas relações interpessoais. A forma de fazer com que seu cérebro apague informações irrelevantes é simplesmente deixando de utilizá-las, por outro lado, a forma de apagar condicionamentos psicológicos é por meio da atribuição de novos condicionamentos e do seu "sistema de recompensas".

Condicionamento 1: você, sendo um animal, uma máquina biológica, deve ser capaz de atrair animais de sua espécie e de gênero oposto.
Justificativa: Raciocine: seu orgão genital não tem esse formato por mero acaso. Seu organismo gasta energia diariamente na produção de espermatozoides a fim de que você dê continuidade à espécie (ao invés de ficar fazendo justiça com as próprias mãos no seu banheiro). Esse condicionamento é, por assim dizer, o padrão de fábrica do seu sistema.

Condicionamento 2: O gênero masculino da nossa espécie é o responsável pela criação da atração no início de um relacionamento.
Justificativa: As mulheres não irão se sentir ofendidas por você tentar estabelecer um vínculo amoroso com elas. Pelo contrário, você estará validando a posição daquela pessoa como fêmea da espécie humana (responsável por atrair o gênero oposto). Esse condicionamento é uma imposição social, mas você deve segui-lo caso deseje ter sucesso na vida.


O primeiro condicionamento deverá substituir aquele que a sua mãe lhe impôs: você já é um ser sexualmente ativo e possui meios de defesa, portanto deve se aproximar de pessoas desconhecidas para ampliação de seus vínculos sociais. O segundo condicionamento deverá substituir o seu "condicionamento beta": faça o que as mulheres estão esperando você fazer. Esses não são os únicos, são apenas sugestões que, evidentemente, dão maior trabalho.
Quanto ao "sistema de recompensas", dependendo do seu nível de convívio social, o próprio ato da aproximação e aceitação social já atuará neste sentido. As recompensas podem ser realmente bobas, mas devem existir. Um exemplo: aquela garota que você sempre sonhou, mas nunca teve coragem de se aproximar, agora sabe o seu nome e adora ter você por perto. Saliento que os condicionamentos levam tempo até serem absorvidos. Assim, é de suma importância que você acredite e se convença diariamente de que aquilo que aqui foi apresentado são mecanismos de compreensão do real favoráveis a quem aspira à auto realização.

Gostaria ainda de apresentar mais algumas ideias acerca de programação de respostas emocionais e "seleção natural" na espécie humana, porém, para não ficar demasiado cansativo, encerro por aqui este artigo.
Obrigado!

ANÚNCIOS

Avatar pua

Criador do tópico

Hutch

Aprendiz

#913082
Gui understand escreveu:Excelente tópico um dos melhores que eu já li.... Você escreve muito bem cara. Você é escritor?

Obrigado pelos comentários, amigo. É gratificante saber que o texto foi útil a alguém.
Não sou escritor, só escrevo para não ficar falando sozinho...
Avatar pua
IMTHUG

Veterano - nível 5

#913085
Muito bom !
Faça mais deses artigos, achei realmente interessante.
Esse é uns dos motivos pra galera parar com o "Fap", tem que parar até virar um animal :mau (risos)
Avatar pua

Criador do tópico

Hutch

Aprendiz

#913090
IMTHUG escreveu:
Muito bom !
Faça mais deses artigos, achei realmente interessante.
Esse é uns dos motivos pra galera parar com o "Fap", tem que parar até virar um animal :mau (risos)

Fico grato pelo comentário.

Pois é, IMTHUG, masturbação é realmente um problema nos dias de hoje. A grande quantidade de conteúdo pornográfico que todos são bombardeados, e as atuais facilidades de acesso a eles, desde os primeiros anos da puberdade, faz uma verdadeira bagunça na cabeça dos jovens: pelo fato de haver liberação de dopamina (neurotransmissor relacionado, entre outras coisas, à sensação de prazer) tanto durante o ato sexual quanto durante a masturbação, promove-se um falso positivo no seu ‘sistema de recompensas’, de modo que, seu cérebro entenda que você é “autossuficiente”, não necessitando de uma parceira para obter aquela recompensa (e, pelo princípio de menor gasto energético, você não vai ficar “correndo atrás” de mulheres).

Gosto de dizer que aquilo que faz mal a você, independente do que seja, é o excesso. Porém, nas condições em que vivemos (amplamente estimulados sexualmente por todos os veículos de comunicação), ou você não se masturba ou você se masturba em excesso, não há meio termo. A estimulação excessiva da ATV (região do cérebro onde é produzida a dopamina) provoca a dessensibilização dos receptores D1, D2, D3, D4 e D5 de dopamina, de modo que você precisará de níveis cada vez maiores deste neurotransmissor para obter o mesmo efeito (como a sensação de prazer), daí surge o vício.
Os níveis de dopamina no organismo estão relacionados, além da sensação de prazer, a vários processos fundamentais, como: memória de curto e longo prazo, níveis de atenção, humor, emoção e cognição. Só para se ter uma ideia, a desregulação nos níveis de dopamina tem relação com transtornos como Parkinson e esquizofrenia. Portanto, não é uma coisa com a qual se deva brincar.