Relatos pessoais, artigos, textos e vídeos para motivar qualquer um.
Avatar pua
Realistico
#1009680 Pessoal... antes de mais nada só quero falar que estou ciente de que esse é um assunto recorrente aqui, provavelmente devem estar achando que "é mais do mesmo". Eu não tentarei mostrar o contrário, provavelmente vocês estão certos. Na verdade, eu nem ia postar isso aqui, apenas nos fóruns sobre esse assunto específico (originalmente postar em inglês), pois quando comecei, eu li vários relatos de evolução e acho que, de alguma forma, para quem também passa por esse problema eu posso ajudá-lo de algum modo. E como este é um fórum que vai além da sedução, abordando assuntos como confiança, estilo de vida e saúde, achei que deveria postar. Também não sei se estou postando na área correta, se algum moderador achar que está no lugar errado, sinta-se a vontade para movê-lo.

Segue meu relato... esse ficou grande porque achei interessante narrar toda a história, farei outro quando der 60 dias só para atualizar sobre os sintomas, as melhoras e os problemas restantes.

Antes

Comecei a me masturbar muito cedo, aos 10 anos mais ou menos eu me masturbava, não gozava e sentia uma sensação esquisita, que fazia eu me contorcer. Não era tão prazeroso, era bem esquisito na verdade, por isso eu não praticava com tanta frequência. Também, creio que por pouco não tive fimose e aquela pele antes da cabeça do pênis não tinha descolado, talvez tenha sido isso que me fazia sentir um pouco de dor, às vezes.
Aos 14 anos já praticava com certa frequência, ao menos uma vez por dia. Lembro até hoje da primeira vez que ejaculei, saiu um líquido branco, grudendo e grosso. Fiquei completamente exausto, comecei a praticar com um pouco mais de habitualidade, já assistia pornografia todo dia também enquanto eu me masturbava.


O problema

E assim seguiu até os meus 18/19 anos, aumentei a frequência para 4 ou 5 masturbações enquanto assistia a filmes pornográficos diversos. Com o passar do tempo, fui aumentando a intensidade, vendo vídeos de categorias diferenciadas (creampie, anal creampie, mom and son, milfs), passei a ficar curioso e a ver outras categorias (zoofilia, travestis, painfull anal, swing, traições, gay, entre outras). Às vezes, para me sentir mais estimulado, combinava todos os tipos de categorias possíveis. Sexo vaginal entre um homem e uma mulher e vídeos de masturbação feminina não me atraia mais, só assistia vídeo categorizado com "anal".

Enquanto frequentava fóruns de PUA (sedução), tomei conhecimento do vídeo do Gary Wilson. Assisti, me identifiquei com muitos problemas, tentei parar inúmeras vezes, uma vez cheguei à 15 dias, mas logo falhei. Sempre acreditava ser tímido e introvertido, nunca gostei muito de conversa fiada ou de eventos sociais, mas meu nível de ansiedade era muito alta, me preocupava muito com o que os outros pensariam de mim, algumas vezes até sentia medo de ficar com mulheres. Meus hobbys sempre foram academia e assistir séries. Quando me sentia excitado, eu procurava vídeos e me masturbava.
Vi que meus problemas estavam ficando piores, não conseguia mudar de vida. Eles se estabilizaram, os sintomas de vício em pornografai que mais experimentei foram: uma depressão após a masturbação, ansiedade social, desânimo; notei também que era difícil eu conseguir masturbar sem assistir algum vídeo, também lia com certa frequência contos eróticos e trocava nudes com algumas mulheres. Para constar, eu era virgem.

O primeiro sexo


Alguns tempos depois, perdi minha virgindade. Foi decepcionante, não tenho um pênis tão grande (estou na média) e a mulher era um pouco gorda. Então a própria mecânica do sexo não ajudou, coloquei a camisinha, a ereção perdia a força, tentava penetrar e não conseguia, mudava de posição, não encaixava, foi frustrante. Ela era uma garota de programa e pensei em desistir. As camisinhas estavam acabando, tinha um pacote com três e já tinha jogado duas fora.

Enfim, ficamos numa posição que consegui encaixar e mais uma vez digo: foi decepcionante. Não sentia muito prazer, me peguei imaginando algumas das cenas às quais eu me masturbava para não perder a ereção, custei a mantê-la e alguns minutos depois eu gozei. Mas achei que foi muito rápido e continuei e penetração até que eu a perdesse totalmente.
A questão é que: eu pensei que o sexo era superestimado. Também pensei que quando eu perdesse a virgindade, meu mundo mudaria, pois sempre escutei que após a primeira transa o nosso cheiro muda, ficamos mais atraente aos olhos das mulheres e nos tornamos mais confiante (já que sempre me faltou essa qualidade).

O dia da mudança


Após ter transado, permaneci na mesma. Tentei algumas vezes fazer o reboot, mas falhei miseravelmente. Até que um dia eu me masturbei incansavelmente, talvez eu tenha "gozado" 8 ou 9 vezes e estava esgotado. No outro dia fui na academia, vi uma mulher que sempre me chamou a atenção na faculdade (e que, particularmente, notei certo interesse pela troca de olhares que fazíamos), com muita dificuldade consegui trocar algumas palavras com ela e após 8 segundos de conversa (sim, isso foi todo o tempo que consegui manter uma conversa com ela), eu me senti completamente travado, ficou um clima estranho, meus pensamentos sumiram (pela primeira vez, eu não sabia o que falar com uma pessoa), notei que ela ficou desconfortável e cada um voltou ao treinamento.

Foi, então, nesse dia que vi que precisava de uma mudança, e urgente. Eu nunca tive problemas em aceitar uma rejeição, mas eu não poderia aceitar que uma mulher que estivesse expressamente interessada em mim, e fosse recíproco, que eu simplesmente não conseguisse ter algum tipo de contato com ela. POSSO AFIRMAR QUE FOI O DIA QUE VI QUE EU FALHEI COMO HOMEM.

Em casa, decidi estudar uma estratégia. Essa vez seria diferente, revi o vídeo do Dr. Gary Wilson, li algumas histórias de reboot e decidi: eu não poderia parar tudo de uma vez, já fiz isso antes e falhei. Então, aproximadamente no dia 20/05/16 eu comecei a seguir o plano, que era: eu vou parar gradativamente, primeiro preciso dividir e conquistar, no dia que eu me masturbar, não verei pornografia, e no dia que eu ver pornografia, não vou me masturbar. Preferi assistir vídeos pornográficos por uma semana, SEM TOCAR NO MEU PÊNIS.vConsegui ficar 5 dias sem masturbação, mas ainda assistia pornô diariamente.

No dia 01/06/2015 já havia me acalmado um pouco por ficar sem me masturbar, era hora de parar com a pornografia também. Tudo ocorria tudo bem, mas infelizmente estava exposto em alguma pornografia não intencional, acessava sites de encontros de casais (swing), acessava site como uma espécie de blog em que eu publicava contos eróticos (deixava meu email, vez ou outra recebia algum contendo certa sensualidade explícita) e um fórum de serviços de acompanhante e programa sexuais. Não conseguia parar, porque os via diariamente. Infelizmente me expunha a fotos explícitas e ainda assim estava exposto a pornografia. Transei com uma mulher nesse tempo, tive dificuldades para manter a ereção, meu pênis não estava 100% duro, mas dessa vez estava mais experiente e levei um lubrificante para auxiliar na penetração. Consegui penetrar, mas alguns minutos depois já gozei. Tive a impressão de que aquilo foi PE (ejaculação precoce), mas pensei ser apenas um evento esporádico. No outro dia nos encontramos de novo, e foi mais rápido ainda, usamos a posição de cachorrinho e gozei com menos de 10 penetrações.

No dia 13/06/2016 eu me masturbei assistindo pornografia. Havia planejado para fazer apenas no dia 15, mas já sabia que uma hora ou outra eu ia ter ceder um pouco para me acalmar. Apesar de ser mais leve, eu tinha planejado dois dias de "recaída", dia 15 e dia 30 de junho. Masturbei-me incansavelmente, utilizando várias janelas com vídeos diferentes das mesmas categorias que sempre usei. Para minha surpresa, no dia seguinte eu não sentia aquela sensação de fraqueza, depressão pós masturbação nem de exaustão física. Voltei com tudo, dessa vez mais forte, consegui cortar gradualmente todo o acesso a sites que indiretamente me expunham a pornografia, até que finalmente consegui visualizá-los apenas esporadicamente.

Cerca de 10 dias depois conheci e transei outra mulher. Minha ereção estava mais forte, ao colocar a camisinha consegui mantê-la, não precisei de lubrificante, fizemos posições menos estimulativas e que eu controlava melhor a penetração (não de propósito), notei que durou um pouco mais, apenas um pouco, a penetração. Mas ainda gozava muito rápido. Comecei a fazer exercícios de respiração e a de começar-e-parar a masturbação para melhorar a ejaculação precoce. Não me masturbei tanto, talvez fiz isso por 3/4 dias até ler relatos na internet, e ver que isso poderia piorar o problema. Apesar de me masturbar, gozei apenas uma vez nesse meio tempo, fazia a técnica de começar-e-parar. Agora, encerrei de vez a masturbação.

Informações
Hoje: dia 13/07/16
Tempo de nofapping: provavelmente 1 mês e 15 dias.
Tempo sem masturbação: 10 dias, mas não sinto nenhuma vontade de fazê-la.
Tempo sem pornografia: 30 dias.

Melhoras:
- confiança aumentou imaginavelmente;
- ansiedade social sumiu;
- disfunção erétil zero (tive pouco);
- tenho mais tranquilidade para lidar com problemas, em falar com as pessoas, estou com foco melhor (estou estudando para concursos, notei que tenho tido mais resistência em horas de estudo);
- os flashbacks dos vídeos que assistia diminuíram bastante, raramente, mas ainda tenho;
- minhas ereções estão fortes (talvez demais);
- sinto a sensação de liberdade novamente, não sofro tanto aquela pressão da abstinência;
- as mulheres parecem mais atraentes, consigo experimentar melhor o divertimento da conquista.


Problemas:
- alguns dias, principalmente quando estou sozinho, sinto que ainda bate uma sensação forte de querer me masturbar/assistir pornografia novamente, mas é completamente controlável, não é aquela que senti nos 5 primeiros dias;
- possivelmente ejaculação precoce (ainda não tive novos encontros sexuais, na verdade, é algo que ainda tenho que confirmar);
- um dia desses eu sonhei que estava me masturbando, e provavelmente se eu não tivesse feito nada eu teria gozado dormindo, seria a primeira vez de ejaculação noturna, não sei se seria algum problema... mas definitivamente não é uma melhora;
- quando vejo alguma imagem potencialmente excitante (não sexual), sinto uma sensação estranha, como se eu tivesse pronto para gozar a qualquer momento.
Avatar pua
KimXD
#1009694 Uma dica para os rapidinhos(na verdade isso é valido para todos eu não tenho esse problema mas faço isso, até os atores pornos usam isso), funciona em algumas posições, quando estiver pegando ela de 4 por exemplo, você ficar com uma das pernas em cima da cama, isso faz prender um pouco da circulação e com isso chega menos sangue no pênis com isso consegue controlar mais a ejaculação, se você parar para reparar em boa parte dos pornos os caras fazem isso nas cenas. Essa dica eu vi de uma atriz porno que também era prostituta, isso funciona tanto que ela dizia que quando algum cliente fazia isso ela dava algum jeito de fazer o cara mudar a posição da perna, eu perdi o link desse vídeo se não mandava.
Bad Wulfie
#1009696 massa sua evolução, é isso ai força e persistencia.

Fap nao é algo ruim, é uma forma de se auto conhecer, o problema é quando é feito por compulsão como dito nos seus relatos

e bem, o ruim do no fap é isso...quando tu sente aquele calorzinho e umidade da xoxota, amigo é rapidao pra gozar :\ UHSHUHUSHUSHUSHUS
Avatar pua
André_SJDR
#1028867 Sexo é uma grande preocupação da humanidade.

Ficar sem parece a morte.

Os mortos não transam...

Não sei quanto a vocês, mas gosto de aprender com os vídeos pornôs...bom quando eu assisto...
eu tenho minhas fases de masturbação...normalmente é quando eu passo algum tempo sem transar
Avatar pua
ArielOlive231
#1033718 Parabéns cara, concerteza me motivou, tbm estou tendo dificuldades (sou virgem) :ae
Avatar pua
Atllas
#1033729 Parabéns , também conheci a masturbação novo ainda (9/10 anos por aí). Via vídeos na internet o dia inteiro (Antes de sair pra escola semrpe rolava um RedTubesinho de leves huehuehuehuehue). Consegui parar em agosto de 2014 e não me masturbo até hoje . No começo é muito ruim , é como uma droga , você fica muito precosse (Quando eu parei , meus hormonios ficarama flor da pele , tanto que se eu pensasse uma sacanagem por muito tempo já ejaculava , e saia muito ...) Enfim , hoje estou com meus 16 anos e não me masturbo já faz 2 anos . Depois você nem vê mais graça em fazer isto mano ..
Abraços aí na caminhada de abandono . Pra quem é virgem como eu é meio complicado , mas não impossível !!
mentalista7000
#1036020 É isso ae cara, vc descobriu a máxima da vida, o sexo é superestimado.
cross
#1036024 Ótimo relato cara! isso deve acontecer com muitos, inclusive até comigo as vezes quando fico sozinho estudando em casa, espero um dia sair desse vício mizerável kk
Valeu!
xRadyol
#1036047 Parabéns pelo relato, camarada, força ae no NoFap, não pode desanimar