Depoimentos de mudança com o PUABASE.
Conte nos nessa área um pouco da sua evolução atingida com os conhecimentos adquiridos no PUABASE. Adoraremos ler a evolução de um membro da nossa irmandade.

O primeiro é fazer você refletir sobre o seu desenvolvimento e o segundo é conhecer um pouco mais a evolução dos outros membros.
Avatar pua

Criador do tópico

CesarFranco - MEMBRO EXCLUSIVO
#933400 Venho fazer um Depoimento diferente. Ao invés de narrar minhas mudanças pessoais graças à comunidade, narro aqui o que eu, enquanto pesquisador realizando uma pesquisa acadêmica no PUABase.com, acabei descobrindo sobre a comunidade. São, na verdade, os resultados de minha pesquisa que me rendeu, nesta semana, o título de Mestre em Sociologia. E compartilho com vocês pois isto tudo é sobre vocês, e por mais que discordem no que irei dizer, este trabalho foi uma franca tentativa de compreender a comunidade com respeito, ética e seriedade.
---

Há quase 5 anos atrás eu conhecia o PUA. Na época, recém-saído da minha graduação em Ciências Sociais, achei o assunto muito interessante pois sempre me interessei por fenômenos envolvendo questões de masculinidade. E quando em 2013 ingressei no mestrado em Sociologia tomei para tema de minha pesquisa justamente o PUA: decidi fazer um trabalho sociológico sobre a Comunidade Virtual da Sedução.

Foi assim que cheguei até o PUABase.com, e foi por isso que fiquei aqui praticamente dois anos tentando entender alguns 'comos' e alguns 'por quês' da comunidade. Neste caminho conversei com alguns de vocês - o que em termos de pesquisa seriam os 'entrevistados' - e de certa forma conheci melhor a história de muitos de vocês através da leitura de diversos tópicos e discussões aqui de dentro.

Tentei fazer desta pesquisa um esforço para evitar as acusações simples e costumeiras. Como vocês bem sabem, a maioria das pessoas que ouve falar da comunidade já a acusam de machista, misógina, ignorante, etc. Ou simplesmente riem e fazem pouco caso disso tudo. Eu evitei ao máximo reproduzir este tipo de julgamento que nada explicava. E mais do que evitar julgar, acabei adquirindo uma empatia tremenda pelas histórias que conheci aqui dentro - e sei que se eu não tivesse chegado até aqui como pesquisador, possivelmente teria chegado como um participante comum pois também sou nerd, tímido, e tive lá minhas paixonites.

Esta pesquisa teve, é claro, ganhos acadêmicos, pois com ela pude explorar teorias e métodos de pesquisa sociológica; e teve o ganho acadêmico óbvio de me render o título de Mestre em Sociologia pela UFPR. Mas ela teve também um ganho humano muito grande, que foi imergir em um universo particular que me fez pensar uma porção de coisas. É clichê, eu sei, mas é preciso dizer: mais do que aprender sobre vocês, aprendi também sobre o próprio mundo a minha volta. E é muito recompensador chegar ao final de um processo de pesquisa e perceber que isto rendeu mais do que páginas impressas.

Enfim, faço aqui o que prometi à comunidade e a cada um dos meus 'informantes' - como chamamos as pessoas que nos ajudam durante a pesquisa. Ou seja, disponibilizo, em termos gerais e sem muitos academicismos, os resultados da minha pesquisa sobre a comunidade. A quem interessar a leitura (e quiser fazer algum tipo de comentário ou crítica), aí está.

Esclareço que esta é uma visão, uma interpretação. Não pretende ser a verdadeira (se é que verdades existem), nem é para ser como que a revelação da essência última da comunidade (se esta essência existe, duvido seriamente que pesquisas acadêmicas possam assim, simplesmente, revelá-la). Este trabalho é uma ligação de alguns fatos observáveis, unidos então pela cola que algumas teorias sociológicas podem fornecer. Outros pesquisadores, outros campos do saber científico, certamente usariam de outros fatos unidos por outras teorias, e certamente chegariam a diferentes resultados. Portanto, não tentei verdade alguma aqui, senão uma, e tão somente uma, possível explicação sobre a comunidade e seus participantes.

Agradeço profundamente a todos os envolvidos, particularmente àqueles que me cederam uma entrevista, e especialmente, é claro, à administração, que nunca criou barreiras para que eu aqui estivesse e prosseguisse com esta pesquisa.

Segue um texto-resumo que foi, basicamente, o meu texto de apresentação do meu trabalho perante a banca de mestrado.

IntroduçãoDurante meu mestrado percebi que a reação mais comum das pessoas ao ouvirem falar sobre o que eu pesquisava era o riso. Aparentemente, há algo de engraçado em um grupo de homens que se reúne na internet para aprender como conquistar mulheres. Mas eu percebi, também, que esses homens não veem graça nenhuma nisso. Pelo contrário, levam tudo muito a sério. E quando estes homens vão até o Google e digitam lá a pergunta "como conquistar mulheres", fazem isto com sérias expectativas, como quem busca a solução para um problema ou incômodo.

Assim, esse grupo de homens, e que se chama enquanto Comunidade Virtual da Sedução, me ganhou a atenção porque parecia estar cumprindo como que uma função.
São vários os homens que vão até essa comunidade, e vão com a disposição e alívio de quem encontrou um remédio que há muito tempo era procurado.
São muitos homens que se atiram com vontade e dedicação aos assim chamados métodos de sedução, técnicas de sedução, e tentam ser o que chamam de artista da sedução. Esta comunidade parecia, então, atender a uma demanda masculina: esses homens procuravam algo, e a comunidade estava lhes oferecendo este algo.

No Brasil esta procura também acontecia, e o site PUABase.com é a prova de que aqui a comunidade também tinha seu espaço. O PUABase.com não é o único, mas é o maior site representante desta comunidade aqui no país. Fundado em 2009, conta hoje com mais de 100.000 usuários cadastrados. O site funciona como um fórum de discussões, e portanto é uma plataforma altamente interativa mas baseada no texto: são homens escrevendo textos para que outros homens leiam e então respondam com outros textos.

E considerando a aparente demanda que a comunidade parecia cumprir, mais a existência do site brasileiro PUABase.com, é que foi lançada a pergunta-chave de minha pesquisa:

O que estes homens procuram, por que é que procuram ali (em um site na internet), e o que fazem em termos de mudanças pessoais?


Para alcançar a resposta a esta pergunta realizei uma inserção etnográfica. Ou seja, me cadastrei na comunidade, me apresentei a ela, e tentei participar mais ou menos como um participante normal faria. A intenção era entender a comunidade de dentro, através do contato intenso e prolongado com ela e seus participantes - mesmo que através de um computador ligado à internet. Este esforço durou ao todo 2 anos, mas foi feito de modo mais intenso, sistematizado e focado durante 06 meses, o que me rendeu mais de 300 tópicos lidos e analisados do início ao fim.

Além da etnografia, realizei também entrevistas com 13 participantes da comunidade. Todas entrevistas à distância, pela troca de mensagens. E juntando o perfil dos entrevistados, mais o perfil observado na comunidade como um todo, o perfil médio de um participante da comunidade parece ser o de um homem de 20 a 30 anos, branco, de classe média, nível de ensino superior, e de grandes centros urbanos.

Durante toda a pesquisa mantive o máximo possível do anonimato dos envolvidos: não revelei nomes, nicks, nem mesmo o título dos tópicos quando citados trechos deles.

Na tentativa de responder àquela pergunta-chave, estabeleci três objetivos a serem alcançados. É deles que passo a falar.


Objetivo 1 - O PUABase.com como um espaçoApesar de ser um site, um lugar virtual, foi um dos objetivos desta pesquisa entender o site PUABase.com enquanto um espaço, isto é, um lugar em que estes homens terão vivências e interações.

Com este objetivo foi possível explorar como que mesmo através da internet e à distância as pessoas podem sim fazer muitas coisas juntas, e revesti-las de muitos significados. A visão corrente de que a internet afasta as pessoas, ou que da internet nada de duradouro resulta, é fortemente contestada na comunidade virtual da sedução. Por outro lado, com este objetivo explorei também como parece ser importante para alguns homens a experimentação de um coletivo masculino heterossexual - um grupo só de homens discutindo sobre como conquistar mulheres.

Assim, fui percebendo que estes homens encontram no PUABase.com um espaço para a troca de experiências, onde cada um pode contar suas histórias e vivências. Estes homens também encontram ali oportunidade para se expor enquanto homens que passam por fracassos, dúvidas, tristezas, frustrações, e portanto precisam de algum tipo de ajuda. A decorrência disso é uma relação quase generalizada de cooperação masculina, onde dicas, conselhos e feedbacks serão trocados. Ao final, estes homens sugerem inclusive o surgimento de um conhecimento coletivo, um saber para o qual cada participante está contribuindo, seja com uma simples resposta em um tópico, seja com a postagem de um elaborado artigo.

Este objetivo, portanto, foi importante pois demonstra que a comunidade dá a estes homens mais do que os supostos métodos e técnicas de sedução. A comunidade dá essa experimentação muito positiva e valorizada por eles, que é o estar em um coletivo, o estar em um grupo, o estar em contato com uma porção de outros homens com objetivos, perfil e histórias de vida semelhantes. E assim, seja lá o que estes homens buscam, essa busca passa pela experimentação desse coletivo masculino - se a questão fosse apenas aprender como conquistar mulheres, os livros, vídeos no YouTube, ou outras plataformas não interativas (como blogs) já bastariam para esses homens.


Objetivo 2 - Os valores da Comunidade Virtual da SeduçãoNo meio daquela porção de métodos e técnicas de sedução, e todas as discussões sobre como conquistar mulheres, surgem valores que a comunidade produz e inspira assim seus usuários a reproduzi-los, e este foi o alvo deste segundo objetivo. Tais valores têm origem nas construções sociais acerca das concepções sobre masculinidades e feminilidades, mas têm origem também num elemento muito importante, que são as ansiedades masculinas - isto é, os medos e os desejos destes homens.

A comunidade toda opera com vários medos e desejos desses homens heterossexuais, a começar, é claro, pelas mulheres. E portanto, os valores da comunidade terão que dizer algo sobre as mulheres.

Ali dentro a mulher será vista como um ser instintivo e emocional, e que portanto se rende à biologia. E sendo a mulher explicável pela biologia, o próprio processo de sedução torna-se então algo previsível, controlável, ou mesmo técnico: bastaria o homem fazer isso ou aquilo, mexer neste ou naquele elemento biológico da mulher, que a mulher (reagindo a sua biologia) iria ter esta ou aquela reação, e portanto poderia ser adequadamente seduzida.

Esta visão é muito importante pois ajuda a aplacar a sensação de insegurança que alguns homens sentem diante das mulheres. Muitos chegam até a comunidade reclamando da timidez, do nervosismo, da vermelhidão, ou de como simplesmente travam diante da mulher. E assim, quando a comunidade produz esses valores da mulher - um ser biologicamente explicável - facilita para o homem inseguro tornar-se mais seguro (afinal, tudo é razoavelmente previsível).

Outro valor decorrente desta visão sobre a mulher, é que é sempre o homem quem deve estar conduzindo a interação / sedução. Todo método, toda técnica, supõe sempre um homem que está 'aplicando', enquanto que a mulher é como um ente passivo que terá, no máximo, alguma reação.

A insegurança e medo que alguns homens da comunidade sentem diante da mulher parece ser tão grande, e a necessidade da comunidade dar uma resposta a este medo é tão urgente, que muios homens relatam que graças à comunidade entenderam, finalmente, que as mulheres não são especiais, mas sim seres humanos como qualquer outra pessoa; entenderam que elas choram, sofrem, riem, e têm seus problemas assim como os homens. Isto é, as mulheres deixam de ser uma fonte para as ansiedades destes homens.

A comunidade produz muitos valores também sobre os tipos masculinos que não são sedutores. Ou seja, os homens que não conseguem mulher alguma. Há o grande rótulo negativo em termos de sedução, que é o macho beta. Mas dentro dele existem sub-tipos, como que em uma tentativa de abranger justamente as reclamações que motiva os homens a buscarem a comunidade.

Assim é que existirá o homem nerd, o homem tímido, o carinha bonzinho, e o homem carente. Além destes tipos, existirão também situações que caracterizam um homem não sedutor, como o estar em uma friendzone, ou ser vítima de uma paixonite, ou ainda estar preso à própria zona de conforto.

Portanto, ser um artista da sedução, um homem plenamente sedutor, nos valores da comunidade, e nunca ser - ou então deixar de ser - um sujeito nerd, tímido, carente, bonzinho, ou que esteja na friendzone, paixonite ou zona de conforto. E a comunidade está lá com seus manuais, guais e tutoriais ensinando justamente esse movimento: como superar essas coisas, como deixar de ser essas coisas.

Já o artista da sedução, que é o ideal de masculinidade que inspira a comunidade virtual da sedução, é mais do que uma porção de rótulos, adjetivos, ou mesmo habilidades adquiridas. Fui percebendo que para a comunidade, e na expectativa dos seus membros, ser um artista da sedução é adotar uma nova perspectiva sobre sua vida masculina. Ou seja, é encarar o mundo (e as mulheres) a partir de um novo lugar, de uma nova posição.

O que parece definir essa perspectiva do artista da sedução são três elementos: o da autenticidade, o do controle, e o da provação.

A autenticidade dirá que o artista da sedução é um homem que seduz com autenticidade. Portanto, é um sedutor espontâneo, como se seduzir fosse dos seus instintos, típico de quem alcança o estágio do chamado sedutor natural. Assim, por mais que este homem tenha buscado um site sobre como conquistar mulheres, e muito tenha lido sobre o assunto, ao final do processo é prometido que ele será um sedutor autêntico, como se nunca tivesse aprendido nada daquilo.

O controle dirá que o artista da sedução é um homem com controle sobre si, o que envolve controlar seu corpo - a linguagem corporal adequada - mas especialmente controlar suas emoções. É o constante vigiar dos pensamentos, o conter reações automáticas, o policiar dos medos, para garantir que sentimentos negativos não atrapalhem ou desencorajem este homem em sua trajetória até a realização pessoal. É tentar ser racional mesmo quando sentimentos atacam e produzem inseguranças.

Já a provação dirá que o artista da sedução é um homem disposto ao desafio, que não foge à luta, e que se orgulha das dificuldade que encontra. É um discurso muito próximo daquelas masculinidades que valorizam as cicatrizes de guerra, os ferimentos obtidos nas batalhas, pois são estes sinais que comprovariam a virilidade e nobreza deste homem. Assim, graças à provação, toda rejeição, todo não ouvido, até mesmo os tapas, podem ser vistos como elementos enobrecedores deste homem em sua trajetória de aprendizado e posterior sucesso.

Resumindo, ser um artista da sedução é ser esse homem que passou a encarar a vida da posição de um sedutor autêntico, que tem total controle sobre si, e que encara os desafios com a atitude constante de provação.

Portanto, nota-se como os valores da comunidade virtual da sedução parecem mirar um reinvestimento de segurança e poder nesses homens. São valores que vem para rebater - ou então corrigir - as ansiedades masculinas mais comuns na comunidade, como o ser inseguro com mulheres, não saber como se portar diante delas, e o que fazer para ser um homem sedutor.


Objetivo 3 - As mudanças de siO que não falta na comunidade são textos. Afinal, é um fórum de discussões, onde só através dos textos estes homens podem se comunicar e interagir. Contudo, a grande maioria dos textos são narrativas pessoais. Sejam curtas ou longas, sejam sobre uma vida ou a noite do último passo, é quase sempre um homem falando o que viveu, o que fez, o que experimentou, o que aprendeu. Deste modo, o que este terceiro objetivo mirou foi explorar a importância e o uso destas narrativas textuais.

O combustível da comunidade é essa disposição em escrever um texto que narre as mudanças pelas quais supostamente se está passando. E por isso nesta pesquisa passei a considerar a importância das narrativas pessoais, mas evitando pensar na questão da verdade. Pouco importa se o que estes homens escrevem - mulheres que beijaram, com quantas transaram, etc - é verdade, mas sim como isto é escrito e que importância isto tem para a comunidade.

Estas narrativas pessoais parecem ser um modo de vincular a si mesmo aqueles valores que a comunidade produz. Ou seja, o homem escreve um texto que se mostra justamente como alguém que está passando (e vivendo) a proposta da comunidade: está se tornando um artista da sedução . E por isso irá narrar de como deixou de ser um daqueles homens não-sedutores, como escapou de uma friendzone, enfim, como passou a ser um sujeito que hoje tem vida social intensa, o que inclui muitas mulheres à disposição. E considerando que esta narrativa tem de convencer o seu leitor de que é verdadeira (que não é um KJ), torna-se constante a invocação de alguns elementos legitimadores, como números, conquistas grandiosas (como ter sexo gratuito com uma prostituta), ou mesmo fotos das mulheres conquistadas.

Este objetivo permite observar, portanto, que um texto quando escrito não é algo morto, dado e acabado. Um texto é algo dinâmico, algo com intenção e propósito, e no caso do PUABase.com é uma oportunidade para esses homens exercitarem e publicizarem as mudanças pelas quais estão passando (ou querem passar). Escrever com detalhes a conquista do último sábado à noite é ir construindo uma imagem de si enquanto artista da sedução.


Considerações finaisTendo desenvolvido estes três objetivos, torna-se possível responder à minha pergunta-chave.

O que estes homens buscam é, aparentemente, um apaziguamento de suas masculinidades heterossexuais insatisfeitas consigo mesmas. Por algum motivo, e em algum momento, estes homens julgaram não ser o homem que queriam (e deveriam) simplesmente porque não eram sedutores. Mas a comunidade devolve isso a eles, ou ao menos a possibilidade. Aquele homem que se culpava por não ter nunca namorado vai ter, na comunidade, as respostas que procurava para ter sua primeira namorada - e todo o resto.

E esta busca acontece neste site porque ali, protegidos pelo anonimato, eles podem ter uma experiência possivelmente única em suas vidas de homem: estar em um espaço majoritariamente masculino em que podem se abrir uns aos outros, se aconselhar, se expor, e assim se ajudar. O site PUABase.com, ao funcionar enquanto um lugar (mesmo que virtual) sintetiza um forte coletivo que dá a estes homens uma valorizada sensação de pertencimento e unidade.

Já as mudanças pessoais pelas quais passam torna-se um ponto difícil de abranger, pois tudo a que temos acesso dentro da comunidade virtual são aos textos que narram as mudanças pessoais. E assim, essas mudanças são narradas em extrema afinidade com os valores que a comunidade produz: é preciso narrar como superou a timidez, como conseguiu o primeiro beijo, quais técnicas usou para levar uma HB 9 para a cama, etc. O importante é perceber que estas narrativas textuais explicitam as ansiedades masculinas que movem estes homens. São textos que dialogam diretamente com tudo aquilo que estes homens ou não querem ser ou estão tentando deixar de ser.

Esta pesquisa contribui, portanto, para entender a comunidade virtual da sedução e o site PUABase.com para além do riso, para além da gozação típica com que a própria mídia cita estes homens. Porque enquanto que para alguns ela será motivo de riso, para seus participantes a comunidade será justamente um modo de ser aquilo que se sente que deve ser. Por mais que possamos achar machismos e misoginia ali dentro, a comunidade existe como fruto de machismos maiores, como este que diz (e com a força de uma lei) que todo homem deve ser um pleno sedutor de mulheres, caso contrário deve se sentir mal, fracassado, ou mesmo culpado.

A comunidade e suas técnicas e métodos de sedução, e mesmo o tal do artistas da sedução, só existe e faz sucesso porque ainda reina sobre nós um discurso forte e potente sobre como é ser um homem de verdade. Este "homem de verdade" é um ideal, uma utopia, algo só existente em propagandas e filmes, mas é justamente aí que está sua força e seu poder de sedução, e é justamente nas sombras deste "homem de verdade" que a comunidade existe. A comunidade é a promessa (real ou não) que o homem será aquilo que ainda é socialmente esperado do homem desde a mais tenra infância: ser um homem plenamente sedutor, um homem de absoluto sucesso com as mulheres.

ANÚNCIOS

MindSet

Veterano - nível 9

#933417 Acho o seu texto um pouco simplista e um pouco per-conceituoso em certas coisas. Mas tudo bem, foram as suas conclusões e interpretações da sua ligação de 2 anos com a comunidade.
Porque é que a comunidade existe?
A comunidade da sedução masculina existe pelos mesmos motivos de programas como "Plain Jaine" existirem para mulheres. A comunidade existe porque todo o ser humano sente uma necessidade enorme de ter uma vida sexual activa e saudável. Quem não consegue ter uma vida sexual activa sofre e muito. Homens nao querem aprender a seduzir mulheres porque a sociedade os incentiva a isso. Homens querem seduzir mulheres porque se sentem sexualmente atraidos por elas e se querem relacionar sexualmente com elas. É uma necessidade básica humana. E nao estou a falar so de sexo casual. Estou a falar de relações monogamicas profundas. Pessoa incapazes de se conectarem sexualmente com o sexo desejado sao frustradas e precisam de ajuda. A comunidade é essa ajuda. Como é obvio existem pessoas machistas misóginas na comunidade mas é só algumas pessoas. A comunidade nao pode ser definida como machista e misógina. A comunidade é apenas a resposta a questão " como me conectar sexualmente com o sexo oposto?" ou então "como ter uma vida sexual e amorosa de qualidade" . Diferentes gurus respondem de diferentes maneiras. Essa de se querer ser um "Homem de verdade" é apenas uma resposta possível. Qualquer mulher que critique as tecnicas defendidas na comunidade é hipocrita ou inconsciente. Toda a técnica ensinada na comunidade é utilizada sem dó nem piedade pelas mulheres. Isto porque? porque elas quando crianças e sobretudo quando adolescentes, passavam o dia a falar sobre meninos enquanto os homens passam o dia a jogar a bola ou videogame. Elas tiveram a sua "comunidade" quando adolescentes e nós homens na sua maioria tivemos nada a não ser maus concelhos de mães muito bem intencionadas.
carlos460

Aprendiz

#933440 Parabéns pelo mestrado brother, e realmente bem interessante o tópico! Depois lerei com mais calma, até mesmo para dar um maior valor a esse trabalho. Abraço
Avatar pua
# T7 #

Entusiasta

#933458 Parabéns Cesar. Você com certeza merece o título de Mestre!

Adorei, e vou contar um segredo pra todos aqui: Eu fui um dos entrevistados.

:yaaah
Avatar pua
Low

Veterano - nível 2

#933485
CesarFranco escreveu:

[i]O que estes homens procuram, por que é que procuram ali (em um site na internet), e o que fazem em termos de mudanças pessoais?


- Porcuram respostas prontas, material pronto, não estão dispostos a pesquisar, ler, praticar técnicas PUAs, isso é demorado e trabalhoso, é mais fácil entrar neste forum e pedir aconselhamento aleatório instantâneo do que realmente aprender.

Ao final, estes homens sugerem inclusive o surgimento de um conhecimento coletivo, um saber para o qual cada participante está contribuindo, seja com uma simples resposta em um tópico, seja com a postagem de um elaborado artigo.


-Pois é.... e esse conhecimento existe, que são os livros, videos de palestras, sites de autores PUAs que se tornaram conhecidos e conquistaram confiança por realmente tratar dos fundamentos do Pick Up e não simplesmente resolver problemas especificos e pessoais de cada homem perdido.



Este objetivo, portanto, foi importante pois demonstra que a comunidade dá a estes homens mais do que os supostos métodos e técnicas de sedução.

-Realmente, a experimentação e troca de experiências é importante, só não deveria ser apresentada como PUA, poderia ser algo como a criação de uma revista Capricho para homens, poderia ser um forum Capricho for men, mas não é PUA. Muitos aqui nem tem noção do que é PUA, estão interessados somente em pegar o maior numero de mulheres mas se perdem todo e se afundam em relacionamentos logo na primeira experiencia "PUA" que aprendem e não sabem o que fazer.... justamente por não terem se inteerssado pelo fundamento da coisa.



Ali dentro a mulher será vista como um ser instintivo e emocional, e que portanto se rende à biologia. E sendo a mulher explicável pela biologia, o próprio processo de sedução torna-se então algo previsível, controlável, ou mesmo técnico: bastaria o homem fazer isso ou aquilo, mexer neste ou naquele elemento biológico da mulher, que a mulher (reagindo a sua biologia) iria ter esta ou aquela reação, e portanto poderia ser adequadamente seduzida.

-Na teoria PUA é assim mesmo, mas aqui pessoal se baseia no biológico para não usar e agir somente de acordo com o seu próprio emocional, de acordo com os aconselhamentos de outros membros que tambem agiram ou agem emocionalmente na mesma situação do que procura a ajuda.



A insegurança e medo que alguns homens da comunidade sentem diante da mulher parece ser tão grande, e a necessidade da comunidade dar uma resposta a este medo é tão urgente, que muios homens relatam que graças à comunidade entenderam, finalmente, [u]que as mulheres não são especiais, mas sim seres humanos como qualquer outra pessoa
; entenderam que elas choram, sofrem, riem, e têm seus problemas assim como os homens. Isto é, as mulheres deixam de ser uma fonte para as ansiedades destes homens.


- Isso aconteceria mesmo se esses homens estudassem e conhecessem PUA, mas como buscam aconselhamento sentimental rápido, nunca resolvem o fundamento do seu problema, só vão empurrando com a barriga e ficano dependentes de ajuda dos outros para cada nova situação específica que aparece em seu caminho, se estudassem mesmo PUA essa convicção seria muito mais forte e permanente.



A autenticidade dirá que o artista da sedução é um homem que seduz com autenticidade. Portanto, é um sedutor espontâneo, como se seduzir fosse dos seus instintos, típico de quem alcança o estágio do chamado sedutor natural. Assim, por mais que este homem tenha buscado um site sobre como conquistar mulheres, e muito tenha lido sobre o assunto, ao final do processo é prometido que ele será um sedutor autêntico, como se nunca tivesse aprendido nada daquilo.
O controle dirá que o artista da sedução é um homem com controle sobre si, o que envolve controlar seu corpo - a linguagem corporal adequada - mas especialmente controlar suas emoções. É o constante vigiar dos pensamentos, o conter reações automáticas, o policiar dos medos, para garantir que sentimentos negativos não atrapalhem ou desencorajem este homem em sua trajetória até a realização pessoal. É tentar ser racional mesmo quando sentimentos atacam e produzem inseguranças.
Já a provação dirá que o artista da sedução é um homem disposto ao desafio, que não foge à luta, e que se orgulha das dificuldade que encontra. É um discurso muito próximo daquelas masculinidades que valorizam as cicatrizes de guerra, os ferimentos obtidos nas batalhas, pois são estes sinais que comprovariam a virilidade e nobreza deste homem. Assim, graças à provação, toda rejeição, todo não ouvido, até mesmo os tapas, podem ser vistos como elementos enobrecedores deste homem em sua trajetória de aprendizado e posterior sucesso.
Resumindo, ser um artista da sedução é ser esse homem que passou a encarar a vida da posição de um sedutor autêntico, que tem total controle sobre si, e que encara os desafios com a atitude constante de provação.


-Realmente você definiu o que é ser um PUA, mas aqui neste forum não é exatamente o objetivo da maioria dos usuários, o que se busca aqui se pode ver claramente nos títulos dos tópicos tipo: " AJUDA URGENTE " .... "ELA OLHOU PARA MIM, O QUE FAZER?" ..... "MULHER CASADA DANDO MOLE, DEVO PEGAR?" .... "ELA ME IGNOROU, O QUE FAÇO?" .... "COMO PUXAR PAPO COM A GOSTOSA DA ACADEMIA? ".... "ME APAIXONEI, ME AJUDEM" .... "ELA TEM FILHO, É BALADEIRA, USA DROGAS, NÃO TRABALHA, E SÓ ME IGNORA, O QUE EU FAÇO?" " COMO LIDAR COM A AMIGA CHATA?" ... etc.... etc..... Não são homens em busca de uma "formação" definitiva em seu comportamento em relação as mulheres, são homens em busca de solução momentânea, é como ficar simplesmente completando o nivel do óleo de um motor de carro furado. A maioria desses tópicos já foram respondidos dezenas de vezes e ainda assim são recriados pois esses membros não tem interesse em pesquisar sobre o assunto que os está intrigando

Objetivo 3 - As mudanças de siO que não falta na comunidade são textos. Afinal, é um fórum de discussões, onde só através dos textos estes homens podem se comunicar e interagir. Contudo, a grande maioria dos textos são narrativas pessoais. Sejam curtas ou longas, sejam sobre uma vida ou a noite do último passo, é quase sempre um homem falando o que viveu, o que fez, o que experimentou, o que aprendeu. Deste modo, o que este terceiro objetivo mirou foi explorar a importância e o uso destas narrativas textuais.

-Sim, sim..... é assim mesmo aqui.



O que estes homens buscam é, aparentemente, um apaziguamento de suas masculinidades heterossexuais insatisfeitas consigo mesmas. Por algum motivo, e em algum momento, estes homens julgaram não ser o homem que queriam (e deveriam) simplesmente porque não eram sedutores. Mas a comunidade devolve isso a eles, ou ao menos a possibilidade. Aquele homem que se culpava por não ter nunca namorado vai ter, na comunidade, as respostas que procurava para ter sua primeira namorada - e todo o resto.

-Você está certo.




[/b].




Seria legal ver este mesmo trabalho em relação ao PUA e não sobre apenas um site em específico em que a proposta é simplesmente o aconselhamento sentimental momentâneo e não apresentar realmente as ferramentas definitivas para que o praticante possa de vez aprender a resolver por si mesmo aquela situação.
Muita gente leiga que ouve falar em PUA já cria uma imagem negativa exatamente como você descreveu, seria legal ter um trabalho acadêmico tratando sobre o PUA em geral, sobre o que o PUA oferece que seria a oportunidade de o homem perdido aprender e praticar para resolver suas questões pessoais. Mas simplesmente aconselhando o que fazer em determinada situação só resolve aquela determinada situação, enquanto o estudo e prática de PU apresentam o conhecimento para nos virarmos em todas as situações inesperadas. Situação totalmente diferente da deste forum.



"Eu sou Lobo... Lobo Marunga, eu caço sozinho, eu não preciso de ninguém"
Avatar pua
alfamg - MEMBRO EXCLUSIVO
#933600 Salve amigos,em especial CesarFranco,nosso sociólogo do fórum.
Parabéns pelo título cara! Muito merecido o seu mestrado.
Para mim,fez um levantamento profundo do que passa de melhor dentro da comunidade.Mas não foi só isso.Fez uma validação científica e legitimou tudo que àqueles que se esforçam procuram,que é se tornar homens melhores.
De fato a maioria (e eu me incluo nela) aqui ingressou para ter mais desenvoltura e sucesso com as mulheres.
E os elementos para um homem bem sucedido vão em total convergência com todos aqueles que já escalaram a jornada PUA fizeram.
Sobre o que trata da concretização do sonho de infância,me parece que e algo mais profundo.Sem dúvidas, o sonho dourado de todos é ser como um herói de desenho,com as atitudes alfas que tanto dissecamos em nossos artigos,que aliás resultam nos melhores brindes,que são elas de fato.
Sucesso e boa sorte!
Avatar pua

Criador do tópico

CesarFranco - MEMBRO EXCLUSIVO
#933634 MindSet, agradeço sua colaboração.

E aceito completamente as limitações do meu trabalho, assim como eventuais preconceitos e simplificações. Isto tudo faz parte das ciências humanas – dá pra dizer que somos uma ciência de poucas certezas e de muitas interpretações rsrs.

Como disse, nunca foi a intenção captar algum tipo de 'verdade' sobre a comunidade.

Aquilo que captei é justamente isso: algo que eu, de tantos anos, com uma história de vida assim-assada, que descobriu a comunidade deste ou daquele jeito, e que a experimentou sob esta ou aquela condição, pode concluir.

Por isso é natural que outras pessoas cheguem a outras conclusões. E mais natural ainda que vocês, que vivem a comunidade de outro lugar (que não esse de 'pesquisador'), a vejam de outro modo.

Por isso também não ouso discordar do que você (ou qualquer outra pessoa daqui) venha dizer sobre a comunidade, suas práticas, e o que ela significa. O máximo que posso fazer é dar um outro viés.

E o meu trabalho foi isso: tentou sair do viés raso da mídia, mas também tentou dar outra explicação que não fosse exclusivamente a dos gurus e livros de sedução.

-------------------------------------------------------------------
Low, agradeço as observações.

De fato, às vezes parece existir uma certa distância entre a proposta do PUA e o que alguns usuários fazem/buscam aqui dentro.

E admito que minha pesquisa não prestou muita atenção nessa modalidade de participação que é, como você disse, de busca de soluções momentâneas.

Até cito, na versão completa da minha pesquisa, que nem todos vivem a comunidade tão intensamente – e que nem todos concordam totalmente com como as coisas são na comunidade.

Mas como a intenção da minha pesquisa era trabalhar a proposta geral (talvez ideal) da comunidade, e também o que os usuários dedicados e mais 'comprometidos' fazem, acabei deixando intencionalmente isso de lado.

E quanto a mais trabalhos sobre o PUA, infelizmente existem poucos, e os que existem são bem restritos mesmo – é difícil pacas fazer pesquisa sem restringir as coisas rsrs. Mas tá pra sair uma pesquisa de uma inglesa, parece que vai ser interessante e com uma visão ampla sobre todo o PUA.
Avatar pua
yg0zera

Aprendiz

#934061 Parabéns por seu titulo de mestrado, e que não pare por ai, rs. Um ponto legal é o material que você conseguiu devolver pra comunidade.

E a vai continuar participando da comunidade agora que terminou seu projeto? í