Assuntos não relacionados ao tema principal do fórum.

Criador do tópico

GRibeiro

Aprendiz

#1031899 Olá amigos do PUABASE!

Gostaria de compartilhar com vocês uma história que se passou comigo durante grande parte desse ano. E não há lugar melhor do que esse para contar isso e colher algumas opiniões. Uma grande história de uma grande filha-da-putagem que afetou não só a mim, mas abriu um leque derramando merda pra todos os lados.



Bom, vou começar do começo. Namoro há 3 anos e 2 meses e desde que conheci minha namorada ela sofria de depressão. Ela passou por diversos profissionais no passar do tempo, mas nenhum de fato supriu a necessidade dela. Se você já teve ou conhece alguém que passou por algum quadro depressivo, sabe o quão delicado é. Apesar dela ter essa doença, isso não atrapalhava nossa relação, muito pelo contrário, nos fez ter uma conexão muito forte, pois sempre ajudei de forma positiva e quase sempre fui um bom namorado.

Sempre estudei PUA e li livros sobre psicologia feminina. Treino em campo quando estou sozinho e as vezes até com minha namorada, mas somente para não perder a prática. Nunca traí ela e se você acha que sou idiota por nunca ter traído, então não é o tipo de pessoa que pensa do mesmo jeito que eu. Eu li um ótimo livro, chamado The Sexual Key, do JD Fuentes. Leitura OBRIGATÓRIA para qualquer homem que quer ser objetivo em seu jogo. Mas apesar de tudo, eu nunca brinquei com o psicológico de minha namorada, sempre procurei preservar o relacionamento disso, por isso "testava" as técnicas em outras garotas. Algumas técnicas usei e uso, mas eu não jogo com desonestidade.

Pois bem. No início do ano de 2016, mais precisamente em fevereiro, fui em uma clínica para consulta médica e vi que tinham um psicanalista bem conhecido em minha cidade. O diferencial dele é que trabalha em conjunto com o psiquiatra, então além da relação medicamentosa ele acompanhava o tratamento de perto, o que poderia ser algo bem eficaz.

Então, o que eu fiz? Indiquei para minha namorada. Ela foi na primeira consulta com ele e o psicanalista cobrava R$250,00 por sessão, fora as que o psiquiatra também participava, que chegava em R$500,00, fora os medicamentos que ela tinha que comprar. Teve meses que ela pagava R$2.000,00 no tratamento, mas apesar do preço, foi o primeiro tratamento que realmente ajudou ela. Fiquei muito satisfeito. Ela finalmente conseguiu lidar com a depressão, amigos. Foi um marco histórico finalmente a ver feliz, satisfeita por completo.

E aí como nem tudo são flores, algo começou a acontecer em junho. No final do mês. Nossa conexão começou a morrer. Eu juro pra vocês que é a maior angústia que pode sentir na vida. Temos o costume de nos encontrar nos fins de semana e por pior que fosse, víamos algum filme, cozinhávamos, fazíamos coisas diferentes mas tinha aquela conexão ali. Isso começou a se romper. Eu percebi isso e o que estava acontecendo era um colapso: o rapport tinha sido quebrado, a atração estava esvaindo, tudo começou a ficar preto e branco. Sentia uma pontada no peito.

Ela brigava comigo cada vez mais, qualquer coisa ela perdia a paciência comigo e o pior finalmente aconteceu, meus amigos. Eu perdi o valor para ela. Sim, perdi todo o valor. No início do julho ela disse que devíamos dar um tempo. Isso foi como levar uma facada no peito. Até eu finalmente concordar com isso, foi muito choro no ouvido dela. Sei que isso não adianta, mas eu comecei a perder minha identidade. Sim, eu era extremamente dependente do nosso relacionamento. Eu cortava o assunto por dias, me mostrava indiferente e nada. Pela PRIMEIRA VEZ EM TODA MINHA VIDA meu jogo não estava dando certo. Nada a atingia, não conseguia mais gerar rapport nem nada, ela se desligou totalmente. No fim de julho eu consegui gerar rapport e atração, tivemos um bom sexo depois de muito tempo. Só que no dia seguinte isso já tinha ido pelo ralo, era como se algo estivesse drenando esse esforço todo.

Em agosto ela me disse que deveríamos ver outras pessoas, que acabou. Se você já terminou um relacionamento sabe muito bem do que estou falando. É aquele sentimento que sai destruindo você por dentro, eu fiquei como um vegetal por uns 5 dias. Não comia, mal bebia, tudo que sabia era ficar olhando para o teto. Consegui me recompor em mais ou menos 7 dias. Resolvi investir mais uma vez no relacionamento, mas agora eu ia mudar o jogo. Comecei a sair com outras garotas, como ela mesma recomendou e curtir a vida. Ela viu isso e começou a correr atrás de mim. No fim de agosto voltamos o namoro, ela que me pediu para voltar e tal. Eis que no meio de setembro começou a acontecer a mesma coisa.

Tinha algo puxando a energia do relacionamento. Era como se fosse um parasita, literalmente. Mais uma vez, lá se vai atração, rapport, tudo, tudo de novo. Agora foi por minha escolha. Me determinei seguir a regra dos 30 dias sem contato e terminei a relacionamento. Em 5 dias ela não parava de me ligar, até que resolvi atender e ela me disse que queria conversar comigo, que tinha uma coisa que havia acontecido. Que estava acontecendo desde o início. Ela ia me explicar tudo, e de fato, me explicou.



Aqui é onde realmente começa a história.

Fui conversar com ela. Tudo fazia sentido agora.

Primeiro, logo na primeira consulta com o psicanalista, ele disse que eu não era bom para minha namorada. Disse que eu não tinha um emprego, que eu não era bom o suficiente, que não era tão inteligente quanto ela. Amigos, tenho 19 anos. Estou estudando para entrar na faculdade, não tem nexo. É como se ele tivesse falando sobre um cara de 50 anos fracassado. E o pior vocês ainda não sabem. Ele cobrou uma consulta da mãe dela e disse a mesma coisa. Ele quis me tirar do caminho desde o início. Ela me falou que quanto mais foi passando o tempo, mais ele falava para ela me esquecer.

Além disso, ela me descreveu como aconteceu tudo. Ela ia no consultório dele e durante as sessões ela ficava excitada sem ele nem mesmo falar sobre sexo. Eu reconheço muito bem essa técnica. Está explícita nos infindáveis livros de sedução e psicologia feminina, como no The Sexual Key que falei no início. O homem estava jogando com minha namorada durante as consultas. E se passaram sessões e mais sessões, até que ele falou que se ela quisesse sair com ele, era pra ligar no celular dele. Mas não podiam ser vistos em público. Ele fazia algumas consultas com ela por telefone, pois geralmente quando ela tinha uma recaída, ligava para ele. Certo dia ela ligou para ele e então falou para não ficar chateada e que ele iria pegar ela na casa dela para eles conversarem. Ele foi na casa dela, pegou ela e levou direto para o motel. Ela ficou sem reação. Se sentiu culpada e que isso tudo era culpa dela, então ela tinha que fazer o que ele propôs. Fizeram sexo no motel.

Não acaba por aí. Ele começou a criar laços e a brincar com ela. O jogo dele estava armado. Depois que ele me tirou da questão, criou uma dependência emocional. E aí todas as vezes que ela se sentia confusa, ligava pra ele e ele se aproveitava da melhor forma possível. Começou a levar ela pra casa dele. Ele fazia como se ela fosse a culpada por tudo e que ela tinha que fazer tudo simplesmente porque era culpa dela.

Vocês já leram sobre estupro? Sobre relatos de mulheres estupradas? Eu já. Recomendo que leiam. A maioria aponta que se sentem culpadas pelo ato. Seja pela roupa que estavam usando, seja pelas suas atitudes. A maioria não denuncia com medo da culpa cair sobre elas. E aí no caso da minha namorada, ela não me disse com medo de me perder. Não disse para a mãe dela porque ela com certeza iria colocar a culpa nela, assim como aconteceu uma outra vez. Minha namorada levou o cachorro no veterinário sozinha para ver um remédio para uma ferida que apareceu. Então o veterinário disse que tinha que fazer uma inspeção nela para ver se não tinha nada. Passou a mão nela inteira, inclusive dentro da calcinha, nos peitos, em tudo. Ela contou para a mãe e a mulher disse que a culpa era dela, por ter ido de short. Me poupe.

E aí o que ela iria fazer? Contar para a mãe sobre o psicanalista? Os maiores problemas psicológicos que minha namorada tem é devido à mãe dela. O pai dela faleceu há 10 anos. Não vou entrar em detalhes sobre isso, mas eu entendo perfeitamente porque ela escondeu tudo.

Ela me contou isso faz dois dias. Mas não tem mais nada que possamos fazer. Não tem provas de que ele fez isso e mesmo se tivesse, ela não iria prestar queixa porque isso iria expor sua situação. E aí o cara está saindo ileso. O homem tem 58 anos e ela 19. Ele resolveu o caso de depressão dela, mas causou outros problemas. Ela me mostrou suas costas, estavam cortadas com faca para todo lado. Ela não sabia o que fazer, ficava nervosa e se cortava. Estava a beira do suicídio só para fugir desse situação.

Eu não consigo descrever para vocês o ódio. A falta de conexão que nós tínhamos era proque ela estava trancada no mundo interno dela, sem saber o que fazer. Estou ajudando ela a passar pelas dificuldades, estou tentando de todo jeito impedir que ela continue se cortando. Alguns de vocês deve pensar que é tudo mentira que ela inventou para dar para o velho, mas eu digo que não. Ela era refém dele. E agora com problemas psicológicos ela vai recorrer a quem? O homem que tratava ela fudeu todo o tratamento por puro egoísmo, quebrou a ética porque quis transar com a menina mais nova. E digo que ele não fez isso só com ela. Dá para ver que existe um padrão.

E no fim da história, tanto eu quanto ela estamos de mãos atadas. Minha vontade é de ir na casa dele e destruir tudo, um homem desses devia passar por sessão de tortura. Tinha que apodrecer na cadeia. Isso não é um homem, isso é um pedaço de merda.

Fica essa história para vocês refletirem, para entenderem que nem tudo é culpa de vocês. Às vezes somos ótimas pessoas, mas as coisas não dão certo não por nossa culpa e sim por outros fatores. Às vezes abordamos alguma garota na balada e ela não quer nada, achamos que fizemos algo de errado. Mas muitas vezes não é sua culpa e sim fatores externos. Você não pode dizer se alguém está bem ou mal, se alguém perdeu uma pessoa querida, se alguém está com dinamites no peito prontas para explodir a qualquer momento.

Queria ouvir opiniões do que vocês acham sobre o assunto, estou sendo bem forte para aturar isso e ajudar ela. Se alguém tiver uma ideia, crítica, sugestão. Tudo é bem vindo.

Obrigado aos que leram.
Avatar pua
Adidas

Aprendiz

#1031902 Não há muito o que fazer, como você disse, estão de mãos atadas... O máximo é você procurar dar forças pra ela, o cara está imune. Não sei qual a desses profissionais (nem podemos chamá-los assim, na verdade). Uma ex minha que também sofreu de depressão disse a mesma coisa: primeira consulta, a primeira coisa que o cara disse foi que nosso relacionamento não iria dar certo. No mais, stay strong brother.

Criador do tópico

GRibeiro

Aprendiz

#1031904 Concordo com você. Não são profissionais, é até um insulto para os verdadeiros profissionais chamá-los assim.

Muito obrigado pelo apoio.
bob esponja.

Aprendiz

#1031916 Pó, que situação em cara. Mostrou um realidade que praticamente ninguém deve saber. Nem eu mesmo sabia. O que você contou ainda deve ser pouco. Agora vou ficar atento com esse tipo de negócio.

Meu amigo também contou de um ginecologista na cidade dele que se aproveitava da posição dele pra passar a mão na mulherada.

É aquilo que você disse, o cara é um especialista na mente feminina e se aproveita do seu conhecimento.
Que você consiga sair disso, porque só que passa por isso, é que sabe o sofrimento.
decin_bh

Aprendiz

#1031921 Cara.. q história a sua. Faz com que nossos dramas com elas sejam apequenados perto disso.
Ela não tem conversas por texto que possa usar como provas?
Não sei qual sua intensão com ela a partir de agora...pode até querer ajuda-la, mas veja sempre seu próprio bem, antes de tudo.
Avatar pua
Realistico - MEMBRO EXCLUSIVO
#1031928 Caralho... estou chocado, mas eles transaram mais vezes depois que ele levou ela pro motel? Ele abusou dela de alguma outra forma?

Cara... é complicado, deve haver alguma prova disso, não?
Sinystro

Aprendiz

#1031929 Este caso é complicado de mover alguma ação contra ele, já que mesmo de forma manipulada ele tenha feito ela sentir atração por ele, foi consentido. A não ser que vocês tenham provas e possam alertar a clinica/associação dos psicologos, bem que mesmo sem provas acredito que vocês possam abrir um caso sobre isso, até impedindo novas vitimas.

Sobre a depressão da sua namorada eu lhe recomendaria a leva-la a algumas seções de Hipnoterapia, aproveitando também para ajudar a ela esquecer deste caso com o psicanalista e tratar a depressão que já esta presente nela a algum tempo, no caso da Hipnoterapia você ou alguem de confiança vai poder acompanhar a sessão, fazendo até ela se sentir mais segura para entrar no processo, além de gastarem bem menos com um Psiquiatra ou terapeuta.

Já sobre o caso em si, será dificil superar porém é a unica saida, infelizmente tem profissionais deste carater em todos os ambientes, e nunca imaginamos que alguém que estaria ali para a principio nos ajudar, faça uma merda destas...
Avatar pua
Cuequinha

PUA EXPERT

#1031930 Pelo amor de deus! Que bizarro!
Não sei o que eu faria mas provavelmente eu iria encher esse cara de porrada. MUITA PORRADA.

De qualquer forma, o cara fudeu o relacionamento de vocês. Será impossível voltar aos tempos de antes, mas juntos, talvez vocês consigam uma conexão diferente, e quem sabe melhor não é?

Abraços,
Cuequinha.
Avatar pua
Opqf

PUA Avançado

#1031941 Esse livro Sexual Key é bom, mas é algo BEM SUPERFICIAL (0,0000000000001%) do que se trata realmente a psicologia e psiquiatria.

Estou trabalhando seriamente com a idéia do psicanalista ser um PSICOPATA. Pelo que percebi, isso ficou claro nas seguintes declarações:

- Ele viu uma fragilidade emocional dela clara. E, como bom conhecedor da psiquê humana e lidar com depressão, ele através da manipulação precisava catalisar esse "problema" dela para alguma coisa e, claramente, ele colocou isso em você. Ora, qualquer pessoa que entende de manipulação sabe. Que uma pessoa frágil emocionalmente e MUITO mais fácil de ser sugestionada a fazer o que você quer. Só basta mexer com o inconsciente e ser assertivo nas suas declarações. Lembrando que psicopatas tem um tato de leitura corporal muito forte, principalmente acerca de ansiedade e medo. Isso aliado ao fato dele ser psicanalista, se potencializa ainda mais.

- Isso, logicamente, fez ela quebrar o sistema de crenças dela. E, quando se faz isso, demora um certo tempo e é exatamente nesse momento que você cria um laço emocional com ela (fiz um tópico sobre a alteração de crenças através de uma pergunta, e isso quase fez ruir um noivado de uma amiga minha quando utilizei o padrão e ela me pergunta se eu estou namorando até hoje, cheguei a tirar a aliança dela e ficamos de mãos dadas). Isso, inclusive, é uma das estratégias mais conhecidas de um psicopata para persuadir e usar alguém a seu bel-prazer (e já fiz isso inclusive). Um dos casos mais famosos de como fazer isso é visto com o Charles Manson e o Ted Bundy (esse estudou numa faculdade de psicologia. E dos fictícios, tem o psiquiatra Hannibal Lecter também).

- Psicopata não é necessariamente um Serial Killer. Ele se aproveitou da fragilidade da sua namorada para satisfazer o seu desejo sexual e ele fez isso com muitas outras mulheres, com a absoluta certeza. É o "padrão" de comportamento manipulativo dele. E não foi abuso, pois foi consensual e, querendo ou não, ela também é responsável por essa atitude. Como o ID dele é mais alto, ele agiu pelo impulso, manipulou o Ego dela através dos impulsos inconscientes e se aproveitou disso para conquistar ela, como eu já fiz diversas vezes com as pessoas com quem quero tirar vantagem de alguma forma. E não tem como processar pelo seguinte caso. Se ela foi, houve consenso, e não tem como haver provas porque não há testemunhas e não há clara incidência de violência sexual proporcionado por ele. Se alguém me processasse por isso, mostraria que o nosso sexo foi completamente natural, com ela disposta a fazer sexo comigo (detalharia o máximo isso para mostrar a sinceridade e simular gestos corporais com as palmas abertas) e inverteria a situação enquadrando vocês num novo processo a condenando por difamação e calúnia por parte dela e sua, complicando de vez a sua situação para vocês dois.

- Provavelmente o fato dela se cortar hoje seja o fato do psicanalista psicopata ter deixado de herança pra ela algo como a Síndrome de Borderline. O fato dela ficar instável emocionalmente ao extremo talvez explique tudo isso que esteja acontecendo com você.

Ora, a mulher tá com problemas, eu vi uma oportunidade de seduzir ela e quero manipular ela para satisfazer o meu prazer. O que irei fazer? O lógico. Canalizo esses problemas todos no companheiro (seja ele namorado, noivo ou esposo. Se for solteira, canalizo nesse fato e sugestiono a ideia de um relacionamento) e mexo com o inconsciente dela me colocando como a melhor opção e uma oportunidade irrecusável de felicidade na vida dela através de uma lavagem cerebral meticulosamente bem preparada. Era o que eu faria nesse caso.

É isso que aconteceu e, se fosse você, correria fora enquanto há tempo.

Tópicos que explicam o que aconteceu nesse caso:

transformando-crencas-das-pessoas-t113495.html (Preste atenção no Destroyer Boyfriend que utilizei nesse tópico)

acho-que-ainda-estou-bem-t114059.html (Olhe atentamente esse relato GRibeiro)

quer-entender-como-funciona-manipulacao-entao-toma-t114124.html
Avatar pua
Chasen

Aprendiz

#1031944 A sua namorada está precisando de suporte emocional nesse momento. Creio que você está fazendo muito bem este papel, amparando-a, colocando-se a disposição para ajudá-la. Nota-se que um processo de transferência foi estabelecido no setting terapêutico, agindo o psicanalista de modo anti-ético ao se aproveitar da fragilidade emocional que a afetava. Sugiro a busca por um(a) profissional qualificado(a) que possa ajudá-la a enfrentar melhor a situação. É provável que a desconfiança dela em relação a figura do masculino esteja abalada, por este motivo se for viável procure uma terapeuta do sexo feminino. Pesquise por um(a) profissional que seja especializado(a) em terapia junguiana. Sou psicólogo e atualmente faço pós-graduação em terapia junguiana e posso afirmar que é uma experiência transformadora. Seja criterioso na escolha do(a) profissional, pesquise previamente por indicações. Boa sorte!