Membros normais não podem criar tópicos mas podem responder tópicos dos veteranos.


Ao atingir mais de 1 ano de cadastro ou envio de mais de 200 mensagens você automáticamente se torna membro veterano e pode postar nessa área.
Avatar pua

Criador do tópico

Ser - MEMBRO EXCLUSIVO
#922741 Aprecio livros que mostram a vida por um olhar diferente do comum.

Gosto da Sedução pq gosto de mulheres, e por gostar de mulheres, diferentes formas de vê-las me atraem.

Um "autor " q me marcou bastante foi N. Alita. Falo sobre ele nesse tópico:

jacare-que-dorme-vira-bolsa-baseado-nessahan-alita-t95382.html

Alita fala sobre o lado obscuro feminino...

Essa semana li uma obra curiosa e polêmica de Esther Villar - "O Homem Domado". Interessante esse livro, para mim está sendo um complemento do que li na coleção sobre o sofrimento amoroso do homem de N. Alita.

Eis alguns trechos do livro para observação (Não sou misógino e trago essas informações em nível de conhecimento para ser debatido, crido ou não):

"Podem os homens fazer seja o que for para impressionar as mulheres: no mundo delas, eles não valem nada. No mundo das mulheres só contam as outras mulheres. É óbvio que uma mulher sente-se feliz quando repara que um homem se volta na rua para vê-la. Se este homem estiver bem vestido ou se guiar um carro esportivo bem caro, a alegria é muito maior. É talvez comparável àquela sensação experimentada por
um acionista, quando lê um boletim de cotações da bolsa em alta. Não tem importância para a mulher que o homem seja simpático ou antipático, inteligente ou não. Para o acionista também é indiferente a cor das suas ações. Mas se, por outro lado, a mulher repara que outra se volta para a ver – o que sucede apenas em casos extremos, pois os padrões com que as mulheres se medem são muito mais duros que os dos homens – então, atinge o cúmulo da sua felicidade. Ela vive para isso: para o reconhecimento, para a admiração, para o “amor” das outras mulheres...Os homens não fazem a mínima ideia do mundo em que as mulheres realmente vivem..."

"Uma mulher só quererá impressionar um homem ao ponto de ele ficar junto dela e de a alimentar – no sentido mais amplo, entenda-se. Tudo o que ela investe em si, para além disso, visa as outras mulheres. Para além da sua função de sustentador, a mulher não liga qualquer importância ao homem. Se ele a abandona, é evidente que se enche de medo, pois a sua existência econômica está em jogo. Desgosto de amor é para uma mulher, na melhor das hipóteses, a sensação de se perder um bom negócio."


Imagem


"Código: Quero sentir-me segura junto de um homem.
Texto decifrado: Por amor de Deus, ele que não me venha com preocupações de dinheiro.

Código: Desistiria imediatamente do emprego se o meu marido o exigisse.
Texto decifrado: Logo que ele tenha dinheiro suficiente nunca mais trabalharei.

Código: Nada mais desejo que vê-lo feliz.
Texto decifrado: Farei os maiores esforços para que ele nunca repare como eu o exploro.

Código: Quero existir somente para ele.
Texto decifrado: Nenhum outro homem terá autorização de trabalhar para mim.

Código: Ele sabe simplesmente tudo.
Texto decifrado: Ele até pode ser usado como enciclopédia.

Código: Amo-o.
Texto decifrado: Ele é uma máquina de trabalhar de primeira classe."

"Quando estão entre si, as mulheres falam dos homens – se é que o fazem – com toda a normalidade. Mais ou menos assim como se falassem de
coisas, ou como se trocassem informações relativas a um aparelho doméstico, de cuja utilidade todas estão, de resto, convencidas...Quando uma diz: “Já não posso usar este casaco ou este chapéu porque o meu namorado não gosta dele”, ela quer dizer apenas: “Está bem, eu faço-lhe esse favor, de resto ele faz tudo o que eu quero.”


_____________________________________________________

Complemento (Fonte: Wikipédia):

Esther Margareta Katzen, mais conhecida como Esther Vilar é uma escritora argentino-alemã. É mais conhecida pelo seu livro de 1971, O Homem Domado, e suas continuações, que argumentam, ao contrário da retórica feminista e dos direitos femininos, que as mulheres em culturas industrializadas não são oprimidas, e que ao invés disso exploram um sistema bem estabelecido de manipulação dos homens.

Imagem

ANÚNCIOS

Avatar pua
Low

Veterano - nível 2

#922921 Ae Ser, de todos os postadores do forum no momento os posts que mais gosto de ler são os teus, você realmente se interessa em pesquisar e entender os porques, vai a fundo para encontrar as chaves de cada situação, não fica no tradicional "e agora galera, o que eu faço?" que é o que mais se vê por aqui.

Já li vários posts seus e aproveitei muito do que você costuma postar.

Sobre o tema deste post quero te dar uma sugestão, leia o livro Pandora's Box do Vin DiCarlo. Esse livro vai te dar algumas direções a seguir para ter em sua mente como funcionam os comportamentos de cada tipo de mulher.
Você já deve ter visto em vários sites, principalmente pornôs aquela chamada "tenha qualquer mulher na sua cama fazendo estas 3 simples perguntas", bom, foi através dessa propaganda que eu acabei me aprofundando na "filosofia" PUA, foi o primeiro livro que li e um dos melhores, ele é bem curto e o autor sugere que as mulheres podem ser classificadas de acordo com 8 tipos diferentes de personalidades, ele explica em detalhes cada um desses perfis e sugere as melhores maneiras de lidar com cada um desses tipos de mulheres.

As 8 personalidades são
1 - a jogadora
2 - a borboleta social
3 - a romântica incorrigível
4 - a cinderela
5 - a dançarina particular
6 - a sedutora
7 - a especialista
8 - a mulher moderna

Para traçar o perfil da mulher e saber quais são suas características se deve fazer as tais 3 perguntas que o anúncio apelativo informa, a partir das 3 respostas se vai cruzando as informações e chegamos a um desses 8 resultados, a partir daí o cara sabe com que tipo de mulher está lidando.

Muitos podem dizer, ah mulher é tudo igual, outros podem dizer que ridículo querer classificar pessoas.... mas pow, na nossa vida diária convivemos mesmo com todo tipo diferente de gente e depois que se lê esse livro começamos a analisar nossas amigas, vizinhas, colegas e percebemos que cada uma se encaixa em algum desses perfis e pelas descrições realmente a melhor maneira de lidar, atrair, conquistá-las é mesmo conforme as sugestões do livro, o que funciona para a "a especialista" de maneira alguma funciona para a "romântica incorrigível" .... aqui no forum se lê muitos relatos de caras que estão apanhando de mulher quando eles foram aplicar algum jogo nelas e acabou se quebrando todo pois a mulher era ainda mais jogadora e sabia o que estava fazendo, conhecendo então a maneira de interagir com "a jogadora" o cara a conquista.

Bom, depois dessa apresentação toda o que quero dizer é que observando os teus posts vejo que você se interessou muito pela linha de raciocínio do Nessahan e parece que não teve muito contato com outros livros que traçam perfis psicológicos e de comportamento de mulheres, então ficou meio empacado em um ponto de vista apenas, não sei posso estar errado mas tenho essa impressão. Ou então você leu vários livros e realmente se identificou mais com os conceitos do Nessahan.

Este livro que você apresenta agora também segue uma filosofia bem parecida a do Nessahan, mas eu gostaria de te sugerir um novo ponto de vista:

Tanto o Nessahan quanto a Esther estão certos, tudo que eles falam está correto, só que..... não é SÓ isso, eles parecem estar traçando o perfil de um ou dois tipos específicos de personalidades e generalizando como se TODAS as mulheres fossem desse jeito, o livro do Vin DiCarlo apresenta essa mesma linha de raciocínio para algum dos perfis que ele apresenta, mas para os outros apresenta outros pontos de vista totalmente opostos, então se aplicarmos os conceitos do Nessahan com TODAS as mulheres teremos uma chance de criar atrito desnecessário enorme quando estivermos diante de um perfil que não se encaixa em sua descrição, por outro lado teremos grande chance de sucesso quando encontramos o tipo de mulher descrito nos livros dos 2 autores que você indica.

Em meu caso específico eu me atraio e me interesso principalmente pelo tipo "a mulher moderna" e sempre que eu percebo em alguma mulher as características descritas no Pandora's Box eu sempre tenho sucesso do começo ao fim do relacionamento ou envolvimento, e de maneira alguma eu devo aplicar os ensinamentos do Nessahan ou tender a tratar "a mulher moderna" como sugere a Esther, e isso eu já fazia muito antes de ler o livro, eu nem mesmo sabia que me interessava pelo perfil "a mulher moderna" mas quando li o livro já de cara percebi que esse é meu tipo preferido e todas as sugestões de como tratá-las que estavam no livro já era como eu estava acostumado a tratar. E justamente essa minha maneira de tratar "a mulher moderna" de maneira alguma serve para tratar por exemplo "a jogadora" que nesse caso deve ser tratada como sugere o Nessahan. também pior ainda se eu tratar dessa maneira "a romântica incorrigível" que deve ser considerada do ponto de vista da Esther.

Então tanto Esther quanto Nessahan estão corretos, só que estudaram ou tiveram contato com apenas um tipo de personalidade feminina e acabaram generalizando total. Também gostei muito de ler Nessahan e muito do que ele diz tem serventia, mas isso somente em casos específicos, se considerarmos tratar a todas as mulheres da maneira como ele indica podemos perder ótimas oportunidades de manter ao nosso lado mulheres interessantes que em nada tem a ver com o que ele descreve, apesar de conseguirmos conviver perfeitamente bem com o tipo que se encaixa no perfil que ele descreve quando aplicamos a teoria de seus livros.

Quando tiver a oportunidade leia o Pandora's Box, eu acabei gostando tanto que baixei todos os livros do DiCarlo que encontrei (mais de 10) e li todos, é o que eu sigo como "escola" de minha preferência. Depois volte ao forum e comente o teu ponto de vista, você demonstra ser um dos mais interessados em pesquisar, conhecer e estudar esses assuntos por aqui.

Ah, outra observação, esses pontos de vista da Esther devem ter feito muito sucesso mesma na época em que o livro foi lançado, parece mesmo traçar o perfil da grande maioria das mulheres daquela época, anos 1970, mas já se passou algum tempo e hoje muita mulher decide se virar por conta própria, faz faculdade, presta concurso, investe na carreira e em cursos justamente para não ficar na dependência financeira e sentimental de ter sempre um marido que vá sustentá-la pelo resto da vida. Ainda existe o perfil que ela descreve, é normal, mas existem outros em que essa descrição não serve. Comente o que você acha sobre isso.








"Eu sou Lobo... Lobo Marunga, eu caço sozinho, eu não preciso de ninguém"
Avatar pua
Íncubo_THE

Aprendiz

#922926 Saudações, Ser!

Isso foi um choque de realidades para mim (rsrs).

Interessante saber que somos tão insignificantes para elas quando comparados à outras mulheres.

Na convivência com mulheres, é notável a procura por defeitos que elas fazem em outras mulheres, para se sentirem bem. Mulheres que ficam intrigadas com outras sem nunca terem trocado uma palavra e/ou se vistas antes. Seria todas essas idiotices para proteger o ego?

E a grande maioria de nós PUAs achamos este fórum por colocá-las em pedestais e assim sofrer nas mãos das mesmas. Ao mesmo tempo em que sempre fomos meros seres descartáveis [para elas].

É nesta realidade que as obras de Nessahan Alita - e pelo visto, também de Esther Villar - se mostram necessárias para um senso social eficiente.

Até mais! :D
Avatar pua

Criador do tópico

Ser - MEMBRO EXCLUSIVO
#923479
Low escreveu:Ae Ser, de todos os postadores do forum no momento os posts que mais gosto de ler são os teus, você realmente se interessa em pesquisar e entender os porques, vai a fundo para encontrar as chaves de cada situação, não fica no tradicional "e agora galera, o que eu faço?" que é o que mais se vê por aqui.

Já li vários posts seus e aproveitei muito do que você costuma postar.

Sobre o tema deste post quero te dar uma sugestão, leia o livro Pandora's Box do Vin DiCarlo. Esse livro vai te dar algumas direções a seguir para ter em sua mente como funcionam os comportamentos de cada tipo de mulher.
Você já deve ter visto em vários sites, principalmente pornôs aquela chamada "tenha qualquer mulher na sua cama fazendo estas 3 simples perguntas", bom, foi através dessa propaganda que eu acabei me aprofundando na "filosofia" PUA, foi o primeiro livro que li e um dos melhores, ele é bem curto e o autor sugere que as mulheres podem ser classificadas de acordo com 8 tipos diferentes de personalidades, ele explica em detalhes cada um desses perfis e sugere as melhores maneiras de lidar com cada um desses tipos de mulheres.

As 8 personalidades são
1 - a jogadora
2 - a borboleta social
3 - a romântica incorrigível
4 - a cinderela
5 - a dançarina particular
6 - a sedutora
7 - a especialista
8 - a mulher moderna

Para traçar o perfil da mulher e saber quais são suas características se deve fazer as tais 3 perguntas que o anúncio apelativo informa, a partir das 3 respostas se vai cruzando as informações e chegamos a um desses 8 resultados, a partir daí o cara sabe com que tipo de mulher está lidando.

Muitos podem dizer, ah mulher é tudo igual, outros podem dizer que ridículo querer classificar pessoas.... mas pow, na nossa vida diária convivemos mesmo com todo tipo diferente de gente e depois que se lê esse livro começamos a analisar nossas amigas, vizinhas, colegas e percebemos que cada uma se encaixa em algum desses perfis e pelas descrições realmente a melhor maneira de lidar, atrair, conquistá-las é mesmo conforme as sugestões do livro, o que funciona para a "a especialista" de maneira alguma funciona para a "romântica incorrigível" .... aqui no forum se lê muitos relatos de caras que estão apanhando de mulher quando eles foram aplicar algum jogo nelas e acabou se quebrando todo pois a mulher era ainda mais jogadora e sabia o que estava fazendo, conhecendo então a maneira de interagir com "a jogadora" o cara a conquista.

Bom, depois dessa apresentação toda o que quero dizer é que observando os teus posts vejo que você se interessou muito pela linha de raciocínio do Nessahan e parece que não teve muito contato com outros livros que traçam perfis psicológicos e de comportamento de mulheres, então ficou meio empacado em um ponto de vista apenas, não sei posso estar errado mas tenho essa impressão. Ou então você leu vários livros e realmente se identificou mais com os conceitos do Nessahan.

Este livro que você apresenta agora também segue uma filosofia bem parecida a do Nessahan, mas eu gostaria de te sugerir um novo ponto de vista:

Tanto o Nessahan quanto a Esther estão certos, tudo que eles falam está correto, só que..... não é SÓ isso, eles parecem estar traçando o perfil de um ou dois tipos específicos de personalidades e generalizando como se TODAS as mulheres fossem desse jeito, o livro do Vin DiCarlo apresenta essa mesma linha de raciocínio para algum dos perfis que ele apresenta, mas para os outros apresenta outros pontos de vista totalmente opostos, então se aplicarmos os conceitos do Nessahan com TODAS as mulheres teremos uma chance de criar atrito desnecessário enorme quando estivermos diante de um perfil que não se encaixa em sua descrição, por outro lado teremos grande chance de sucesso quando encontramos o tipo de mulher descrito nos livros dos 2 autores que você indica.

Em meu caso específico eu me atraio e me interesso principalmente pelo tipo "a mulher moderna" e sempre que eu percebo em alguma mulher as características descritas no Pandora's Box eu sempre tenho sucesso do começo ao fim do relacionamento ou envolvimento, e de maneira alguma eu devo aplicar os ensinamentos do Nessahan ou tender a tratar "a mulher moderna" como sugere a Esther, e isso eu já fazia muito antes de ler o livro, eu nem mesmo sabia que me interessava pelo perfil "a mulher moderna" mas quando li o livro já de cara percebi que esse é meu tipo preferido e todas as sugestões de como tratá-las que estavam no livro já era como eu estava acostumado a tratar. E justamente essa minha maneira de tratar "a mulher moderna" de maneira alguma serve para tratar por exemplo "a jogadora" que nesse caso deve ser tratada como sugere o Nessahan. também pior ainda se eu tratar dessa maneira "a romântica incorrigível" que deve ser considerada do ponto de vista da Esther.

Então tanto Esther quanto Nessahan estão corretos, só que estudaram ou tiveram contato com apenas um tipo de personalidade feminina e acabaram generalizando total. Também gostei muito de ler Nessahan e muito do que ele diz tem serventia, mas isso somente em casos específicos, se considerarmos tratar a todas as mulheres da maneira como ele indica podemos perder ótimas oportunidades de manter ao nosso lado mulheres interessantes que em nada tem a ver com o que ele descreve, apesar de conseguirmos conviver perfeitamente bem com o tipo que se encaixa no perfil que ele descreve quando aplicamos a teoria de seus livros.

Quando tiver a oportunidade leia o Pandora's Box, eu acabei gostando tanto que baixei todos os livros do DiCarlo que encontrei (mais de 10) e li todos, é o que eu sigo como "escola" de minha preferência. Depois volte ao forum e comente o teu ponto de vista, você demonstra ser um dos mais interessados em pesquisar, conhecer e estudar esses assuntos por aqui.

Ah, outra observação, esses pontos de vista da Esther devem ter feito muito sucesso mesma na época em que o livro foi lançado, parece mesmo traçar o perfil da grande maioria das mulheres daquela época, anos 1970, mas já se passou algum tempo e hoje muita mulher decide se virar por conta própria, faz faculdade, presta concurso, investe na carreira e em cursos justamente para não ficar na dependência financeira e sentimental de ter sempre um marido que vá sustentá-la pelo resto da vida. Ainda existe o perfil que ela descreve, é normal, mas existem outros em que essa descrição não serve. Comente o que você acha sobre isso.








"Eu sou Lobo... Lobo Marunga, eu caço sozinho, eu não preciso de ninguém"


Fala ai meu camarada, valeu pela contribuição, gostei muito do seu texto... Vc tem o link para baixar esse livro?

Eu conheço outras visões da psicologia feminina, porém, a que mais me atraiu, no campo dos relacionamentos, foi a de N. Alita, devido a uma comparação com os perfis que mais encontrei ao longo da vida, claro que Alita não contém toda a verdade sobre as mulheres, mas ajuda bastante a perceber muito da obscuridade feminina. Um ponto importante é ler Alita dentro de uma perspectiva humorística tb. Quanto ao livro de Esther, sim ele é da década de setenta e trata de questões da época, mas percebo que a mulher em essência obscura está bem desenhada nesse livro, lembrando que as mulheres tb tem um lado luminoso ...

Abraço!
Avatar pua

Criador do tópico

Ser - MEMBRO EXCLUSIVO
#923480
Íncubo_THE escreveu:Saudações, Ser!

Isso foi um choque de realidades para mim (rsrs).

Interessante saber que somos tão insignificantes para elas quando comparados à outras mulheres.

Na convivência com mulheres, é notável a procura por defeitos que elas fazem em outras mulheres, para se sentirem bem. Mulheres que ficam intrigadas com outras sem nunca terem trocado uma palavra e/ou se vistas antes. Seria todas essas idiotices para proteger o ego?

E a grande maioria de nós PUAs achamos este fórum por colocá-las em pedestais e assim sofrer nas mãos das mesmas. Ao mesmo tempo em que sempre fomos meros seres descartáveis [para elas].

É nesta realidade que as obras de Nessahan Alita - e pelo visto, também de Esther Villar - se mostram necessárias para um senso social eficiente.

Até mais! :D

Fala camarada, a realidade é chocante mesmo, né? Colocar mulher no pedestal é fria kkk

Abraço!
autodidata - MEMBRO EXCLUSIVO
#923485 Interessante, tenho vontade de ler esse livro, já tinha ouvido falar dele antes. Minha opinião é que essa autora realmente fala muitas verdades, ela defendeu tanto os homens que chegou até a ser ameaçada pelas feministas.
Realmente esse lance da mulher ser mais oprimida, tem dois lados, mais a verdade é que os movimentos feministas de hoje querem usar isso para implantar suas idéias. Acredito que esse conhecimento que você traz é útil, pois precisamos saber lidar com as artimanhas do sexo feminino, e reconhecer as suas táticas de jogo.
Mas acredito que cabe bom senso, pois tenho visto sites na internet, em que caras declaram guerra as mulheres, e acabam se tornando paranóicos. Saber escolher uma mulher, e prestar atenção as atitudes dela é importante, afinal existem mulheres que valem a pena, pelo menos eu acredito nisso.
Da mesma forma que nem todo homem é galinha, nem toda mulher é interesseira. Bom tópico ser, procurarei ler o livro em breve....
Kïng

Pickup Artist

#923488 Interessante o post, não conhecia essa autora, e provavelmente Alita deve tê-la tido como referência também, pelo ano em que o livro foi lançado.

O que é de mais interessante no post, é pelo fato desse livro ai ter sido escrito por uma mulher, o que faz passar grande credibilidade para as informações. Seria muito complicado um homem afirmar com tanta certeza que mulheres agem e pensam dessa maneira egoísta.

Em relação ao comentário do Low, que por sinal foi um feed bem legal, queria ressaltar esta parte:

Low escreveu:Tanto o Nessahan quanto a Esther estão certos, tudo que eles falam está correto, só que..... não é SÓ isso, eles parecem estar traçando o perfil de um ou dois tipos específicos de personalidades e generalizando como se TODAS as mulheres fossem desse jeito, o livro do Vin DiCarlo apresenta essa mesma linha de raciocínio para algum dos perfis que ele apresenta, mas para os outros apresenta outros pontos de vista totalmente opostos, então se aplicarmos os conceitos do Nessahan com TODAS as mulheres teremos uma chance de criar atrito desnecessário enorme quando estivermos diante de um perfil que não se encaixa em sua descrição, por outro lado teremos grande chance de sucesso quando encontramos o tipo de mulher descrito nos livros dos 2 autores que você indica.


Alita deixa bem claro que seus escritos não são generalizações, ele não diz que todas as mulheres são da maneira que ele descreveu. EXISTEM mulheres que agem da maneira que ele descreve, mas também existem as de boa índole. Deixa bem claro que os seus livros são relacionados as mulheres que agem de tal maneira.
E muito interessante essa colocação sobre o livro do DiCarlo, não o conhecia. Reforço o pedido do Ser, se tivé-lo ainda disponibilize para nós mano. :ae
Avatar pua
tiagobfriedrich

Veterano - nível 9

#923524 na minha visão limitada eu vejo como uma verdade parcial o que essa autora trás. eu acho que as mulheres fazem muito disso para impressionar as outras, mas não acho que seja 100% delas e não acho que elas agem 100% desta perspectiva.
no caso conheço mulheres que sustentam seus maridos e tem posição social maior que a deles, então como faz?
também vejo mulheres loucamente apaixonadas por seus amantes/namorados/maridos que parece que vai muito além com causar ciúmes e inveja nas outras, me vejo neste exemplo pois tem uma menina que é muito apaixonada por mim, precisa estar sempre falando comigo o dia inteiro, etc.. então, como faz?
não pergunto para insinuar que eu esteja certo, nem sei se essas minhas colocações estão certas embora eu no momento acredite nelas, mas pergunto "como faz" como uma dúvida real mesmo... vamos investigar isso aí :D muito legal a tópico irmão
Avatar pua
Ace Lennon - MEMBRO EXCLUSIVO
#923538 Eu tive uma experiência recente, e posso dizer uma coisa, vou pegar todo tipo de mulher sem me prender mais, agora só quero curtição, porque é complicado, realmente existe mulher de carater, mais achar uma que preste é como jogar na loteria, ou seja, é melhor ter várias namoradas que te respeita, do que ser um cara de uma mulher só, porque no fim quando você se limita a uma relação, acontece de você ser visto como homem de pouco valor, e com o tempo o respeito acaba, e ela vai procurar outra picka, é uma verdade, mulheres são mestres nesse jogo, e é por isso que defendo o jeito cafajeste !