Aqui é aonde Arquivamos as discussões e debates do PUABASE.
Apenas Membros VIPS
Organização sempre!

Criador do tópico

LordVitim2

Aprendiz

#982756 [p]Olá, pra você que não me conhece (o que provavelmente é o caso) meu nome é Ricardo e veio, por meio dessa, refletir e argumentar sobre alguns assuntos óbvios, como o título sugere, porém imensamente esquecidos ou, em última análise, subjulgados a certas teorias ditas mágicas ou até mesmo ao puro ego, esse tão "malégno" como ja dissera Shiryu.
Ok, talvez minha nula experiência no mundo PUA seja um fator determinante em concordar ou não nas meras opiniões que aqui desbravo, ou seja, NA MINHA CONCEPÇÃO são óbvias. Você talvez as considere estúpidas e escritas por alguém raso e imaturo que se aventura pela primeira vez nessas águas profundas e contraditórias da sedução, ou aceite um ponto ou outro e, em silencioso pesar, diga: é, esse cara tem razão nesse aspecto. As duas opções são igualmente válidas.[/p]
[p]Bem, se está aqui significa que quer mudança, quer sair desse estado deplorável e inseguro que religiosamente se encontra e alçar outro patamar que considere melhor e mais justo, porque é a pessoa mais ética, honesta e trabalhadora que existe, certo? Sinto discordar, meu caro, pois esse sou eu; tampouco seu pai ou sua mãe muito menos seu melhor amiguinho. O quê? Não acha o mesmo? Explique. Explique o que te faz tão incrível e especial. Explique-me, afinal, o que te faz ser melhor do que eu ou qualquer um aqui presente. A não ser que seja o Mark Zuckerberg ou o Bill Gates (sério, por favor, me responde se você for um desses dois!), acredito que precise de um tempo pra arrumar algum argumento concreto e válido que justifique toda sua glória e "especialidade". Volte quando tiver um.[/p]
[p]E então, meu caro, conseguiu? Bem, provavelmente não. Sabe por quê? Porque VOCÊ NÃO É (odeio caixa alta, mas se faz necessário).
"Ah, e você é?", definitivamente não. Sou só um merda qualquer que nada construiu e nada possui, no máximo usufruo de coisas dadas já quase prontas a mim. "E por que esses caras que você citou são? Quer dizer, eu sei quanto fodas são e talz, porém ainda permanecem humanos; cagam, mijam, ficam doentes e eventualmente vão morrer assim como eu", porque vivemos num sistema onde impera algo comumente dita MERITOCRACIA, onde só os "merecedores" que "foram atrás dos seus sonhos" sem titubear merecem, claro, os louros da vitória e as palmas de todos até suas mãos sangrarem de dor (que dramatismo desnecessário). Você e eu nos achamos tão superiores em razão da SUBJETIVIDADE, ou ego, mas prefiro a primeira pois exprime mais amplamente o que quero dizer. Nossa subjetividade sempre associará nossa inseparável noção de nós mesmos como surreal realização; a empatia ainda nos coloca, de certo modo, no lugar do outro, entretanto seremos eternamente melhores que qualquer um porque não há nada fora de si mesmo. Entendeu? Tua mente irá, de todas as formas e jeitos, querer te "proteger", blindar acerca do quão inútil é. E isso fica intrinsecamente claro perante diversas respostas automáticas do corpo humano, tal o próprio instinto de sobrevivência visto entre tantas espécies. Voltarei a discutir mais detalhadamente essa subjetividade posteriormente; por hora, argumentemos sobre a meritocracia.[/p]
[p]Marx dizia que o motor da história era a luta de classes, já que a lógica opressor x oprimidos seria um padrão dentre todas as sociedades, então inevitavelmente algum conflito resultaria nem que por inércia. Ouso discordar em parte, pois talvez o que movimente essa bagaça toda seja a diferenciação entre classes e como, nos inúmeros cenários, desejamos ser melhores do que todos (criando a elite). E por qual mecanismo isso se dá? Varia pelos períodos históricos. Na Grécia Antiga, sendo homem branco livre, ou seja, nascido na pólis de pai também livre, lhe concedendo direito a voto (sim, essa noção se modifica muito entre as épocas e as polis; em Esparta por exemplo havia a possibilidade de uma maior importância da mulher no meio público, obedecidas certas regras e etapas, algo nunca visto em Atenas). Na Idade Média e Moderna, se fortalece a noção aristocrata do sangue, ser filho do nobre já era, em tese, suficiente para estabelecer vínculos com a nobreza, independente de quem fosse ou das suas habilidades. Com a Revolução Francesa, surge um pensamento inovador e revolucionário: seus pais ou sua linhagem não mais tinham importância, mas sim VOCÊ, física e intelectualmente. O trabalho braçal, antes simples tarefa do escravo ou vassalo, começa a ganhar espaço (por mais que mesmo hoje ainda sofra preconceito; entre ser pedreiro ou recepcionista, mesmo ganhando metade, muitos jovens escolheriam a segunda opção) e, recentemente, vem a tal "american way of life" que com certeza já viu na escola, onde a meritocracia é levada ao extremo.[/p]
[p]Sim, caro leitor, esse modo de pensar atual não foi permeado outrora, é uma noção historicamente falando muito recente que data de, no máximo, duzentos e poucos anos. O que nos leva ao encontro direto daquilo anteriormente questionado: o que faz de Bill Gates tão especial? Ok, talvez esse seja um exemplo extremo mas, enfim, serve. Ele, na posse de suas plenas habilidades, criou nossa forma moderna de sistema operacional, até mesmo o próprio PC como um todo, alguém revolucionário que ficará nos livros de história. E também ganhou muito, mas MUITO dinheiro. PUBLICAMENTE, no modelo meritocrático, venceu na vida. Todavia PESSOALMENTE pode ser um completo perdedor, segundo sua própria noção. "Kkkkkkkkkkkkkkk depois dessa vou até fechar o texto"; olha, se chegou até aqui parabéns, você realmente é um cara com problemas mentais. Quero que guarde esses termos (publicamente e pessoalmente) pois na parte I irei me dedicar a debruçar-me sobre eles junto com a subjetividade.[/p]
[p]Essa pequena introdução serviu mais como breve contextualização histórica e a exposição de termos muito importantes para a narrativa das partes seguintes. Por hora, meu objetivo é desconstruir e, quem sabe, despertar reflexão interna do leitor ante sua própria perspectiva de si. Desculpe se deixei pontas soltas ou mal-explicadas; don´t worry, nos próximos capítulos tudo será explanado (assim espero).[color=#000000][/p][/color]

ANÚNCIOS