Área exclusiva para artigos e debates focado a pessoas que estão namorando.
De tudo para saber como AGIR no namoro.
SEFI

Aprendiz

#996848 Cara. Gostei do seu post, muito mesmo, e concordo com grande parte do que você disse, mas não com tudo (embora eu concorde com a maior parte, tem uma uma informação que eu não conheço pessoalmente - só escuto falar, e outra que discordo mesmo). Eu concordo quando você diz que está muito difícil encontrar uma mulher para ter um relacionamento sério, não que seja difícil ter um relacionamento sério, mas é que tem muita mulher dando adoidado por aí, e namorar/noivar/casar uma mulher rodada realmente não traz satisfação para homem nenhum; claro que também tem mulher mais séria, que só teve dois ou três namoros na vida e quando ficou com mais caras não deu pra todo mundo, isto existe, mas até você conhecer uma mulher assim, saber do passado, confiar, começar a namorar e o namoro vingar vai alguns meses (mas é possível). A mulher ganhou muito espaço nas últimas três décadas, e está ganhando cada vez mais, e isto mudou com certeza a maneira como nós, homens, nos relacionamos com elas; na época do meu pai a maioria das mulheres eram direitas, pra casar, existiam sim as sem-vergonhas, mas era a minoria, hoje, embora não tenha estatísticas para saber isto, a sensação é de que encontrar uma mulher pra casar é como achar uma agulha no palheiro (embora seja possível). A gente sai na balada e quando consegue ficar com aquela mulher nota 10 a gente vibra, depois até dá pra sair mais umas vezes com ela, vai pra motel, pra festas, sai com os amigos, faz programas a dois em casa...mas se isto vai virar um relacionamento sério já outros quinhentos. É comum ficar com alguém por um mês ou dois, ou um pouco mais, mas ficar com alguém por cinco anos ou mais tá raro, é claro que tem todos aqueles problemas como ciúmes, traição, brigas etc que fazem os romances não evoluírem, mas às vezes as duas pessoas são bacanas e simplesmente não combinam. Relacionamentos sérios, sérios mesmo, com confiança, admiração e respeito estão cada vez mais raros. A parte que não conheço é sobre os homens europeus, é claro que eu já escutei que na Europa predomina o matriarcado, mas eu nunca saí do Brasil, então não sei dizer se o que dizem é, de fato, verdade, e se for, qual a intensidade deste apoderamento feminino e desvalorização masculina. A outra parte, que discordo, é aquela que diz que homens criados em famílias comandadas/sustentadas pela mulher, no caso a mãe, pode comprometer o comportamento do homem, isto é muito relativo, ou seja, pode influenciar e pode não influenciar, depende como cada mãe/família cria seus filhos. Tem um colega que disse que Lei Maria da Penha só existe para humilhar o homem, não acho que assim não, esta lei protege mulheres de homens violentos, nós somos homens de bem, fazemos O JOGO para conquistar e ter mulher, mas tem homem (e muito viu) que é violento mesmo, extraordinariamente violento. Mas claro, concordo que seja possível uma mulher deixar um homem em maus lençóis sem que ele tenha feito mal a ela.

ANÚNCIOS

Avatar pua

Criador do tópico

rafaelopena

MEMBRO PROFISSIONAL

#996896
SEFI escreveu:Cara. Gostei do seu post, muito mesmo, e concordo com grande parte do que você disse, mas não com tudo (embora eu concorde com a maior parte, tem uma uma informação que eu não conheço pessoalmente - só escuto falar, e outra que discordo mesmo). Eu concordo quando você diz que está muito difícil encontrar uma mulher para ter um relacionamento sério, não que seja difícil ter um relacionamento sério, mas é que tem muita mulher dando adoidado por aí, e namorar/noivar/casar uma mulher rodada realmente não traz satisfação para homem nenhum; claro que também tem mulher mais séria, que só teve dois ou três namoros na vida e quando ficou com mais caras não deu pra todo mundo, isto existe, mas até você conhecer uma mulher assim, saber do passado, confiar, começar a namorar e o namoro vingar vai alguns meses (mas é possível). A mulher ganhou muito espaço nas últimas três décadas, e está ganhando cada vez mais, e isto mudou com certeza a maneira como nós, homens, nos relacionamos com elas; na época do meu pai a maioria das mulheres eram direitas, pra casar, existiam sim as sem-vergonhas, mas era a minoria, hoje, embora não tenha estatísticas para saber isto, a sensação é de que encontrar uma mulher pra casar é como achar uma agulha no palheiro (embora seja possível). A gente sai na balada e quando consegue ficar com aquela mulher nota 10 a gente vibra, depois até dá pra sair mais umas vezes com ela, vai pra motel, pra festas, sai com os amigos, faz programas a dois em casa...mas se isto vai virar um relacionamento sério já outros quinhentos. É comum ficar com alguém por um mês ou dois, ou um pouco mais, mas ficar com alguém por cinco anos ou mais tá raro, é claro que tem todos aqueles problemas como ciúmes, traição, brigas etc que fazem os romances não evoluírem, mas às vezes as duas pessoas são bacanas e simplesmente não combinam. Relacionamentos sérios, sérios mesmo, com confiança, admiração e respeito estão cada vez mais raros. A parte que não conheço é sobre os homens europeus, é claro que eu já escutei que na Europa predomina o matriarcado, mas eu nunca saí do Brasil, então não sei dizer se o que dizem é, de fato, verdade, e se for, qual a intensidade deste apoderamento feminino e desvalorização masculina. A outra parte, que discordo, é aquela que diz que homens criados em famílias comandadas/sustentadas pela mulher, no caso a mãe, pode comprometer o comportamento do homem, isto é muito relativo, ou seja, pode influenciar e pode não influenciar, depende como cada mãe/família cria seus filhos. Tem um colega que disse que Lei Maria da Penha só existe para humilhar o homem, não acho que assim não, esta lei protege mulheres de homens violentos, nós somos homens de bem, fazemos O JOGO para conquistar e ter mulher, mas tem homem (e muito viu) que é violento mesmo, extraordinariamente violento. Mas claro, concordo que seja possível uma mulher deixar um homem em maus lençóis sem que ele tenha feito mal a ela.


Obrigado pelo seu comentário, muito sucinto!

Com relação ao homem Europeu... o matriarcado não existe por lá, o que ocorre é um feminismo muito forte. O matriarcado em si trata-se de um ponto fixo onde a mulher recebe e abriga homens de tempos em tempos, chegaram a existir alguns orientais e outros, mas são primitivos e sociedades que nunca evoluíram tecnologicamente, sendo basicamente rural. O grande problema da Europa é que fora ou dentro das famílias o homem perdeu os seus valores e a sua capacidade de ser masculino. Os líderes europeus possuem características femininas (estilo mãezona, acolhedores, "carinhosos" e etc, politicamente falando). Um exemplo disso é a migração árabe em massa para a Europa. O homem europeu tornou-se impotente diante de situações violentas. A violência é um aspecto da esfera masculina e quando eu digo violência me refiro à homens da violência e não homens violentos. Como assim?

Exército, autoridades e etc são os homens da violência - usam dela para conter o mal. A capacidade física masculina e seu dever por obrigação existencial é de fato proteger as suas mulheres - e quando disso isso é no sentido de que os Europeus não são capazes de proteger as suas próprias mulheres. Abusos sexuais e abusos gerais à mulheres são registrados todos os dias na Europa por homens árabes (que enxergam o homem Europeu como inferior ~ passivo). O problema é que muitas agressões já chegaram a ocorrer próximo aos homens Europeus, isso mesmo - o que inclui até autoridades, que simplesmente não sabem lidar com a situação. Você já ouviu falar no Cavalo de Tróia?

É o que acontece com a Europa. E não há postura masculina à esse respeito. Compreende?

Com relação a formação familiar existem casos e casos. Se a sociedade é capaz de compreender o papel masculino e permitir aos homens que sejam másculos (capazes de proteger as mulheres. respeitá-las, mas não aceitar tudo o que elas impõe) tudo estará ok, pois, as próprias mulheres passarão isso à diante. Não importa se for apenas a mãe cuidando do filho ou de um casal homossexual. A questão central é que sim, a família nuclear deve ser a maior composição em uma nação. Os demais modelos de família podem viver livremente e serem felizes (a vida foi feita pra isso) - mas te digo que não existe nada que tenha funcionado melhor que o modelo patriarcal, ponto.

As políticas vermelhas são controvérsas, porque na Rússia principalmente as mulheres são quase servas dos homens,eles precisam ser FORTES e existem inclusives testes pra quando você namora uma russa, os pais dela vão testar se você tem CULHÕES pra proteger e cuidar da filha deles. Enquanto isso, nos países os quais eles difundem suas ideias é exatamente o contrário - os homens não são másculos e quando pensam que são na verdade são apenas idiotas ou violentos (o tipo condenável que você já citou). A lealdade da mulher russa ao marido é algo fora do comum e está acima de qualquer país ocidental. Muito curioso, não?

Ou seja... Pimenta no ... é refresco. Eles sabem muito bem o que suas ideologias são capazes de fazer socialmente. A Rússia também condena o homossexualismo - que é amplamente defendido em países que querem ser socialistas... Os ativistas são amplamente socialistas. Isso chega a ser irônico... E trágico. Mas quando as mulheres, gays e demais grupos perceberem que estão lutando contra seus próprios direitos... Poderá ser tarde.
Shipmaster - MEMBRO EXCLUSIVO
#1013088 CARA QUE POST FODA!!!

SEM PALAVRAS! Apenas digo que não vi ainda conteúdo melhor no PUA e olha que já li e assisti muita coisa!

Isso é uma filosofia de vida do sucesso, que eu acredito e vivo todos os dias e finalmente alguém para compartilhar dessa visão e aumentar ainda mais meus conhecimentos sobre viver dessa maneira!

Obrigado mais uma vez! E partiu ler o OMGR4!

Um abraço!
Avatar pua
splay

Veterano - nível 9

#1013090 Estamos precisando de mais tópicos assim no fórum...
O mundo está ficando cheio de bichas, bom para nós ALPHAS.

AVANTE MÀFIAS
Avatar pua

Criador do tópico

rafaelopena

MEMBRO PROFISSIONAL

#1032941
Aomine escreveu:rafaelopena, pode me responder duas coisas?

Tu vai continuar essa série?

Eu não gosto da promiscuidade, tanto masculina quanto feminina. Esse negócio de "comer" mulher que mal conheço e etc....não suporto isso.
Acha válido manter valores tradicionais(como por exemplo, sexo dentro de relacionamentos FIXOS) nos tempos atuais?

Abraços !!


Brother vou continuar sim! Já tem o OMGR4 inclusive omgr4-leis-guia-para-sucesso-masculino-your-best-t110792.html

Se você não curte a promiscuidade primeiro te dou os parabéns. São poucos que não são corrompidos pelo sexo, desejos e etc. E respondendo a sua pergunta... É TOTALMENTE válido manter esses valores, ainda que nos dias atuais a putaria seja LEI. Ser o "ALFA" (um homem com convicção e determinado) consiste grande parte em manter os seus valores e visões independentemente de quão absurdo isso soe para a sociedade. Saiba que você não está sozinho... e também estamos acompanhados pelos grandes homens da história!

O OMGR5 sai até amanhã! Um abraço.
Avatar pua
freebird

Veterano - nível 1

#1032945 gostei muito do topico, hoje em dia muitas pessoas deturparam o conceito de alfa, e os que querem manter a alcunha verdadeira de alfa acabam sofrendo demais, mas sendo verdadeiros alfas seguem em frente... muito bom
Avatar pua
Hashyno

Aprendiz

#1033268 Meu caro, eu gozo de alegria por ter a oportunidade de acompanhar seus posts contemporaneamente. Todo louvor aqui dispensado a você é merecido. Parabéns pelo trabalho e por sua sabedoria, que conosco compartilha bondosamente.

Lerei todos os capítulos do seu livro com muito entusiasmo e prazer.

Obrigado!
Kaz_91

Aprendiz

#1039704 Muito bom o texto!
Percebo que hoje em dia vivemos em um mundo onde a esquerda radical está ganhando cada vez mais força. Sou completamente a favor dos direitos que as mulheres conquistaram e completamente contra as limitações que eram impostas a elas no passado. Porém percebemos que existe um certo abuso em muitas situações, na qual muitos dos que se consideram "oprimidos" utilizam desse argumento para tirar vantagem ou se vitimizarem.

Aproveitando esse assunto cito que podemos perceber isso não somente no movimento feminista que se tornou radical demais, perdendo o seu sentido, mas também observamos algo semelhante quando se falam em questões de opção sexual, cor e raça e por aí vai. E o que mais me intriga é o número de políticos que se aproveitam disso para tirar vantagem, e isso vem ganhando cada vez mais força. Nas universidade públicas é desanimador verificar como esse esquerdismo radical está dominando a cabeça dos jovens.

Atualmente faço mestrado e isso se torna mais evidente ainda. Diversos professores com pensamentos radicais ganhando salários incompatíveis com a realidade brasileira e boa parte dos meus colegas vão para esse lado. Sou a favor do casamento gay, contra todos os tipos de preconceito e de violência, mas os militantes dessas causas estão perdendo a lógica, estão cegos. Isso reflete até no campo econômico. A maioria desse pessoal são socialistas, e como já foi dito aqui até se contradizem. Muitos defendem a política econômica existente na União Soviética sem saber que lá era proibido ser gay, ou que a ditadura socialista do local matou mais gente por exemplo do que o nazismo. Aliás outra contradição: aquilo era uma ditadura, algo que a extrema esquerda abomina. (Obs.: sou contra qualquer tipo de ditadura)

Esse problema persiste em diversos assuntos e ganha cada vez mais força, sendo mais intenso nas camadas socioeconômicas mais favoráveis, imagino eu. O medo é que uma geração inteira cresça com princípios tão radicais. Muitos deles se acham superiores intelectualmente aos demais e se consideram "mente abertas" enquanto não percebem que estão com a mentalidade extremamente fechadas.