Artigos e Técnicas com base em PNL ou Hipnose.
Não necessariamente voltada a sedução
Avatar pua

Criador do tópico

>>Psychokiller<<

Entusiasta

#677159 Este é o tópico 02 - Padrões de linguagem e a utilização de transições, que da continuidade ao assunto abordado no tópico 01 - Padrões de linguagem e a utilização de truísmos.

O que significa a utilização de transições nos padrões de linguagem da PNL e na hipnose ericksoniana?

PALAVRAS DE TRANSIÇÃO

As palavras de transição é um padrão de linguagem muito usado na PNL e na hipnose ericksoniana, elas são palavras conectivas que proporcionam uma mais natural e suave transição entre uma sentença e outra, ou entre uma frase e outra, sem sobressaltar o ouvinte, enquanto proporcionam também a sensação de que as sentenças estão relacionadas e ligadas, o que tornam as afirmações mais dignas de crédito.

OU PALAVRAS DE CONJUNÇÃO

As palavras de transição são comuns em nosso idioma, e são mais conhecidas como Conjunções [Vide Wikipédia] e é uma das dez classes de palavras definidas pela gramática. As conjunções são palavras invariáveis que servem para conectar orações ou dois termos de mesma função sintática, estabelecendo entre eles uma relação de dependência ou de simples coordenação. [Wikipédia]

São exemplos de palavras de transição: portanto, logo, pois, como, mas, e, embora, porque, entretanto, enquanto, nem, quando, ora, que, porém, todavia, quer, contudo, seja, conforme, à medida que, apesar de, a fim de que e etc.

E você as utilizam nas frases, e/ou as incorporando aos truísmos como nesta maneira abaixo:

"Você provavelmente esta ai sentado em uma cadeira, enquanto olha para uma tela e lê estas palavras, conforme vai as assimilando em sua mente, a medida que elas começam a formar frases e fazerem um certo sentido."

Agora imagine como seria o entendimento da mesma sequência de afirmações acima sem as palavras de transição.

"Você provavelmente está sentado em uma cadeira, olha para uma tela, le estas palavras, vai as assimilando em sua mente, elas começam a formar frases, fazerem um certo sentido"

Percebeu a diferença?

As palavras de transições provocam um certo inpacto positivo no entendimento das afirmações, e por isso elas se tornam úteis na utlização dos padrões de linguagem, e a medida que você vai lendo este texto e aprendendo sobre padrões de linguagem e palavras de transição, uma sensação de satisfação te toma por dentro, fazendo com que você acredite que aprender hipnose e PNL é possível e muito gratificante.

O bom de utilizar palavras de transições é que elas passam maior credibilidade as afirmações que você faz, e proporcionam esta suavidade e naturalidade conforme você se desloca de uma sentença para outra, e se vocês forem bons observadores, perceberam que eu estou utilizando estas mesmas palavras exatamente agora.

Bandler e Grinder escreveu:Há três tipos de associação. A mais simples é "e". A forma mais forte em segundo lugar é "Enquanto". "'Enquanto' vocês ouvem o som de minha voz, irão tornar-se mais confortáveis" ou "'Quando' eu estico a mão e toco seu joelho você tem a sensação de cair num estado ainda mais relaxado." "'Enquanto' vocês estão sentados aí, a ouvir o som de minha voz, sua mente inconsciente pode preparar uma recordação especialmente interessante de uma experiência infantil agradável." A forma mais forte "causa", utiliza palavras como "causa" ou "faz com que". "Ao erguerem o braço isso fará com que vocês se embalem numa agradável recordação." [Atravessando, 1985, p. 57]


Exemplo no livro Atravessando da utilização do Truísmo e das palavras de transição aplicadas em uma indução simples de transe:

"você está sentada aqui e pode ouvir o tom de minha voz. E pode sentir o calor de seus dedos que estão entrelaçados. . . E conforme se senta aí, pode sentir o apoio que a cadeira lhe oferece ao longo da região dos rins, e pode sentir o lugar onde as barras estão apoiando seus pés, bem na frente de seus calcanhares. E pode perceber, sentada aí, o calor do lugar onde suas mãos estão repousando sobre as pernas e as coxas, além de uma sensação de crescente conforto. E, da próxima vez que seus olhos começarem a se fechar, simplesmente permita que permaneçam assim e aproveite a crescente sensação de conforto interior."

Outro exemplo da aplicação das palavras de transição, desta ves evoluindo o nível das associações, começando das mais leves e, passando pelas médias enquanto, a medida que, conforme quando e etc até chegar nas de causação, como faz com que, causa, provoca e etc.

Você está me olhando e pode ouvir o som da minha voz, e pode sentir a minha mão segurando a tua enquanto toma consciência de uma profunda sensação de bem estar, e conforme vou falando, você pode notar a maneira profunda e envolvente como minha voz ecoa em teus ouvidos, provocando em você uma deliciosa sensação de bem estar.

Não é necessário seguir esta evolução linear, e nem sempre é preciso utilizar as palavras de transição, você utiliza aquelas transições que você julgar como melhor com base nas respostas que a garota te da, conforme você vai falando e executando a indução.

Não é necessário utlizar transições, mas como vocês mesmos puderam notar elas são uteis pois provocam um impacto consideravel na tua comunicação.

O Tópico como criar padrões de linguagem é um bom complemento a este texto e ao anterior sobre truísmo.

E por hoje é só, vou ficando por aqui.

Abraços!

:ae

ANÚNCIOS

eu4992 - MEMBRO EXCLUSIVO
#677410
>>Psychokiller<< escreveu:Este é o tópico 02 - Padrões de linguagem e a utilização de transições, que da continuidade ao assunto abordado no tópico 01 - Padrões de linguagem e a utilização de truísmos.

O que significa a utilização de transições nos padrões de linguagem da PNL e na hipnose ericksoniana?

PALAVRAS DE TRANSIÇÃO

As palavras de transição é um padrão de linguagem muito usado na PNL e na hipnose ericksoniana, elas são palavras conectivas que proporcionam uma mais natural e suave transição entre uma sentença e outra, ou entre uma frase e outra, sem sobressaltar o ouvinte, enquanto proporcionam também a sensação de que as sentenças estão relacionadas e ligadas, o que tornam as afirmações mais dignas de crédito.

OU PALAVRAS DE CONJUNÇÃO

As palavras de transição são comuns em nosso idioma, e são mais conhecidas como Conjunções [Vide Wikipédia] e é uma das dez classes de palavras definidas pela gramática. As conjunções são palavras invariáveis que servem para conectar orações ou dois termos de mesma função sintática, estabelecendo entre eles uma relação de dependência ou de simples coordenação. [Wikipédia]

São exemplos de palavras de transição: portanto, logo, pois, como, mas, e, embora, porque, entretanto, enquanto, nem, quando, ora, que, porém, todavia, quer, contudo, seja, conforme, à medida que, apesar de, a fim de que e etc.

E você as utilizam nas frases, e/ou as incorporando aos truísmos como nesta maneira abaixo:

"Você provavelmente esta ai sentado em uma cadeira, enquanto olha para uma tela e lê estas palavras, conforme vai as assimilando em sua mente, a medida que elas começam a formar frases e fazerem um certo sentido."

Agora imagine como seria o entendimento da mesma sequência de afirmações acima sem as palavras de transição.

"Você provavelmente está sentado em uma cadeira, olha para uma tela, le estas palavras, vai as assimilando em sua mente, elas começam a formar frases, fazerem um certo sentido"

Percebeu a diferença?

As palavras de transições provocam um certo inpacto positivo no entendimento das afirmações, e por isso elas se tornam úteis na utlização dos padrões de linguagem, e a medida que você vai lendo este texto e aprendendo sobre padrões de linguagem e palavras de transição, uma sensação de satisfação te toma por dentro, fazendo com que você acredite que aprender hipnose e PNL é possível e muito gratificante.

O bom de utilizar palavras de transições é que elas passam maior credibilidade as afirmações que você faz, e proporcionam esta suavidade e naturalidade conforme você se desloca de uma sentença para outra, e se vocês forem bons observadores, perceberam que eu estou utilizando estas mesmas palavras exatamente agora.

Bandler e Grinder escreveu:Há três tipos de associação. A mais simples é "e". A forma mais forte em segundo lugar é "Enquanto". "'Enquanto' vocês ouvem o som de minha voz, irão tornar-se mais confortáveis" ou "'Quando' eu estico a mão e toco seu joelho você tem a sensação de cair num estado ainda mais relaxado." "'Enquanto' vocês estão sentados aí, a ouvir o som de minha voz, sua mente inconsciente pode preparar uma recordação especialmente interessante de uma experiência infantil agradável." A forma mais forte "causa", utiliza palavras como "causa" ou "faz com que". "Ao erguerem o braço isso fará com que vocês se embalem numa agradável recordação." [Atravessando, 1985, p. 57]


Exemplo no livro Atravessando da utilização do Truísmo e das palavras de transição aplicadas em uma indução simples de transe:

"você está sentada aqui e pode ouvir o tom de minha voz. E pode sentir o calor de seus dedos que estão entrelaçados. . . E conforme se senta aí, pode sentir o apoio que a cadeira lhe oferece ao longo da região dos rins, e pode sentir o lugar onde as barras estão apoiando seus pés, bem na frente de seus calcanhares. E pode perceber, sentada aí, o calor do lugar onde suas mãos estão repousando sobre as pernas e as coxas, além de uma sensação de crescente conforto. E, da próxima vez que seus olhos começarem a se fechar, simplesmente permita que permaneçam assim e aproveite a crescente sensação de conforto interior."

Outro exemplo da aplicação das palavras de transição, desta ves evoluindo o nível das associações, começando das mais leves e, passando pelas médias enquanto, a medida que, conforme quando e etc até chegar nas de causação, como faz com que, causa, provoca e etc.

Você está me olhando e pode ouvir o som da minha voz, e pode sentir a minha mão segurando a tua enquanto toma consciência de uma profunda sensação de bem estar, e conforme vou falando, você pode notar a maneira profunda e envolvente como minha voz ecoa em teus ouvidos, provocando em você uma deliciosa sensação de bem estar.

Não é necessário seguir esta evolução linear, e nem sempre é preciso utilizar as palavras de transição, você utiliza aquelas transições que você julgar como melhor com base nas respostas que a garota te da, conforme você vai falando e executando a indução.

Não é necessário utlizar transições, mas como vocês mesmos puderam notar elas são uteis pois provocam um impacto consideravel na tua comunicação.

O Tópico como criar padrões de linguagem é um bom complemento a este texto e ao anterior sobre truísmo.

E por hoje é só, vou ficando por aqui.

Abraços!

:ae


Como estudante de PNL eu só tenho elogios a fazer ao seu tópico, inclusive pela brilhante citação de uma passagem do livro "Atravessando passagens em psicoterapia". Deixo aqui o meu feed como forma de incentivo para que você continue a ensinar de forma didática e através do dom da palavra escrita esta arte tão rica e prazerosa chamada PNL. Valeu brow, precisando de uma força estamos às ordens brother. Abraços!!! :ae
Avatar pua

Criador do tópico

>>Psychokiller<<

Entusiasta

#677644 Enquanto eu escrevo este texto resposta para você femelo, eu uso constantemente palavras de transições, e isso é um exemplo de uma aplicação delas em uma conversação real, e se você tentar, poderá se conscientizar do uso delas, pois enquanto você olha para a tela do computador e lê está respostas, varias dessas palavras estão sendo empregadas, portanto você só precisa estar atento afim de percebe-las.

E tipo, caso você me enviasse um outro feedback em resposta a este meu, eu poderia novamente em uma nova contra-resposta embutir no texto varias outras palavras de transição conforme fosse escrevendo, e quando você lese a contra-resposta isso faria com que você tivesse um entendimento diferente da coisa toda, e seria diferente caso as tais palavras de transição não estivessem sido empregadas.

E para mim este é um exemplo em forma de conversa, eu exagerei um pouco na resposta afim de ilustrar melhor a idéia que tentei passar, porém espero que de para você entender.
Dvf

#784287 Transição a meu ver nada mais é do que a coerencia. Voce usa as conjunçoes para prender o ouvinte. Passa-se a ideia de que a conversa é um todo um assunto só, quando na verdade o assunto muda o tempo todo e o ouvinte não percebe. Dessa forma, a transiçao permite que o assunto seja modificado sem quebrar o interesse. Isso permite que a pessoa conduza o ouvinte. Assim, o cara pode começar a falar de cebolas e consegue direcionar o assunto para fisica quantica sem desviar a atençao do ouvinte.
Hendrix84

#807571 Primeiramente, obrigado pelo post. O texto do livro fala da,força dessas palavras de transição, sendo "e"a mais fraca. O que isso quer dizer? Quer dizer que o "e" seria mais natural ao ouvinte ou que as palavras mais fortes como"causa" é que vão proporcionar a experiência mais forte/melhor?
Teria alguma categoria mais desejada?
Abraços
Avatar pua

Criador do tópico

>>Psychokiller<<

Entusiasta

#807582
Hendrix84 escreveu:Primeiramente, obrigado pelo post. O texto do livro fala da,força dessas palavras de transição, sendo "e"a mais fraca. O que isso quer dizer? Quer dizer que o "e" seria mais natural ao ouvinte ou que as palavras mais fortes como"causa" é que vão proporcionar a experiência mais forte/melhor?
Teria alguma categoria mais desejada?
Abraços


O "e" é a mais fraca porque ao gerar uma ligação de dependência entre a primeira sentença e a segunda, a transição utilizada não deixa evidente que a segunda sentença é consequência da primeira, o que diminui as chances de contestação por parte do ouvinte, porém diminui também as chances dele realizar a ligação de causa e efeito entre as sentenças.

Utilizar o "e" é mais indicado nas situações onde o rapport ou o poder de influência que você tem com seu interlocutor ainda não é sólido, assim a conjunção "e" age de maneira menos direta e menos invasiva, facilitando o rapport e dificultando a possibilidade de uma reação de rejeição pelo o ouvinte, que caso acontecesse poderia quebrar o rapport e/ou o estado de transe no qual ele estava adentrando.

"Causa" é uma conjunção mais forte por passar a informação direta e objetiva de que a segunda sentença é consequência da primeira, é mais indicada nos casos onde o rapport e o seu poder de influência sobre a outra pessoa seja alto.

Isso porque caso ela for utilizada quando o rapport ou seu poder de influência sobre a outra pessoa ainda não se estabeleceram, as chances de rejeição do ouvinte em relação aos comandos verbais embutidos nas sentenças empregadas é grande. O que faria quebrar o rapport e o estado de transe.

Já nos casos onde o ouvinte está suscetível a sua influência, "Causa" é mais indicado do que "e" pelo motivo de o ouvinte já estar aceitand mais facilmente os teus comandos, e também pelo fato da transição "Causa" ter a potencialidade de provocar um efeito imediato e mais forte do que o provocado por "e".

Imagem
Avatar pua
Don Gui

Aprendiz

#969382 Psycokiller enquanto lia seu post percebi que nunca havia dado importância as palavras de conjunções, sempre tentaram me ensinar nas aulas mas pra mim não serviam para nada, hoje vejo o quão importante são, com isso vejo que tenho que aprender a usa-las corretamente.