Aqui é aonde Arquivamos as discussões e debates do PUABASE.
Apenas Membros VIPS
Organização sempre!

Criador do tópico

Lucãao !

Veterano - nível 4

#988162 Olá amigos, este é mais um artigo que escrevi no meu blog (oespaco.net) sobre um fenômeno que acontece muito na nossa trajetória PUA (comigo aconteceu muito forte) e a gente precisa aprender a lidar com ele pra alcançarmos altos níves de game, chama-se: homeostase.


O link original é esse você encontra aqui.


Vamos lá, espero que seja útil:
________________________


>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Chega mais um ano. Você está empolgado e cheio de planos. Faz uma lista de resoluções para os próximos 12 meses com várias coisas boas que deixarão sua vida mais feliz. E o primeiro item está lá: praticar uma atividade física.



Ótimo! Você não quer perder tempo. Já são 10 anos de sedentarismo, está na hora de acabar com isso. Janeiro traz muita esperança, renovação! Logo então, você decide pela corrida. São incontáveis benefícios. Você vai ao shopping e compra um tênis bonito, roupas combinando, uma garrafinha de água, fones de ouvido e até mesmo uma revista com dicas sobre a prática.

Você está realmente animado e decidido. Você aprende sobre alongamentos, respiração e encontra um lugar bacana para a sua corridinha. Até que tem sido tudo divertido, começar algo novo é mesmo bacana!



Eis que chega o primeiro dia, você acorda mais cedo e toma um café reforçado. Seu despertador é Rocky Balboa. Veste sua roupa nova, se alonga e vai! Começa bem, ventinho na cara, está tudo dando certo. Então, lá pelo décimo minuto coisas estranhas começam a acontecer.



Uma sensação ruim. Tonteira? Um aperto no peito. Queimação. O ar não entra direito nos pulmões. Alguma coisa está errada. Será que vou morrer?



Não! Você (provavelmente) não está experimentando a morte, você está experimentando um fenômeno chamado homeostase.








O que é e como funciona o processo



Muitas vezes, quando decidimos por alguma mudança realmente significativa em nossa vida, sofremos algum tipo de recaída. Mesmo conscientemente sabendo que aquilo deixa a vida melhor, recaímos.



Mas isso não necessariamente faz de você um fraco, sem força de vontade.



O ser humano não responde bem a mudanças significativas. E isso é muito bom. É de fundamental importância para a sobrevivência da espécie, veja bem:



Imagine que a temperatura do seu corpo de repente caia 5 graus. Você estaria em apuros, concorda?



Por isso existem sistemas auto-reguladores que tentam sempre manter as coisas estáveis, da forma que estão. Bilhões de sinais eletroquímicos estão trabalhando no seu cérebro o tempo todo para manter o sistema equilibrado. O mesmo acontece para pressão ou qualquer outra função do corpo.

Esta resistência a mudanças significativas é chamada de homeostase. Uma tendência ao equilibro.

Dois pontos são interessantes nessa história.

O primeiro é que a homeostase não diferencia mudanças positivas e negativas. Toda e qualquer mudança significativa é um ataque e precisa ser combatida. As coisas devem permanecer como estão, mesmo que não estejam lá muito boas.


O outro ponto é que este conceito também se aplica, além do biológico, no psicológico, no social, enfim.. Ela está presente em tudo. Desde um micro-organismo até uma cultura inteira, passando por animais, indivíduos, famílias, organizações, sociedades...



Isso é bom, repito, a ideia não é desqualificar a homeostase. Estabilidade é importante. Equilibrio é importante. Entretanto, saber identificar as forças dessa estabilidade é de extrema importância. Nadar contra o equílibrio é inerente a evolução. Precisamos sentir aquele friozinho no estômago de vez em quando. As coisas mudam.




No excelente livro Maestria, de George Leonard, o autor nos dá o seguinte exemplo:



“Veja um caso que envolve uma família de cinco pessoas. O pai, alcoólatra, toma um porre a cada seis ou oito semanas. Durante o tempo que está bebendo, e por vários dias depois, a família vive um alvoroço permanente. Não é nada de novo. Esses alvoroços periódicos tornaram-se, de fato, o estado normal das coisas. Depois, por um motivo qualquer, o pai pára de beber. Você imagina que toda a família ficaria feliz, e fica – por algum tempo. Mas a homeostase tem maneiras estranhas e furtivas de responder a um ataque. Existe uma boa chance de que, dentro de poucos meses, outro membro da família (digamos, um filho adolescente) faça alguma coisa (digamos que seja apanhado traficando drogas) para criar exatamente o tipo de alvoroço que as bebedeiras do pai provocavam antes. Sem uma orientação profissional esclarecedora, os membros dessa família não compreenderão que o fllho, sem querer, tomou simplesmente o lugar do pai, para manter o sistema familiar no estado que se tornara estável e ‘normal’”.




Acredito que não tenha exemplo melhor do que esse, ele deixa claro que a homeostase:



- é um fenômeno, não só fisiológico, mas também social;

- é muitas vezes difícil de ser identificada;

- não sabe diferenciar mudanças boas de ruins;

“Certo, certo.. Já entendi como isso tudo funciona, mas...





Como posso aplicá-lo à vida real?"





aqui[/url], eu mostrei três dicas rápidas que podem ajudar a adicionar boas mudanças de vida. Agora, vou lhe passar mais três estratégias que podem ser de grande ajuda nesse sentido. Para isso, imagine a seguinte situação:



Você queria ter uma vida mais saudável e então resolveu diminuir consideravelmente açúcares e doces da sua vida. Tudo vai bem, em pouco tempo você começa a sentir uma diferença positiva na rotina. Você emagrece, passa a ter mais disposição e energia. O trabalho rende mais. O desempenho sexual melhora e o humor também.



Vamos lá:



1) Consciência.


Tentar entender como a homeostase reage em você é, provavelmente, o mais importante. Não é fácil. Você não é o pior ser humano do mundo por sentir as forças homeostáticas atuando. Espere por uma resistência forte. Espere por um desejo louco de comer chocolate. Isso não quer dizer que você é fraco e nasceu pra ingerir doces. Ter uma dieta ruim não é a sua condição de vida.

Pelo contrário, o alarme homeostático te mostra que há uma mudança ocorrendo. Não se deixe levar pelo primeiro sinal de fraqueza.


“Poxa, eles deveriam estar felizes com a minha mudança”.[/i] Não necessariamente. Porém isso também não quer dizer que eles são pessoas ruins, mesmo que tentem te enfiar coca-cola naquele churrasco ou que te reprimam de forma veemente e séria. Isso é apenas a homeostase fazendo efeito no seu convívio, seja lá da forma como vier. Citando Maestria mais uma vez: “todo sistema precisa mudar, quando parte dele muda”. Esteja ciente de que isto também é válido para os seus grupos sociais. E se prepare pra isso.






2) Negociação.



Negociar é um ato de extrema sabedoria. Você está seguindo sua vida sem açúcares e de repente esbarra em um vontade incontrolável de comer algo doce. Sente fome extrema, fraqueza, às vezes até ansiedade e estresse. Sua namorada diz que você anda esquisito, pra parar com essas bobagens. Você começa a questionar a motivação disso tudo, parece que foi tudo uma tolice, uma decisão estúpida.

Ok, pode ser sim que você tenha embarcado em uma grande tolice. Entretanto em 99% das vezes, isso são forças homeostáticas que querem dizer:


“alerta! Alerta! Estabilidade abalada! Mudança perigosa! Volte imediatamente ao ponto de equílibro!”



Então, o que fazer? Seria melhor recuar ou tentar forçar um avanço mais radical? Nem um, nem outro. A resposta se encontra na negociação. Este sinal pode ser usado como uma informação. Utilize-o para modelar a sua mudança. Conheça seus limites para poder ultrapassá-los. Observe. Talvez um passo pra trás pode ser necessário para dar dois à frente. Transforme o inimigo em seu guia. Nunca sabemos de onde virão as forças da homeostase, por isso esteja sempre atento.


Mas tome cuidado com as falsas negociações. Rotas de fuga e recaídas disfarçadas podem ser racionalizadas (a mente cria uma justificativa aceitável para a recaída) de negociações. Esteja pronto para negociar com seriedade. Tenha sempre em mente o progresso gradual e duradouro.


3) Consistência

Essa é curtinha e parece até um pouco óbvia, mas é importante ressaltar. Em nosso exemplo, o que aconteceria se você conseguisse manter uma consistência na missão de consumir menos açúcar?

Depois de um tempo o padrão da homeostase iria se deslocar, não é mesmo? O seu equilíbrio corporal, mental e social agora é de um indivíduo que ingere poucos açúcares. Se eventualmente acontecer de você extravasar no doce, a homeostase trabalhará ao seu favor, isso não é incrível? Assim nascem os bons hábitos!

O segredo é sempre tentar manter uma consistência. Se recair, tudo bem. Volte imediatamente à luta, de modo a garantir que essa recaída cause o mínimo de estrago possível. Se a recaída abalar demais, pode ser que atrapalhe toda a consistência e então o processo vai se reiniciar da estaca zero e o sofrimento se repetir como se fosse a primeira vez.







Conhecendo a homeostase e as três estratégias, você tem as ferramentas necessárias para aplicar qualquer resolução em sua vida.



Espero que tenha sido útil e que você tenha muito sucesso!

ANÚNCIOS

Avatar pua
avila - MEMBRO EXCLUSIVO
#988167 Poxa, faz muito sentido isso. Temos essa resistência a mudança msm e muitas vezes isso nos confunde. Como vc disse, começamos um objetivo mto animados, mas depois, logo começamos a questionar aquilo, até chegar no ponto de desistir.
Vai ajudar mto, com certeza.
Léon

Aprendiz

#988168 Muito informativo esse seu artigo pude me identificar em uma situação que ocorreu comigo quando decidi praticar muay thai comecei a me sentir desconfortável mas minha força de vontade em continuar a praticar essa arte se sobre saio ao método sedentário de viver.

Obrigado pelo seu post. :ae
Avatar pua
o cientista

Veterano - nível 3

#988183 Belo poste. Isso tem acontecido pra caramba comigo, mas agora que já sei. Vou tentar nadar ao favor da corrente da água instalanda a mudança em mim, ao invés de desistir e me manter na zona de conforto... :ae
LenzBR

Veterano - nível 1

#988184 Post sensacional! Eu já sou bom em controlar a homeostase ao meu favor a maior parte do tempo, intuitivamente, adquirindo bons hábitos, porém, alguns são uma verdadeira luta e esse post ampliou minha visão do processo, gostei do assunto e vou procurar ler esse livro, pra ver até onde esse Iceberg vai.
Avatar pua
PauleraKid

Aprendiz

#988193 Lucãao, meu brother...

Sensacional esse post, cara! Se no teu blog tiver conteúdo bom assim, vale um follow do PauleraKid! Muita gente pode combater esse tipo de auto-sabotagem natural, agora que tu trouxe à consciência dos leitores um processo inconsciente. Obrigado por empoderar a comunidade. Sucesso (ainda mais) pra ti.
Avatar pua
TheFlash12

Aprendiz

#988208 Realmente... Conteúdo muito bom e explicativo. Obrigado por trazer até aqui, a melhor forma de lutar com algo algo é saber com que se etá lutando! :legal
cristian.ag

Aprendiz

#988713 Haha que artigo, hein?! Será de grande ajuda. Venho tendo dificuldades em algumas mudanças e ter uma consciência do que fazer nessas recaídas é um auxilio e tanto. Muito obrigado! Também darei uma olhada no livro citado para aprofundar o conhecimento. Abraços.