Avatar pua
caio guiilherme
#679244 Para muitas mulheres, o silêncio é a banda sonora da deceção. Elas desejam que os homens falem, mas não se conformam com o facto de emitirem apenas ruídos. Existem frases que soam como notas musicais nas comédias românticas: abrem-lhes as portas do coração. Está pronto para afinar o seu violino?

Os homens tomam como garantidas muitas coisas que as mulheres precisam que se verbalizem. Existem várias teorias que demonstram que os homens preferem agir enquanto as mulheres optam por refletir. Muitas articulam mesmo os seus pensamentos através das palavras. Elas gostam disto...

Estudos demonstram que uma mulher profere 7 mil palavras por dia enquanto nós, homens, apenas balbuciamos 2 mil, sendo mais de metade empregue com clientes, colegas de trabalho ou para o televisor, mais precisamente para o desempenho de algum árbitro durante um jogo de futebol. Este desequilíbrio entre a verborreia feminina e a sua escassez verbal traz, ao fim de anos, o peso de uma fatura dolorosa. Geralmente, um casal, ao fim de algum tempo, pensa que está tudo feito. Erro crasso! Regra geral, após alguns anos, os homens deixam de verbalizar o que sentem e as mulheres deixam de os acompanhar em alguns programas que gostam. Por exemplo, enquanto namoradas assistem aos jogos de futebol, depois de casarem deixam de o fazer. Mais vale apostar na qualidade do que na quantidade.

“Sei o quanto é importante para ti”
As mulheres avaliam o estado de saúde de uma relação pelo grau de entendimento que sentem com os seus parceiros. A esta avaliação acresce o facto de as mulheres, sobretudo a partir dos 40 anos, atravessarem uma certa instabilidade emocional. A sociedade já as qualifica como ‘velhas’ enquanto os homens ganham um reputado estatuto de ‘maduros’ e ‘charmosos’. Portanto, este é mais um ponto em que deve investir, ou seja, é muito importante que ela sinta o seu apoio.

“Como correu o meu dia?”
Quando a sua mulher lhe pergunta – “Como te correu hoje o dia?”, não quer ouvir apenas – “Bem, e a ti?”. Ela quer detalhes, de preferência até ao mais ínfimo pormenor. Ao responder ‘Bem’, ela interpreta como falta de vontade para contar o seu dia e isso, a longo prazo, é devastador. Conte-lhe mais detalhadamente. Envolva-a também nessa parte da sua vida. Para aumentar a eficácia da conversa, explique como se sentiu. "Fiquei nervoso quando não aceitaram logo a minha proposta, mas, depois de trocarmos ideias, reconheço que o trabalho ficará mais consistente". Ela precisa de o ouvir falar dos seus sentimentos e também gosta de receber elogios que são importantes em qualquer relação conjugal. De facto, “a expressão de admiração entre os cônjuges constitui um pilar importante para a manutenção do amor romântico”, diz a dra. Cláudia Morais, autora do livro Sobreviver à Crise Conjugal.

“Não marques nada para o próximo fim de semana. Vou surpreender-te”
E que tal ajustar o calendário sexual da sua mulher através do ciclo menstrual? Assim, poderá planear melhor os fins de semana românticos. A ovulação aumenta os níveis hormonais, o que eleva a libido das mulheres até às nuvens nos seus dias mais férteis. A ciência comprova-o: um estudo realizado a 68 mulheres sexualmente ativas, publicado na revista Reprodução Humana, revelava um aumento da frequência de relações sexuais de 24% nos seis dias anteriores à ovulação. Calcule o início deste período mágico contando duas semanas desde o dia em que termina a menstruação dela, sobrando seis dias. Depois é só surpreendê-la… Qualquer mulher gosta
de fantasias em ambientes aquáticos: numa piscina, no mar... Elas gostam, sobretudo, de atos românticos. Faça-os! Prepare um cenário excitante a dois e verá como ela reage.

“Devias marcar um jantar com as tuas amigas e divertir-te um pouco. Eu tomo conta dos miúdos”
Uma relação é enriquecida quando os dois partilham experiências que viveram separadamente. Ter espaços próprios permite valorizar mais os espaços partilhados. Mas convém ter cuidado ao utilizar esta frase, uma vez que não se pode utilizar como arma de arremesso, caso seja você a pretender passar algum tempo sem ela. O efeito seria justamente o contrário ao pretendido.

“Vou já ter contigo à cama, estou só a acabar de lavar a loiça”
Em 2003, um estudo levado a cabo pelos investigadores da Faculdade de Riverside da Universidade da Califórnia (EUA) a 3.500 pessoas chegou à conclusão de que os homens que desempenhavam tarefas domésticas eram sexualmente mais atrativos para as parceiras do que aqueles que quase nunca o faziam. Não se trata apenas de dar uma ajuda, mas sim de assumir tarefas caseiras como também suas.
É importante que partilhem responsabilidades em casa, mesmo que sejam poucas. Se a mulher não trabalhar, esta partilha de tarefas não tem de ser, obviamente, igualitária. Mas se ambos têm profissões exigentes, ajudem-se. É que assim terão muito mais tempo para estar a sós!
:lingua