Aqui é aonde Arquivamos as discussões e debates do PUABASE.
Apenas Membros VIPS
Organização sempre!
Avatar pua

Criador do tópico

Über

Veterano - nível 3

#894726 Salve galera, tudo na paz?

Uma questão um tanto quanto delicada vem tirando, literalmente, minhas noites de sono. Há cerca de seis anos atrás, eu conheci uma garota fantástica, porém o sentimento que eu nutria por ela não foi correspondido. Até aí tudo bem. Da mesma forma como eu tenho a liberdade (e não só a liberdade como o DIREITO) de não corresponder às investidas amorosas de uma mulher, ela também tinha.

Desde cedo me foi incutida a idéia, falaciosa diga-se de passagem, de que as melhores mulheres presavam por um homem educado, inteligente e romântico. Essa idéia me agradava muito, pois moldar nossa educação, inteligência e romantismo era bem mais fácil que moldar nossa aparência, que nem sempre são contempladas pelas bençãos de Afrodite. Me agradava, porém não me convencia. Eu estava convicto de que da mesma forma como eu presava pelas mulheres mais bonitas, as mulheres presavam pelos homens mais bonitos. E cá entre nós, beleza nunca foi o meu forte.

Há cerca de seis anos atrás dia eu cheguei na sala de aula, me sentei e fiquei na minha, como sempre. Depois de inúmeras tentativas fracassadas, eu cheguei a conclusão de que mulheres só davam valor para os "picas das galáxias" da vida.

"Vou sentar aqui para ligar meu notebook na tomada."

Olhei para o lado e me deparei com a mulher mais bonita que conheci até hoje (só pra salientar isso, ela era modelo). Não só de rosto e de corpo, mas a voz dela também era hipnótica. A princípio fiquei sem reação. Olhei para o outro lado, ninguém. Para trás, ninguém. Para frente, ninguém. Só tinha eu e ela na sala, então o papo era comigo mesmo.

"Meu nome é Fulana."

"Meu nome é Über, prazer em conhecê-la!"

E assim foi o começo do que poderia ser um relacionamento promissor, mas se estou aqui é porque ele só PODERIA, mas infelizmente não foi. Ela dizia já ter namorado, mesmo tendo dado vários IDIs... mas fazer o que, a vida não é perfeita. Perguntei se ela namoraria comigo se não tivesse namorado. Queria saber se estava no caminho certo, se estava sabendo agir como homem ou como perfeito idiota. Então ela me veio dizendo que tinhamos gostos, gênios incompatíveis.

Tudo bem, essa conversa de homem romântico cheio dos guéri-guéri que tinha me convencido desde os tempos mais remotos caiu por terra. Nossas supostas diferenças suplantaram qualquer grau de romantismo que eu poderia ter para com ela.

Dito isso, chego ao ponto: será mesmo que diferenças constituem impedimentos para um relacionamento? A idéia de que você precisa necessariamente de uma pessoa igual a você é repetida para mim tal como um mantra. Um mantra aparentemente sem sentido nenhum, na minha opinião. As pessoas preferem aceitar do que questionar, pois é mais cômodo. Como sou a exceção, eu questiono.

Até onde vai o meu conhecimento, um relacionamento consiste numa convivência na qual se estabelece uma ligação de afeto mútuo. E a única forma de vivenciar isso é se permitindo a chance de conhecer o próximo. Isso, claro, se descartamos mecanismos de pré-seleção ou até mesmo se formos aprovados neles.

As diferenças não tornam a vida em comum insuportável. Pelo contrário, elas vem para somar na vida do próximo. Você aprende coisas novas e expande o seu conhecimento, podendo inclusive a se tornar uma nova pessoa. Não que pessoas em comum não irão acrescentar nada uma na vida da outra, mas pessoas que pensam diferente são propensas a sentir isso com mais intensidade.

Nada impede que um cara extrovertido namore uma garota introvertida, que um cara que curte música clássica namore uma garota que curta heavy metal e assim por diante. A essência de um relacionamento jaz na afeição mútua, e não na convergência de pensamentos!

Ainda que tomassemos a premissa como verdadeira, nada obsta que uma pessoa verdadeiramente determinada tente mudar para, assim, ficar do lado da pessoa amada. Como eu disse, é uma tentativa. Só saberemos se, de fato, tentarmos. Não dá para dizer que não gostamos de açaí se nunca provamos.

O pior de tudo é quando a pessoa tem a capacidade de te julgar da forma mais rasa possível e continua a acreditar cegamente nesses argumentos de terceira categoria, sem sequer parar para te escutar e te dar uma oportunidade de provar de que as coisas não são assim.

Mal entendido? Não. Elas fazem isso deliberadamente para não macular sua própria imagem. Mentem descaradamente porque dizer que não te acha bonito faria dela uma mulher fútil e vazia perante as demais.

Então, meus ilustres amigos, não acreditem em tudo que te dizem, se não vocês vão ficar correndo atrás do próprio rabo, ou seja, atrás de uma resposta que jamais irão obter, pois ela não existe! É de uma tremenda sacanagem você inventar mentiras e desviar a pessoa do caminho que ela deve seguir para preservar seu ego perante os demais.

Vocês acham que as diferenças constituem impedimentos à um relação? Por que?

Forte abraço a todos.

ANÚNCIOS

PabloBQ

Aprendiz

#895124 só atrapalha pra quem liga pra "imagem" e só consegue olhar pro seu próprio ego...se preocupa com o que os outros falam...
se uma pessoa não se permite ter relação com outra aparentemente com cultura, jeito, pensamentos diferentes, penso eu que não seria uma relação "produtiva". Talvez penso assim por ter sede de coisa nova...de estar sempre aprendendo.

ótimo tópico! parabéns!

"Não que pessoas em comum não irão acrescentar nada uma na vida da outra, mas pessoas que pensam diferente são propensas a sentir isso com mais intensidade."
Avatar pua
geral123

Veterano - nível 6

#895125 Bro, não acho que impeça, mas que dependendo das diferenças, atrapalha.
Vou dar alguns exemplos, e depois você me diz o que acha, seguindo sua linha de raciocínio, é claro...
Vou ser bem direto, você gosta de homem?
Gosta de dar a bunda?
Suponho que a resposta seja não, e que você também não tenha provado pra saber se é bom ou não. (não sou homossexual, apenas deixando claro isso)
Tem coisas que realmente não dá pra se explicar, você não gosta, sabe que é ruim, as vezes você se engana, mas é raro os casos, vou citar o exemplo de pizza de frango com catupiry (bem estúpido, mas acho que dá pra explicar), todo mundo que eu comia em rodízio gostava dessa pizza, e eu nunca fui com a cara dela (olha que pratico musculação e como frango bagaraio) e eis que um dia eu resolvo provar.
Não gostei.
Já tinha uma ''certeza'' de que não gostaria, aquele frango ralado, sei lá, não gostei, não sei explicar ao certo o porquê.
Mas voltando ao assunto agora das diferenças, eu odeio mulheres fumante, e tenho praticamente certeza que nunca namoraria uma, nem ficaria (mesmo nunca tendo ficado, nem namorado com uma).
Pode ser a HB10 que for (não curto muito dar nota pra mulheres, mas pra deixar claro que seria uma bem bonita), ser uma leoa na cama, que aquele cheiro de cigarro em tudo quanto é lugar, aquele bafo, me broxaria.
A questão dos gostos a mesma coisa, eu não suportaria uma mulher que gosta de axé, forró, pagode, samba, etc.
Enfim, é algo realmente complicado de se explicar, de se debater, cada um tem uma opinião diferente nesse tipo de discussão, mas acho que consegui deixar claro meus pontos
Abçs
Avatar pua
Juk. - MEMBRO EXCLUSIVO
#895155 Claro que as diferenças não atrapalham. De jeito nenhum. A questão é como ambos lidam com elas. Com maturidade e bom humor nada vira problema.

Agora, pelo que percebi, os livros do Alita iriam acrescentar e muito para sua vida amorosa. Procure no site.

Por fim, se tivesse que lhe dar um conselho, na boa, esqueça essa ideia de que as mulheres querem um cara certinho, educado, romântico... Elas querem homens seguros de si, que atraem muitas mulheres, que tem opções, que são imprevisíveis e, principalmente, não desesperados.