Avatar pua

Criador do tópico

Don Ramon - MEMBRO EXCLUSIVO
#736358 A auto-hipnose como terapia para vencer seus medos

O poder da imaginação


Napoleão costumava dizer que “a imaginação controla o mundo”. Realmente, se você estiver numa rodinha de amigos e supreendê-los informando que há uma epidemia de piolhos no bairro, poderá reparar que em poucos minutos todos estarão coçando a cabeça, expressando preocupação.
Assim como um eletrocardiograma acusa os mais finos impulsos elétricos de seu coração, o eletroencefalograma também registra os menores impulsos elétricos do seu cérebro. Se alguém se sente realmente ameaçado por um inimigo, surgem no eletroencefalograma registros que são exatamente iguais aos que se originam quando alguém apenas imagina que está sendo ameaçado. Se alguém tem a certeza e sente que está passando por um grande vexame, as curvas do seu eletroencefalograma se assemelham por completo às que teria apenas com a imaginação viva de estar se tornando alvo do vexame.
Podemos, desta forma, estabelecer alguns princípios fundamentais sobre a ação/reação da imaginação sobre a realidade.
1 - O que determina o nosso modo de agir não é a realidade existente, mas aquilo em que cremos e que, para nós, é a verdade.
A pessoa que se sente ameaçada ou perseguida, mesmo que não haja nenhum perigo em torno dela, vive com medo da “sua realidade” que, mesmo sem ter relação com a “realidade externa”, é muito poderosa para ela. E os nossos medos podem ser entendidos desta forma.
Os nossos medos não precisam refletir a realidade externa, porém, fazem parte da nossa realidade interna. É por isso que muita gente tem medo de alma penada, curupira, extra-terrestres etc.

2 - A imaginação é capaz de provocar alterações de toda sorte no organismo de uma pessoa.
E, comprovadamente, estas alterações têm correlação qualitativa: pensamentos positivos - fé, amor, esperança, alegria etc. - provocam reações saudáveis na pessoa. Sentimentos negativos - ódio, ressentimento, medo etc. - provocam reações desagradáveis, como por exemplo, dores, prisão de ventre, indisposição estomacal, insônia e, segundo comprovam as pesquisas, também fazem baixar o nível imunológico tornando a pessoa predisposta à infecções de diversos tipos.

3 - Tudo o que pensamos, com clareza e firmeza, transplanta-se, dentro dos limites do bom senso, para a faixa somática
Ao imaginarmos que estamos comendo uma fatia gostosa de abacaxi, é comum que as glândulas salivares comecem a segregar saliva, já repararam isso? Se imaginarmos, com firmeza, que não podemos fazer uma coisa, por exemplo, soltar as mãos fortemente encaixadas uma na outra, então não poderemos mesmo.

4 - Nosso consciente é constantemente influenciado pelo subconsciente
Desta forma, podemos programar nosso subconsciente para o sucesso da mesma forma como podemos programá-lo para o fracasso.

5 - Quando a razão e a imaginação têm pontos de vistas diferentes, vence sempre a imaginação.
A imaginação é mais forte que a inteligência. Mesmo sabendo (razão) dos riscos estéticos de comer doces a toda hora, poucos resistem à idéia (imaginação) de provar uma fatia daquele pudim de laranja gostoso que está na geladeira. Assim sendo, nenhuma pessoa inteligente deve fazer tentativas a partir, exclusivamente, da “força de vontade”. Antes disso, ela precisa, necessariamente, reprogramar sua imaginação.
É exatamente neste princípio que se fundamenta a cura do medo pela auto-hipnose. Observe que o medo é uma projeção da imaginação. Se você “imagina” que os cachorros vão lhe morder, não os enfrentará.

6 - O acesso mais fácil para o subconsciente é o estado de total relaxamento.
Quando as ondas cerebrais caem para em torno de oito ciclos por segundo - estado alfa - abrem-se os poros do nosso subconsciente facilitando a transferência de informações do consciente para a memória profunda. Assim sendo, é justamente quando estamos relaxados que devemos “incutir” na nossa mente as novas verdades nas quais queremos acreditar.

Pontos importantes a considerar:

1 - Uma coisa que angustia uma pessoa, nem sempre angustia outras pessoas. Isto prova que as nossas angústias decorrem muito mais da forma como “apreendemos” determinados conceitos do que próprio fato em si. Exemplo? Alguns estudantes têm medo de matemática, outros não. Logo, o que é pernicioso não é a matemática, mas sim o medo da matemática.
2 - Se você repetir, com insistência, uma determinada “informação”, esta informação será apreendida pelo subconsciente e se converterá em verdade. Exemplo? Se você repetir com insistência “quando deito na cama, pego no sono com extrema facilidade” nunca mais passará uma noite insone. Sabe por quê? Porque quando você deitar na cama, seu subconsciente identificará este ato e responderá com ordem de adormecer.
3 - Quando, entretanto, você repete uma “informação” (como uma ordem) estando auto-hipnotizado, ou seja, em profundo relaxamento, esta informação segue direto para o subconsciente, fazendo com que você ganhe tempo e eficiência.
4 - Você nunca deve expressar sua vontade para informar ao subconsciente o que realmente deseja. Isto, como vimos, provocaria um duelo entre a sua vontade e a sua imaginação. Se você afirmar “não tenho medo de quarto escuro”, seu subconsciente responderá “tem sim!”, porque esta é a sua realidade. Se você, entretanto, afirmar “quarto escuro, tudo bem”, evitará o duelo vontade/imaginação e seu subconsciente incorporará esta frase como uma nova verdade. E você logo perderá o medo de quarto escuro.
5 - De um modo geral, todos os males orgânicos têm um correspondente psicológico. E, quase sempre, estes correspondentes estão ligados ao medo ou ao ressentimento. Banindo o ressentimento - e isso se obtém perdoando a tudo e a todos incondicionalmente - você recuperará a saúde naturalmente, e males antes apontados como “incuráveis”, ou crônicos, desaparecerão da sua vida. Vale a pena experimentar. Custa tão pouco; é só esquecer o orgulho bobo que tanto mal traz para nossa vida.
6 - Se você, sempre que lembrar de um mal físico ou psicológico, repetir três vezes “estou melhorando rapidamente”, com certeza terá melhoras expressivas...e rapidamente. Experimente!
7 - Você é capaz de vencer qualquer tipo de medo, repetindo com insistência: “tal coisa (cite o objeto do medo) é completamente indiferente para mim”. Um exemplo? Veja: “lugares altos ou lugares baixos são completamente indiferentes para mim. São só lugares onde sempre me sinto muito bem.”
8 - Quer emagrecer? Repita: “alimentos que engordam são completamente indiferentes para mim”. Ou, “como sempre moderadamente, e tenho uma preferência especial com comidas leves e sem gordura”.
9 - Quer vencer a timidez? Repita: “muito me agrada o convívio com outras pessoas. Me sinto muito bem conversando com elas”. Ou, “Diante de estranhos, muita calma.”
10 - Lembre-se: cada “problema”, seja ele físico ou mental, resulta de um conceito mal formulado. Reformule o conceito e resolverá o problema. Tal como num problema de matemática. Não há mistério nisso.
11 - Se você, a partir de hoje, dedicar mais um pouco de atenção às outras pessoas, se envolver mais com a humanidade (entendendo que as pessoas só reagem mal porque “apreenderam” conceitos errados) e, doar mais afeto e compreensão ao invés de tentar “concentrar” o mundo ao seu redor, com certeza você estará começando uma nova vida. Uma vida - com certeza - sem medos e plena de realizações.



A sugestão hipnótica
Sugestão é a imposição temporária da vontade de uma pessoa no cérebro de outra por um processo puramente mental. Um empregado que executa a ordem do patrão está, em verdade, agindo sob sugestão; ele obedece ao desejo de ganhar o seu salário. Um professor que todos os dias repete os mesmos preceitos e ensinamentos a seus alunos está, em verdade, impondo-lhes suas opiniões. O pai que censura o filho por algum erro está, de algum modo, inculcando novos padrões de conduta na mente dele. A mãe que acaricia seu filho tenta, por meio desse carinho, acalmar, motivar e equilibrar o emocional da criança. O orador que cativa o auditório está também impondo suas opiniões.
Assim sendo, tudo nesse mundo é sugestão; nossas próprias idéias não são nossas, são sugestões admitidas e incorporadas na nossa memória como nossas. E nenhum sono é necessário para aceitarmos estas sugestões.
Externamente, agentes físicos também produzem efeitos sugestivos sobre nós; dessa forma, um livro, um acidente, um filme, acordes de uma música ou até mesmo uma simples pessoa podem encher nosso espírito das mais diversas impressões, que vão da felicidade à dor. Um homem superior, por exemplo, é realmente um hipnotizador social. Não raro sua simples presença basta para que modifique a aura do ambiente. Quem desconhece, por exemplo, a ascendência que Gandhi exercia sobre os indianos, ou que Martin Luther King exercia sobre os negros norte-americanos? A palavra deles era sempre altamente sugestiva.
Ninguém contesta também o fato de que o ser humano é, naturalmente, inclinado a obedecer. Afinal de contas, somos eternos aprendizes e, aprendizagem, de certa forma é uma espécie de obediência, de casamento, de concordância, mesmo nas circunstâncias contestatórias. Porém, isso não quer dizer que estamos todos condenados a obedecer sistematicamente e que sempre seguiremos as sugestões que nos forem enviadas. Mesmo no estado hipnótico, que em certos indivíduos parecem perder a capacidade de resistência ao poder da vontade dos outros, a sugestão não é todo poderosa; ela tem suas limitações positivas.
Assim sendo, podemos dizer que a sugestão hipnótica é uma ordem obedecida por uma pessoa em estado de sono induzido, por alguns segundos; no máximo por alguns minutos. Não pode ser comparada, a não ser vagamente, às sugestões em estado de vigília, comunicadas a indivíduos que nunca estiveram sob influência hipnótica. A sugestão hipnótica pode ser repetida, mas é absolutamente impotente para transformar - como já se afirmou - um criminoso em um homem honesto ou vice-versa. Esta possibilidade pertence, única e exclusivamente, ao campo da auto-hipnose.

A ordem pós-hipnótica

A mesma coisa que um médico hipnotizador ordena a seu paciente hipnotizado, nós também nos podemos sugerir na auto-hipnose. Chamamos isso, na linguagem médica, de “formação da intenção”.
Uma ordem pós-hipnótica (formação de intenção) é uma sugestão racional e possível de ser executada, e que não vá de encontro aos princípios éticos, morais, religiosos e de comportamento do hipnotizado. A própria pessoa que se hipnotiza (auto-hipnose), pode dar ordens pós-hipnóticas e certamente as cumprirá.
As fórmulas, ou ordens ao subconsciente, devem ser sempre: curtas, sonoras, positivas, rítmicas e fáceis de se decorar. A título de curiosidade, veja algumas destas ordens, comprovadamente eficazes:
Alguém que se irrita muito no seu ambiente de trabalho, deve sugestionar-se assim: “No trabalho, muita calma e paz!”
Alguém que se enrubesce por qualquer coisa:
“Se tiver que enrubescer, o sangue vai para as pernas e não para a cabeça!”
Alguém que em contato com clientes começa a suar nas mãos:
“Diante de um cliente, mãos calmas, secas e frias!!!”
Vamos ver, então, algumas dicas para você formular seus propósitos que se converterão em ordens ao subconsciente:

1 - Examine bem o que você quer propor. Quer, por exemplo, perder o medo de andar de elevador?
2 - Formule este propósito por escrito e positivamente. Porém não escreva nunca: “Não tenho medo de elevador”. Isto seria uma formulação negativa. Diga simplesmente: “Elevador é bobagem” ou, “elevador, lugar tranqüilo” que é uma formulação mais sonora ainda.
3 - Feita a formulação, leia algumas vezes em voz alta, até sabê-la de cor.
4 - Em estado de profundo relaxamento (auto-hipnose) pense intensamente nesta frase. Não precisa pronunciá-la em voz alta. Ela é para ser pensada.
5 - Fórmulas curtas, repetidas com freqüência durante o dia, produzem mais efeito do que frases longas que você possa dizer de vez em quando ou mesmo relembrar.



O porquê disso
Na memória estão registrados todos os fatos relevantes da nossa vida. Mas não são só os fatos que estão registrados; também as emoções referentes a eles estão registradas. É por isso que reagimos de modo diferente - com expressões faciais características de alegria, tristeza etc. – cada vez que somos levados a lembrar de “alguma coisa expressiva”.
Reagimos com medo – que é uma “projeção fatalista” que vem à nossa mente toda vez que nos deparamos (ou nos imaginamos) diante deste “perigo” – porque a “imagem que nos causa medo” está associada à sensações de “desconforto, dor, perigo etc.”
Assim, da mesma forma como associamos, por exemplo, a imagem de “sorvete” à sensações de “prazer, gostoso, refrescante etc.”, associamos, também por exemplo, a imagem de “elevador” à sensações de “desconforto, perigo, prisão etc.”
Como você pode ver, as “projeções” são diferentes, provocando, inclusive, alterações diferentes no organismo. No caso do sorvete, (prazer) somos levados a salivar (ficar com a boca cheia d’água) enquanto no caso do elevador (desprazer), ocorrem palpitações, suores, a pupila dilata etc.
Isso quer dizer que para vencermos nossos medos, precisamos criar novas associações no subconsciente, que passará a responder de “outra maneira” cada vez que nos depararmos ou imaginarmos tais imagens (elevador, animais ferozes, barata, quarto escuro, disco voador, alma penada etc.)
Por exemplo, se insistirmos em dizer a nós mesmos: “sou indiferente à baratas”, reagiremos com indiferença sempre que nos depararmos ou nos imaginarmos na presença de uma. Ora, como “o mal do medo são as reações que ele provoca no nosso organismo”, quando reagimos com indiferença, acaba o “mal do medo”.
Com dissemos, tudo vai depender da sua insistência em afirmar que “sou indiferente à baratas”. Este exemplo serve para todos os tipos de medo.
Boa sorte!!!

(tenho outros tópicos que explicam melhor o assunto em questão)

ANÚNCIOS

Avatar pua
DanielSilva - MEMBRO EXCLUSIVO
#736363 Mano, que tópico PODEROSO!!!

A força que temos em nossos pensamentos é realmente MUITO grande.

Tenho um texto colado na porta do meu guarda-roupa que leio todos os dias, antes de sair para o trabalho. E tem funcionado!

Preciso dar uma trabalhada nos pensamentos durante o dia também e esse texto já está me ajudando!

Valeu por compartilhar mano! Se tiver mais, manda ae :D

"Você é do tamanho do seu sonho, irmão."