Relatos pessoais, artigos, textos e vídeos para motivar qualquer um.
Avatar pua
Tribaldog - MEMBRO EXCLUSIVO
#1066838 Irmão DeskJet, apesar de discordar de vários pontos do seu artigo, achei ele interessante. Tenho uma visão muito diferente,em alguns pontos, no que tange relacionamentos.

Abraços :yaaah

ANÚNCIOS

Avatar pua
Atlas07 - MEMBRO EXCLUSIVO
#1066867
Deskjet escreveu:
kakeru escreveu:Cara sou leitor do N A. Ja li dois volumes dele. Mas vou te dizer algo meu caro. Festa pra mim ou é acompanhado ou não vai, se ela quiser ir que vá, eu nao impeço, como voce acertadamente disse que nao devemos proibir. Agora eu tenho meus limites, e se ela quer ir sem o namorado, eu prefiro nem ter ela como namorada. Tem que ser muito infantil pra achar que nao vai ter cara dando em cima da tua namorada, e talvez a propria amiga dela atice para isso, é claro que a decisao final e da tua namorada, mas sente se realmente confortável com isso? Acho que cada um tem seus limites, e sinceramente nao acho uma decisao acertada, me chamem de opressor e o que quiser, mas minha decisão é essa.


Certo, opinões diferentes, já tive a mesma visão em meu antigo namoro, mas hoje prefiro não me estressar por pouca coisa. Posso tirar como exemplo garotas que eu mesmo cheguei em baladas quando era solteiro, e elas namoravam e acabaram não ficando comigo. Não vou fazer minha namorada ir para uma festa com uma placa dizendo que tem namorado, ela mesma tem que dizer isso caso aconteça, como mencionei no post, SE ELA QUISER TRAIR, ELA VAI TRAIR, NÃO IMPORTA A SITUAÇÃO. Caso venha a ocorrer uma traição, deixei claro no final do tópico que cada um tem seu limite e é preciso estar preparado para qualquer coisa, inclusive o término, que seria o que eu faria. Mas agora terminar com a garota que você gosta pelo simples fato dela ter ido a uma festa e sofrer pelo simples fato de seu ego achar isto inadmíssivel, isso eu acho um ato infantil.


Eu concordo com o irmão Kakeru, sua namorada ir para festas, baladas, bares sem o namorado é meio estranho, né?
Mas ao invés de proibir (Nisso eu concordo contigo, gera o desejo proibido).
A minha estratégia com isso, caso eu me encontrasse em tal situação, seria o ping-pong.
Ela quer sair sozinha para a balada?
Chama seus amigos e avisa ela que tu vai em outra balada também, afinal, se ela pode, pq vc não?
Isso vai fazer com que ela saia mas fique com aquela pulga atrás da orelha, pensando no que você está fazendo.

Ótimo post, feliz 2018 e abraços! :lingua
Avatar pua
dymarcos

Aprendiz

#1067117 Fala cara, ótima postagem, você conseguiu fazer isso cedo, to com sérios problemas pq arrastei isso por muito tempo (inclusive criei uma postagem aqui pedindo conselhos da galera) no começo eu era exatamente assim e ela tava na minha mão, com o tempo perdi e ela passou a "comandar" de uns 4 meses pra cá foi dando uma merda atrás da outra, ela terminou cmigo, pediu um tempo por estar confusa e confirmou o termino, no mesmo dia pediu pra voltar, conversamos, combinamos tudo para não repetir os erros e após ela continuou super fria dizendo que não consegue mais estar me beijar, abraçar e tal, me tratando com muito indiferença, mas ainda se diz confusa... estamos em um tempo longo agora q eu mesmo pedi, onde coloquei algumas regras e é minha ultima esperança, como conseguir ter o controle a essa altura do campeonato e te-la de volta?
Rica Villa

MEMBRO PROFISSIONAL

#1068221 Existe um fator importante nisso tudo. É o famoso "ficar olhando pela janela" que é quando estamos bem num relacionamento e mesmo asssim achamos que do lado de fora existe algo melhor. Neste momento deixamos de fazer coisas dentro do relacionamento e com isso o outro lado começa entrar na mesma onda. Entre amigos mais velhos em que tenho buscado conselhos, e buscado respostas, sempre questionei sobre o momento em que as coisas começaram a dar errado. Na maior parte das vezes é quando algo que parecia desprendimento era apenas concessão. Devo dizer que 4 meses é muito pouco, ainda está na fase do grude, paixão e decepção. Posto que a decepção vai ser encoberta pela paixão, são feitas demasiadas concessões, muitas vezes tomamos atitudes para tentarmos cobrir desiluções de um relacionamento anterior da pessoa, mesmo que para nós não esteja na hora. A paixão fazendo atropelar a razão. E depois o que fica?
Vou ser tolo de dizer que gosto de ir em bares pq o clima é propício para o desequilibrio? A bebida, o clima de paquera e a aura do desconhecido está ali. Impedir uma pessoa de ir sozinha nestes lugares é tolice. O que mais me chama a atenção é quando a pessoa precisa ir sozinha e não quer a proteção de quem gosta, em lugares que a proteção é essencial. Não quero dizer que a pessoa vair fazer algo que não possa, até pq todo mundo já deve ter visto pessoas com a felicidade de facebook, buscando complementos no messenger, um lugar até bem mais seguro por ser privado.
Não tem fórmula, não tem o que fazer se ela quiser sair sozinha. Eu sempre sai sozinho e sempre falei. Causava insegurança que poderia acontecer algo. E querem saber de verdade? Tirando o buteco que o cara vai pra discutir futebol, politica e relaxar, nos outros lugares eu sempre procurei algo. Não explicitamente, mas sempre "olhando pela janela", se rolasse eu pulava fora e ia para algo que fosse melhor do que eu tinha. Sabe quantas vezes aconteceu? Nenhuma. Pq no final das coisas tudo é fantasia e a medida que o relacionamento vai avançando a fantasia dele vai esvaziando. Então queremos nova dose de paixão. Com isso quanto mais longa história, mais vamos ficando distante procurando algo. Algo que faltou em determinado momento. Fato é que a corda vai se esticando e um lado acaba caindo por não se dar conta que o outro lado está bem firme enquanto a corda vai rompendo. O lado que está bem firme já recomeça tudo com os pés bem calçados ao solo. O outro lado tem que levantar, sacudir, ver as feridas, curar e depois ver o que sobrou. E se não aprender vai fazer tudo de novo, até que já não haja tanto novo pra fazer.